Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

1 Reis 17 Estudo: O Ministério do Profeta Elias

Em 1 Reis 17 fica evidente que por causa do desvio de caráter dos príncipes e do povo de Israel, conforme descrito no capítulo anterior, o que se poderia esperar era que Deus rejeitasse o povo que o havia rejeitado.

Mas, como uma evidência ao contrário, nunca Israel foi tão abençoado com um bom profeta como quando foi afligido com um mau rei. Jamais houve um rei tão audacioso para pecar como Acabe.

Jamais houve um profeta tão audacioso para reprovar e ameaçar como Elias, cuja história começa neste capítulo e está cheia de maravilhas.

Dificilmente alguma parte da história do Antigo Testamento brilha mais do que esta história do espírito e do poder de Elias.

De todos os profetas, somente ele teve a honra de Enoque, o primeiro profeta, de ser trasladado, de modo que não visse a morte, e a honra de Moisés, o grande profeta, de estar com o nosso Salvador em sua transfiguração.

Outros profetas profetizaram e escreveram, ele profetizou e atuou, mas nada escreveu; porém, suas ações lançam mais brilho ao seu nome do que os escritos dos profetas aos nomes deles.

Nós temos neste capítulo a sua predição de fome em Israel por causa da escassez de chuva (v. 1). O abastecimento que lhe foi feito naquele período de fome  pelos corvos junto ao ribeiro de Querite (v.v. 2-7).

E quando aquele acabou, pela viúva de Sarepta, que o recebeu como um profeta e teve a recompensa do profeta; pois ele multiplicou o seu alimento e o seu óleo (v.v. 8-16) e ressuscitou o filho dela (v.v. 17-24).

Assim, sua história começa com julgamentos e milagres, planejados para acordar aquela geração sem entendimento que havia se corrompido tão profundamente. (Henry, Matthew, Comentário de Josué a Ester)

Esboço de 1 Reis 17:

1 Reis 17.1 – 7: A profecia de Elias

1 Reis 17.8 – 16: Elias e a viúva de Sarepta

1 Reis 17.17 – 24: A ressurreição do Filho da Viúva

 

1 Reis 17.1 – 7: A profecia de Elias

1 Ora, Elias, de Tisbe, em Gileade, disse a Acabe: “Juro pelo nome do Senhor, o Deus de Israel, a quem sirvo, que não cairá orvalho nem chuva nos anos seguintes, exceto mediante a minha palavra”.

2 Depois disso a palavra do Senhor veio a Elias:

3 Saia daqui, vá para o leste e esconda-se perto do riacho de Querite, a leste do Jordão.

4 Você beberá do riacho, e dei ordens aos corvos para o alimentarem lá.

5 E ele fez o que o Senhor lhe tinha dito. Foi para o riacho de Querite, a leste do Jordão, e ficou lá.

6 Os corvos lhe traziam pão e carne de manhã e de tarde, e ele bebia água do riacho.

7 Algum tempo depois, o riacho secou-se por falta de chuva.

1 Reis 17.8 – 16: Elias e a viúva de Sarepta

8 Então a palavra do Senhor veio a Elias:

9 “Vá imediatamente para a cidade de Sarepta de Sidom e fique por lá. Ordenei a uma viúva daquele lugar que lhe forneça comida”.

10 E ele foi. Quando chegou à porta da cidade, encontrou uma viúva que estava colhendo gravetos. Ele a chamou e perguntou: “Pode me trazer um pouco d’água numa jarra para eu beber?”

11 Enquanto ela ia buscar água, ele gritou: “Por favor, traga também um pedaço de pão”.

12 Mas ela respondeu: “Juro pelo nome do Senhor, o teu Deus, que não tenho nenhum pedaço de pão; só um punhado de farinha num jarro e um pouco de azeite numa botija. Estou colhendo uns dois gravetos para levar para casa e preparar uma refeição para mim e para o meu filho, para que a comamos e depois morramos.”

13 Elias, porém, lhe disse: Não tenha medo. Vá para casa e faça o que disse. Mas primeiro faça um pequeno bolo com o que você tem e traga para mim, e depois faça algo para você e para o seu filho.

14 Pois assim diz o Senhor, o Deus de Israel: “A farinha na vasilha não se acabará e o azeite na botija não se secará até o dia em que o Senhor fizer chover sobre a terra”.

15 Ela foi e fez conforme Elias lhe dissera. E aconteceu que a comida durou muito tempo, para Elias e para a mulher e sua família.

16 Pois a farinha na vasilha não se acabou e o azeite na botija não se secou, conforme a palavra do Senhor proferida por Elias.

1 Reis 17.17 – 24: A ressurreição do Filho da Viúva

17 Algum tempo depois o filho da mulher, dona da casa, ficou doente, foi piorando e finalmente parou de respirar.

18 E a mulher reclamou a Elias: “Que foi que eu te fiz, ó homem de Deus? Vieste para lembrar-me do meu pecado e matar o meu filho?”

19 “Dê-me o seu filho”, respondeu Elias. Ele o apanhou dos braços dela, levou-o para o quarto de cima onde estava hospedado, e o pôs na cama.

20 Então clamou ao Senhor: “Ó Senhor, meu Deus, trouxeste também desgraça sobre esta viúva, com quem estou hospedado, fazendo morrer o seu filho?”

21 Então ele se deitou sobre o menino três vezes e clamou ao Senhor: “Ó Senhor, meu Deus, faze voltar a vida a este menino!”

22 O Senhor ouviu o clamor de Elias, e a vida voltou ao menino, e ele viveu.

23 Então Elias levou o menino para baixo, entregou-o à mãe e disse: “Veja, seu filho está vivo!”

24 Então a mulher disse a Elias: “Agora sei que tu és um homem de Deus e que a palavra do Senhor, vinda da tua boca, é a verdade”.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Valdilene Soua disse:

    alguém pode recordar onde se uma passagem que a mulher aconselha ao marido fazer um quartinho para um homem de Deus?

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});