1 Reis - Bíblia de Estudo Online

Em 1 Reis 4 temos um resumo da prosperidade e da glória que o reinado de Salomão trouxeram a Israel, algo que jamais se viu até os dias de hoje, mas que vai se repetir em proporção ainda maior, no milênio, onde Jesus Cristo será o rei de toda a Terra.

A prosperidade que Israel e Judá tiveram é tão grande que o autor compara a areia do mar (v.20). Ou seja, em sua história, até aqueles dias, o povo de Deus nunca viu tanta riqueza circulando entre eles. Todos viviam materialmente, muito bem.

Além disso, as nações inimigas que a cercavam, lhe deixaram em paz. Durante seu reino, Salomão não precisou lidar com guerras ou conflitos, porque Deus cercou seu governo com paz de todos os lados. Até porque, neste ponto, todos os inimigos de Israel e Judá, lhe eram submissos.

O povo vivia em segurança em suas casas. A rotina da nação era tranquila, o que a agitava era o comércio que estava aquecido como nunca antes esteve.

Com relação ao próprio rei Salomão, ele recebeu sabedoria e inteligência como nenhum outro rei de Israel, extremamente habilidoso na produção de textos e poesia, e muito dedicado ao conhecimento da natureza (v.33).

Ele se tornou uma referência de sabedoria, inteligência, cultura e administração, em todo o oriente. Se tornou um palestrante conhecidíssimo, pessoas importantes de todo o mundo conhecido vinham ouvi-lo (v.34).

Esboço de 1 Reis 4:

4.1 – 19: A majestade de Salomão

4.20 – 28: A riqueza de Salomão

4.29 – 34: O prestígio de Salomão

 

1 Reis 4.1 – 19: A majestade de Salomão

1 E assim o rei Salomão tornou-se rei sobre todo o Israel.

2 Estes foram os seus principais assessores: Azarias, filho de Zadoque: o sacerdote;

3 Eliorefe e Aías, filhos de Sisa: secretários; Josafá, filho de Ailude: arquivista real;

4 Benaia, filho de Joiada: comandante do exército; Zadoque e Abiatar: sacerdotes;

5 Azarias, filho de Natã: responsável pelos governadores distritais; Zabude, filho de Natã: sacerdote e conselheiro pessoal do rei;

6 Aisar: responsável pelo palácio; Adonirão, filho de Abda: chefe do trabalho forçado.

7 Salomão tinha também doze governadores distritais em todo o Israel, que forneciam provisões para o rei e para o palácio real. Cada um deles tinha que fornecer suprimentos durante um mês do ano.

8 Estes são os seus nomes: Ben-Hur, nos montes de Efraim;

9 Ben-Dequer, em Macaz, Saalbim, Bete-Semes e Elom-Bete-Hanã;

10 Ben-Hesede, em Arubote, Socó e em toda a terra de Héfer;

11 Ben-Abinadabe, em Nafote-Dor. Tafate, filha de Salomão, era sua mulher;

12 Baaná, filho de Ailude, em Taanaque e em Megido, e em toda a Bete-Seã, próxima de Zaretã, abaixo de Jezreel, desde Bete-Seã até Abel-Meolá, indo além dos limites de Jocmeão;

13 Ben-Geder, em Ramote-Gileade e nos povoados de Jair, filho de Manassés, em Gileade, bem como no distrito de Argobe, em Basã, e em suas sessenta grandes cidades muradas com trancas de bronze em suas portas;

14 Ainadabe, filho de Ido, em Maanaim;

15 Aimaás, em Naftali. Ele se casou com Basemate, filha de Salomão;

16 Baaná, filho de Husai, em Aser e em Bealote;

17 Josafá, filho de Parua, em Issacar;

18 Simei, filho de Elá, em Benjamim;

19 Geber, filho de Uri, em Gileade, a terra de Seom, rei dos amorreus, e de Ogue, rei de Basã. Ele era o único governador desse distrito.

1 Reis 4.20 – 28: A riqueza de Salomão

20 O povo de Judá e de Israel era tão numeroso como a areia da praia; eles comiam, bebiam e eram felizes.

21 E Salomão governava todos os reinos, desde o Eufrates até a terra dos filisteus, chegando até a fronteira do Egito. Esses reinos traziam tributos e foram submissos a Salomão durante toda a sua vida.

22 As provisões diárias de Salomão eram trinta tonéis da melhor farinha e sessenta tonéis de farinha comum,

23 dez cabeças de gado engordado em cocheiras, vinte de gado engordado no pasto e cem ovelhas e bodes, bem como cervos, gazelas, corças e aves escolhidas.

24 Ele governava todos os reinos a oeste do Eufrates, desde Tifsa até Gaza, e tinha paz em todas as fronteiras.

25 Durante a vida de Salomão, Judá e Israel viveram em segurança, cada homem debaixo da sua videira e da sua figueira, desde Dã até Berseba.

26 Salomão possuía quatro mil cocheiras para cavalos de carros de guerra, e doze mil cavalos.

27 Todo mês um dos governadores distritais fornecia provisões ao rei Salomão e a todos os que vinham participar de sua mesa. Cuidavam para que não faltasse nada.

28 Também traziam ao devido lugar suas quotas de cevada e de palha para os cavalos de carros de guerra e para os outros cavalos.

1 Reis 4.29 – 34: O prestígio de Salomão

29 Deus deu a Salomão sabedoria, discernimento extraordinário e uma abrangência de conhecimento tão imensurável quanto a areia do mar.

30 A sabedoria de Salomão era maior do que a de todos os homens do oriente, e do que toda a sabedoria do Egito.

31 Ele era mais sábio do que qualquer outro homem, mais do que o ezraíta Etã; mais sábio do que Hemã, Calcol e Darda, filhos de Maol. Sua fama espalhou-se por todas as nações em redor.

32 Ele compôs três mil provérbios, e os seus cânticos chegaram a mil e cinco.

33 Descreveu as plantas, desde o cedro do Líbano até o hissopo que brota nos muros. Também discorreu sobre os quadrúpedes, as aves, os animais que se movem rente ao chão e os peixes.

34 Homens de todas as nações vinham ouvir a sabedoria de Salomão. Eram enviados por todos os reis que tinham ouvido falar de sua sabedoria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here