1 Samuel - Bíblia de Estudo Online

Em 1 Samuel 1 vemos que Naás, rei dos amonitas, fez aliança com Jabes para atacar a Jabes-Gileade, e quando o povo soube o temor se apoderou deles. Quando o caso foi relatado a Saul, ele ficou cheio de indignação e o Espírito do Senhor se apoderou dele.

Saul reuniu todos os guerreiros de Judá e Benjamim e lutou contra eles. Grande foi a vitória de Saul e admiração que o povo passou a ter dele, a ponto de renovar a autoridade dele como rei.

Um fato notório, é que, tendo acabado a batalha o povo quis se vingar daqueles que não queriam servir a Saul, mas ele os impediu. Sendo grato pelo grande livramento que o Senhor lhes havia dado, o rei não permitiu que ninguém fosse morto.

Enquanto Saul se deixava dirigir pelo Espírito Santo, suas atitudes foram nobres. Suas decisões eram sábias e o Senhor lhe dava vitórias, confirmando seu reino.

Assim é também em nossas vidas, enquanto vivemos sob a direção do Espírito, não satisfazemos os desejos da carne e colhemos frutos do Espírito em nossa vida, mas quando vivemos sem essa ministração, nossas atitudes e decisões são loucura.

Esboço de 1 Samuel 11:

11.1 – 4: A ameaça dos Amonitas

11.5 – 11: A indignação de Saul

11.12 – 15: A misericórdia de Saul

1 Samuel 11.1 – 4: A ameaça dos Amonitas

1 O amonita Naás avançou contra a cidade de Jabes-Gileade e a cercou. E os homens de Jabes lhe disseram: “Faça um tratado conosco, e nos sujeitaremos a você”.

2 Contudo, Naás, o amonita, respondeu: “Só farei um tratado com vocês sob a condição de que eu arranque o olho direito de cada um de vocês e assim humilhe todo o Israel”.

3 As autoridades de Jabes lhe disseram: “Dê-nos sete dias para que possamos enviar mensageiros a todo o Israel; se ninguém vier nos socorrer, nós nos renderemos”.

4 Quando os mensageiros chegaram a Gibeá, cidade de Saul, e relataram essas coisas ao povo, todos choraram em alta voz.

1 Samuel 11.5 – 11: A indignação de Saul

5 Naquele momento, Saul estava trazendo o gado do campo e perguntou: “O que há com o povo? Por que estão chorando?” Então lhe contaram o que os homens de Jabes tinham dito.

6 Quando Saul ouviu isso, o Espírito de Deus apoderou-se dele, e ele ficou furioso.

7 Apanhou dois bois, cortou-os em pedaços e, por meio dos mensageiros, enviou os pedaços a todo o Israel, proclamando: “Isto é o que acontecerá aos bois de quem não seguir Saul e Samuel”. Então o temor do Senhor caiu sobre o povo, e eles vieram unânimes.

8 Quando Saul os reuniu em Bezeque, havia trezentos mil homens de Israel e trinta mil de Judá.

9 E disseram aos mensageiros de Jabes: “Digam aos homens de Jabes-Gileade: “Amanhã, na hora mais quente do dia, haverá libertação para vocês””. Quando relataram isso aos habitantes de Jabes, eles se alegraram.

10 Então, os homens de Jabes disseram aos amonitas: “Ama­nhã nós nos renderemos a vocês, e poderão fazer conosco o que quiserem”.

11 No dia seguinte, Saul dividiu seus soldados em três grupos; entraram no acampamento amonita na alta madrugada e os mataram até a hora mais quente do dia. Aqueles que sobreviveram se dispersaram de tal modo que não ficaram dois juntos.

1 Samuel 11.12 – 15: A misericórdia de Saul

12 Então o povo disse a Samuel: “Quem foi que perguntou: “Será que Saul vai reinar sobre nós?” Traze-nos esses homens, e nós os mataremos”.

13 Saul, porém, disse: “Hoje ninguém será morto, pois neste dia o Senhor trouxe libertação a Israel”.

14 Então Samuel disse ao povo: “Venham, vamos a Gilgal e reafirmemos ali o reino”.

15 Assim, todo o povo foi a Gilgal e proclamou Saul como rei na presença do Senhor. Ali ofereceram sacrifícios de comunhão ao Senhor, e Saul e todos os israelitas tiveram momentos de grande alegria.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here