Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

1 Timóteo 3 Estudo: Qualificação dos Ministros

Em 1 Timóteo 3, Paulo inicia apresentando as características necessárias para que o ministro seja considerado apto e digno para exercer função de dirigente da congregação. Da mesma forma, os diáconos. Eles devem apresentar as características aqui descritas para exercer esse tão excelente cargo no Reino de Deus.

A igreja é o corpo de Jesus Cristo. Como corpo ele apresenta organização para que o organismo funcione adequadamente em cada parte. Paulo encerra, lembrando que não podemos nos comportar de qualquer maneira na casa de Deus, porque ela é “a igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade” .

Esboço de 1 Timóteo 3:

1 Timóteo 3.1 – 7: Deveres dos Bispos, Presbíteros e Pastores

1 Timóteo 3.8 – 13: Deveres dos Diáconos

1 Timóteo 3.14 – 16: O comportamento na casa de Deus

 

O Caráter dos Diáconos

“Os diáconos igualmente devem ser dignos, homens de palavra, não amigos de muito vinho nem de lucros desonestos”. (1 Timóteo 3.8)

Lemos aqui acerca do caráter dos diáconos: esses eram os responsáveis pelos interesses temporais da igreja, isto é, a manutenção dos ministros e a provisão pelos pobres.

Lemos aqui acerca do caráter dos diáconos: esses eram os responsáveis pelos interesses temporais da igreja, isto é, a manutenção dos ministros e a provisão pelos pobres.

Eles serviam às mesas, enquanto os ministros ou bispos se dedicavam somente ao ministério da palavra e da oração (Atos 6.2,4). Atos 6.1-7 relata a instituição desse ofício e o motivo que o ocasionou.

Um requisito necessário para ser diácono era ter bom caráter, porque auxiliavam os ministros, apareciam e agiam publicamente, e carregavam uma grande responsabilidade em seu serviço.

Eles deveriam ser honestos (modestos, sóbrios). Sobriedade é dever de todo cristão, mas, especialmente daqueles que têm algum ofício na igreja.

Não de língua dobre, ou seja, dizer uma coisa para uma pessoa e uma coisa diferente para outra, de acordo com os interesses do momento. Uma língua dobre surge de um coração dobre. Bajuladores e difamadores têm uma língua dobre.

Não dados a muito vinho, porque isso gera um descrédito muito grande para qualquer homem, especialmente para um cristão, ainda mais quando ocupa um ministério. Essa pessoa acaba se desqualificando para o serviço e abre a porta para muitas tentações.

Não cobiçosos de torpe ganância. Isso seria especialmente mau para os diáconos, que tinham a responsabilidade de cuidar do dinheiro da igreja, e, se fossem avarentos e cobiçosos de torpe ganância, seriam tentados a apropriar-se fraudulentamente do dinheiro que deveria ser destinado para o serviço público.

Uma Consciência Pura

“Devem apegar-se ao mistério da fé com a consciência limpa. Devem ser primeiramente experimentados; depois, se não houver nada contra eles, que atuem como diáconos”. (1 Timóteo 3.9,10)

O mistério da fé é mais bem mantido em uma consciência pura. O amor prático da verdade é o conservante mais poderoso contra o erro e a ilusão.

Se mantivermos uma consciência pura (cuidado com tudo aquilo que corrompe a consciência e nos afasta de Deus), preservaremos o mistério da fé em nossa alma.

Também estes sejam primeiro provados. Não é saudável que os bens públicos sejam depositados nas mãos de qualquer pessoa, sem primeiro ser provada, e encontrada apta para o serviço que deve realizar.

A integridade de seus julgamentos, o zelo por Cristo e a irrepreensibilidade da sua conversão devem ser provados.

As Esposas

“As mulheres igualmente sejam dignas, não caluniadoras, mas sóbrias e confiáveis em tudo”. (1 Timóteo 3.11)

Suas esposas, semelhantemente, devem ter um bom caráter, elas devem ser respeitáveis, não maldizentes, não mexeriqueiras, não devem contar histórias injuriosas nem semear discórdia.

Elas devem ser, sim, sóbrias e fiéis em tudo. Não dadas a nenhum tipo de excesso, mas leais em tudo que lhes é confiado.

Todos que estão envolvidos em algum ministério devem dobrar seu cuidado para caminhar de maneira digna em relação ao evangelho de Cristo. Assim, não caminharão de maneira desordenada, nem mancharão o ministério.

O que o apóstolo já havia dito a respeito dos bispos ou ministros, repete aos diáconos, ou seja: o diácono deve ter somente uma esposa.

Ele não pode ter se separado de sua esposa, por desafeição, e se casado com outra. Os diáconos devem governar bem seus filhos e suas próprias casas.

As famílias dos diáconos deveriam ser exemplos às outras famílias. E o motivo para essa qualificação é que, embora o ofício de um diácono fosse de uma hierarquia inferior.

Ele poderia ser um passo para um grau maior e, esses que serviram mesas com propriedade, poderiam mais tarde servir na pregação da palavra e na oração.

Talvez o apóstolo também esteja se referindo à boa reputação que esse diácono receberia pela sua fidelidade nesse ministério: eles adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.

Bispos e Diáconos

Na Igreja Primitiva havia somente duas ordens de ministros ou oficiais: bispos e diáconos (Filipenses 1.1). Os períodos subsequentes inventaram o resto.

O ofício do bispo, do presbítero, do pastor, ou do ministro se restringia à oração e ao ministério da palavra; e o ofício do diácono se limitava basicamente a servir às mesas.

Clemente Romano, em sua epístola aos cristãos, fala muito detalhadamente e claramente a esse respeito, de que os apóstolos, advertidos pelo nosso Senhor Jesus Cristo, sabiam que surgiria na Igreja cristã uma controvérsia acerca do episcopado, por isso nomearam as ordens supracitadas, bispos e diáconos.

O trabalho principal dos diáconos, de acordo com as Escrituras, era servir às mesas e não pregar e batizar. É verdade, no entanto, que Filipe pregou e batizou em Samaria (Atos 8), mas lemos que ele era um evangelista (Atos 21.8).

E ele pode ter pregado e batizado, e realizado qualquer outra parte do ofício ministerial, debaixo dessa condição; ainda assim, o ofício de diácono visava cuidar dos interesses temporais da Igreja, como os salários dos ministros e prover para os pobres.

Diversas qualificações eram muito necessárias, mesmo para esses cargos inferiores. Os diáconos sejam honestos (“respeitáveis”) etc.

Algumas provas eram necessárias quanto às qualificações das pessoas antes de serem admitidas num cargo da igreja, ou, antes de terem sua confiança provada: E também estes sejam primeiro provados.

A integridade e a retidão em um ofício inferior são o caminho para se alcançar uma posição mais elevada na igreja.

Uma Boa Posição

Os diáconos adquirirão para si uma boa posição. Isso também resultará em grande ousadia na fé, enquanto a falta de integridade e retidão tornará uma pessoa tímida e pronta a tremer diante da própria sombra.

Fogem os ímpios, sem que ninguém os persiga; mas qualquer justo está confiado como o filho do leão (Provérbios 28.1). (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.