2 Samuel 6 Estudo: Davi Vai Buscar a Arca da Aliança

Por 100 longos anos, a arca da aliança foi separada do tabernáculo e de outros locais de culto. Após sua captura pelos filisteus em Afeque (1 Sam. 4:11) permaneceu na Filistia por sete meses, depois brevemente em Bete-Semes, e no resto do tempo em Quiriate-Jearim (2 Samuel 6:1-5).

Agora Davi havia tomado Jerusalém, um lugar neutro, e fez dela a capital política do reino. Tudo o que restava era recuperar a arca, colocá-la no tabernáculo que ele erigiria no monte Sião e declarar Jerusalém também o centro religioso da nação.

Davi primeiro foi com 30.000 homens a Baalá de Judá (o mesmo que Quiriate-Jearim; Josué 15:9) para trazer a arca da casa de Abinadabe, seu guardião. Descrito como aquele que leva o nome do próprio Deus, a arca representou a presença de Deus que habitou entre o Seu povo de uma maneira especial (cf. Ex. 25:22).

Como tal, deveria ser tratado com reverência, mesmo em seu transporte de um lugar para outro. A Lei especificava que ela fosse levada pelos levitas que a suportassem em seus ombros por meio de varas passadas por anéis de ouro presos à arca (Êxodo 25:14; cf. Num. 4:15, 20).

Mesmo os levitas não podiam tocar na arca ou mesmo olhar nela por causa de sua santidade. Por que Davi ignorou esses requisitos, é impossível saber, mas ele, Uzá e Aio, dois descendentes de Abinadabe, colocaram a arca em uma carroça e prosseguiram, com grande celebração musical, em direção a Jerusalém.

O uso de instrumentos musicais (2 Sam. 6: 5) era comum na adoração de Israel, como pode ser visto, por exemplo, no Salmo 150, onde a maioria dos mesmos instrumentos são listados. (1)

Esboço de 2 Samuel 6:

6.1 – 5: Davi vai buscar a Arca da Aliança

6.6 – 11: Uzá toca na Arca, e morre

6.12 – 19: A Arca chega a Jerusalém

6.20 – 23: Mical despreza a Davi

 

2 Samuel 6.1 – 5: Davi vai buscar a Arca da Aliança

1 De novo Davi reuniu os melhores guerreiros de Israel, trinta mil ao todo.

2 Ele e todos os que o acompanhavam partiram para Baalá, em Judá, para buscar a arca de Deus, arca sobre a qual é invocado o Nome, o nome do Senhor dos Exércitos, que tem o seu trono entre os querubins acima dela.

3 Puseram a arca de Deus num carroção novo e a levaram da casa de Abinadabe, na colina. Uzá e Aiô, filhos de Abinadabe, conduziam o carroção

4 com a arca de Deus; Aiô andava na frente dela.

5 Davi e todos os israelitas iam cantando e dançando perante o Senhor, ao som de todo tipo de instrumentos de pinho: harpas, liras, tamborins, chocalhos e címbalos.

2 Samuel 6.6 – 11: Uzá toca na Arca, e morre

6 Quando chegaram à eira de Nacom, Uzá esticou o braço e segurou a arca de Deus, porque os bois haviam tropeçado.

7 A ira do Senhor acendeu-se contra Uzá por seu ato de irreverência. Por isso Deus o feriu, e ele morreu ali mesmo, ao lado da arca de Deus.

8 Davi ficou contrariado porque o Senhor, em sua ira, havia fulminado Uzá. Até hoje aquele lugar é chamado Perez-Uzá.

9 Naquele dia Davi teve medo do Senhor e se perguntou: “Como vou conseguir levar a arca do Senhor?”

10 Por isso ele desistiu de levar a arca do Senhor para a Cidade de Davi. Em vez disso, levou-a para a casa de Obede-Edom, de Gate.

11 A arca do Senhor ficou na casa dele por três meses, e o Senhor o abençoou e a toda a sua família.

2 Samuel 6.12 – 19: A Arca chega a Jerusalém

12 E disseram ao rei Davi: “O Senhor tem abençoado a família de Obede-Edom e tudo o que ele possui, por causa da arca de Deus”. Então Davi, com grande festa, foi à casa de Obede-Edom e ordenou que levassem a arca de Deus para a Cidade de Davi.

13 Quando os que carregavam a arca do Senhor davam seis passos, ele sacrificava um boi e um novilho gordo.

14 Davi, vestindo o colete sacerdotal de linho, foi dançando com todas as suas forças perante o Senhor,

15 enquanto ele e todos os israelitas levavam a arca do Senhor ao som de gritos de alegria e de trombetas.

16 Aconteceu que, entrando a arca do Senhor na Cidade de Davi, Mical, filha de Saul, observava de uma janela. E, ao ver o rei Davi dançando e celebrando perante o ­Senhor, ela o desprezou em seu coração.

17 Eles trouxeram a arca do Senhor e a colocaram na tenda que Davi lhe havia preparado; e Davi ofereceu holocaustos e sacrifícios de comunhão perante o Senhor.

18 Após oferecer os holocaustos e os sacrifícios de comunhão, ele abençoou o povo em nome do Senhor dos Exércitos,

19 e deu um pão, um bolo de tâmaras e um bolo de uvas passas a cada homem e a cada mulher israelita. Depois todo o povo partiu, cada um para a sua casa.

2 Samuel 6.20 – 23: Mical despreza a Davi

20 Voltando Davi para casa para abençoar sua família, Mical, filha de Saul, saiu ao seu encontro e lhe disse: “Como o rei de Israel se destacou hoje, tirando o manto na frente das escravas de seus servos, como um homem vulgar!”

21 Mas Davi disse a Mical: Foi perante o Senhor que eu dancei, perante aquele que me escolheu em lugar de seu pai ou de qualquer outro da família dele, quando me designou soberano sobre o povo do Senhor, sobre Israel; perante o Senhor celebrarei

22 e me rebaixarei ainda mais, e me humilharei aos meus próprios olhos. Mas serei honrado por essas escravas que você mencionou.

23 E até o dia de sua morte, Mical, filha de Saul, jamais teve filhos.

 

Referências:

Merrill, E. H. (1985). 2 Samuel. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 463). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here