2 Samuel 7 Estudo: A Aliança de Deus Com Davi

Tendo comunicado seus desejos ao profeta Natã, cuja resposta inicial foi favorável, Davi logo soube que suas intenções eram prematuras. Desde o Êxodo, o SENHOR havia residido entre o povo em uma estrutura temporária. Não havia necessidade agora de nada diferente (2 Samuel 7:3–17).

Na verdade, não era a vontade de Deus que Davi construísse uma casa para ele; em vez disso, Deus construiria uma casa para Davi! (v. 11) Deus chamou Davi de um começo desfavorável para ser um pastor do povo de Deus (v. 8).

Da mesma forma, Deus havia reunido Israel para si mesmo e os plantaria com segurança em sua própria terra. A casa a ser construída por Davi seria uma casa real, uma dinastia de reis.

Teria origem com ele, mas nunca terminaria (v. 16). O reino e seu trono seriam permanentes, um reino sobre o qual o Filho de Davi reinaria para sempre (cf. 23: 5).

A promessa de que Davi e sua semente seriam reis cumpriram a ainda mais antiga bênção da aliança abraâmica de que os patriarcas seriam os pais dos reis (Gn 17: 6, 16; 35:11).

A Judá, bisneto de Abraão, foi dado o penhor explícito de que um governante prometido viria de Judá (Gn 49:10). Samuel ungiu este de Judá, o próprio Davi, de quem o Senhor disse: “Ele é o único” (1 Sam. 16:12).

Davi estava ciente de sua eleição por Deus e do significado teológico daquela eleição como parte da linha messiânica que resultaria em um descendente e rei divinos (Sl 2: 6-7; 110; cf. as palavras de Etã em Sl 89:3–4).

Os profetas também atestaram o Messias davídico, Aquele que governaria sobre todos e para sempre no seu trono (Isaías 9: 1-7; 11: 1-5; Jr 30: 4-11; Ez 34: 23– 24; 37: 24-25; Amós 9: 11-15).

A promessa de que o povo do Senhor, o reino de Davi, Israel, teria uma terra duradoura própria também se baseava em compromissos anteriores do Senhor. A semente de Abraão, disse Deus, seria dada a Canaã como um lar para sempre (Gênesis 13:15; 15:18; 17: 8; Dt. 34: 4).

O Templo

Quanto a um templo, Davi não teria permissão para construí-lo, mas seu filho depois dele teria a honra de fazê-lo (2 Samuel 7: 12-13). Que isso se refere a uma casa literal e não a uma dinastia é claro a partir do contexto, que fala dos resultados que se seguiriam se o filho fosse desobediente ao Senhor (vv. 14-15).

Isso não pode ser verdade para o rei que é mencionado como a figura da linhagem da dinastia davídica. Estes versos, então, são um bom exemplo de uma passagem do Antigo Testamento na qual alguns elementos encontram satisfação no futuro imediato (Salomão e outros descendentes estritamente humanos de Davi), enquanto outros elementos serão realizados somente num futuro mais distante em Jesus Cristo, como Filho de Davi, Lucas 1: 31-33. (1)

Esboço de 2 Samuel 7:

7.1 – 3: O desejo de Davi

7.4 – 17: A aliança de Deus com Davi

7.18 – 29: A oração de Davi

 

2 Samuel 7.1 – 3: O desejo de Davi

1 O rei Davi já morava em seu palácio e o Senhor lhe dera descanso de todos os seus inimigos ao redor.

2 Certo dia ele disse ao profeta Natã: “Aqui estou eu, morando num palácio de cedro, enquanto a arca de Deus permanece numa simples tenda”.

3 Natã respondeu ao rei: “Faze o que tiveres em mente, pois o Senhor está contigo”.

2 Samuel 7.4 – 17: Um Reino Eterno

4 E naquela mesma noite o Senhor falou a Natã:

5 Vá dizer a meu servo Davi que assim diz o Senhor: Você construirá uma casa para eu morar?

6 Não tenho morado em nenhuma casa desde o dia em que tirei os israelitas do Egito. Tenho ido de uma tenda para outra, de um tabernáculo para outro.

7 Por onde tenho acom­panhado os israelitas, alguma vez perguntei a algum líder deles, a quem ordenei que pastoreasse Israel, o meu povo: Por que você não me construiu um templo de cedro?

8 Agora, pois, diga ao meu servo Davi: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eu o tirei das pastagens, onde você cuidava dos rebanhos, para ser o soberano de Israel, o meu povo.

9 Sempre estive com você por onde você andou, e eliminei todos os seus inimigos. Agora eu o farei tão famoso quanto os homens mais importantes da terra.

10 E providenciarei um lugar para Israel, o meu povo, e os plantarei lá, para que tenham o seu próprio lar e não mais sejam incomodados. Povos ímpios não mais os oprimirão, como fizeram no início

11 e têm feito desde a época em que nomeei juízes sobre Israel, o meu povo. Também subjugarei todos os seus inimigos. Saiba também que eu, o Senhor, lhe estabelecerei uma dinastia.

12 Quan­do a sua vida chegar ao fim e você descansar com os seus antepassados, escolherei um dos seus filhos para sucedê-lo, um fruto do seu próprio corpo, e eu estabelecerei o reino dele.

13 Será ele quem construirá um templo em honra ao meu nome, e eu firmarei o trono dele para sempre.

14 Eu serei seu pai, e ele será meu filho. Quando ele cometer algum erro, eu o punirei com o castigo dos homens, com açoites aplicados por homens.

15 Mas nunca retirarei dele o meu amor, como retirei de Saul, a quem tirei do seu caminho.

16 Quanto a você, sua dinastia e seu reino permanecerão para sempre diante de mim; o seu trono será estabelecido para sempre.

17 E Natã transmitiu a Davi tudo o que o Senhor lhe tinha falado e revelado.

2 Samuel 7.18 – 29: A oração de Davi

18 Então o rei Davi entrou no tabernáculo, assentou-se diante do Senhor, e orou: Quem sou eu, ó Soberano Senhor, e o que é a minha família, para que me trouxesses a este ponto?

19 E, como se isso não bastasse para ti, ó Soberano Senhor, também falaste sobre o futuro da família deste teu servo. É assim que procedes com os homens, ó Soberano Senhor?

20 Que mais Davi poderá dizer-te? Tu conheces o teu servo, ó Soberano Senhor.

21 Por amor de tua palavra e de acordo com tua vontade, realizaste este feito grandioso e o revelaste ao teu servo.

22 Quão grande és tu, ó Soberano Senhor! Não há ninguém como tu, nem há outro Deus além de ti, conforme tudo o que sabemos.

23 E quem é como Israel, o teu povo, a única nação da terra que tu, ó Deus, resgataste para dela fazeres um povo para ti mesmo, e assim tornaste o teu nome famoso, realizaste grandes e impressionantes maravilhas ao expulsar nações e seus deuses de diante desta mesma nação que libertaste do Egito?

24 Tu mesmo fizeste de Israel o teu povo particular para sempre, e tu, ó Senhor, te tornaste o seu Deus.

25 Agora, Senhor Deus, confirma para sempre a promessa que fizeste a respeito de teu servo e de sua descendência. Faze conforme prometeste,

26 para que o teu nome seja engrandecido para sempre e os homens digam: “O Senhor dos Exércitos é o Deus de Israel!” E a descendência de teu servo Davi se manterá firme diante de ti.

27 Ó Senhor dos Exércitos, Deus de Israel, tu mesmo o revelaste a teu servo, quando disseste: “Estabelecerei uma dinastia para você”. Por isso o teu servo achou coragem para orar a ti.

28 Ó Soberano Senhor, tu és Deus! Tuas palavras são verdadeiras, e tu fizeste essa boa promessa a teu servo.

29 Agora, por tua bondade, abençoa a família de teu servo, para que ela continue para sempre na tua presença. Tu, ó Soberano Senhor, o prometeste! E, abençoada por ti, bendita será para sempre a família de teu servo.

 

Referências:

Merrill, E. H. (1985). 2 Samuel. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 464). Wheaton, IL: Victor Books.

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here