Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

2 Tessalonicenses 3 Estudo: O Trabalho Honesto

Em 2 Tessalonicenses 3, Paulo começa pedindo aos Tessalonicenses que orem por sua vida e pela propagação do Evangelho. É comum na carta ao Tessalonicenses, o apóstolo orar pedindo, que o próprio Deus guarde o seu povo.

Há uma palavra de exortação muito detalhada sobre o trabalho honesto. Muitos cristãos estavam sem querer trabalhar por causa da iminente volta de Jesus Cristo.

Paulo os adverte, dizendo que isso é um erro e dá o seu próprio exemplo de trabalho árduo e honesto, diariamente. Ele encerra aconselhando aos irmãos de que façam, continuamente o bem e rogando a bênção de Deus sobre suas vidas.

Esboço de 2 Tessalonicenses 3:

2 Tessalonicenses 3.1 – 5: Paulo pede orações

2 Tessalonicenses 3.6 – 12: Exortação ao trabalho honesto

2 Tessalonicenses 3.13 – 18: O dever de fazer o bem e a bênção de Deus

 

Lidando Com os Ociosos

“Irmãos, em nome do nosso Senhor Jesus Cristo nós lhes ordenamos que se afastem de todo irmão que vive ociosamente e não conforme a tradição que receberam de nós”. (2 Tessalonicenses 3.6)

Aquilo que estava errado no meio dos Tessalonicenses, que é expresso de maneira mais geral. Havia alguns que andavam desordenadamente e não segundo a tradição que receberam do apóstolo.

Alguns irmãos eram culpados desse caminhar desordenado. Eles não viviam da maneira certa, nem dirigiam sua vida de acordo com as regras do cristianismo, nem estavam em conformidade com sua profissão de fé.

Não andavam de acordo com os preceitos passados pelo apóstolo, nem davam a devida atenção. As pessoas que receberam o evangelho e que professam sujeitar-se a ele devem viver de acordo com esse evangelho. Se não o fizerem, são consideradas pessoas desregradas.

Em particular, havia entre eles algumas pessoas ociosas e que faziam coisas vãs (2 Tessalonicenses 3.11).

O apóstolo foi informado a esse respeito de fontes tão seguras que tinha razão suficiente para dar ordens e orientações com relação a essas pessoas, como deveriam se comportar, e como a igreja deveria agir em relação a eles.

Havia algumas pessoas no meio deles que eram ociosas, não trabalhando, ou fazendo coisa alguma. Não parece que eram glutões ou beberrões, mas ociosos, e, portanto, pessoas desregradas.

A Importância do Trabalho

Não basta alguém dizer que não faz mal a ninguém, porque exige-se de todas as pessoas que façam o bem no local e no meio no qual a Providência as colocou.

É provável que essas pessoas tivessem uma noção (ao interpretar mal algumas passagens da epístola anterior) referente à proximidade da vinda de Cristo, que serviu de pretexto para desistir do trabalho do seu chamado e viver em ociosidade.

É um grande erro, ou abuso de religião, torná-la um pretexto para a ociosidade ou para qualquer outro pecado.

Se tivéssemos certeza de que o dia do julgamento estivesse bem próximo, deveríamos, não obstante, fazer a obra do dia no seu dia. Para que quando o Senhor chegasse, nos encontrasse servindo assim.

O servo que espera pela vinda do seu Senhor da maneira certa deve trabalhar da forma como seu Senhor mandou, para que todos estejam preparados quando ele vier.

Ou, pode ser que essas pessoas desregradas faziam de conta que a liberdade por meio da qual Cristo as havia libertado as liberava dos serviços e afazeres dos seus chamados específicos no mundo.

Chamados Por Deus

Ao passo que deveriam ficar na vocação em que foram chamados por Deus, e no estado em que foram chamados de Deus (1 Coríntios 7.20,24).

A assiduidade em nosso chamado específico como pessoas é um dever requerido pelo nosso chamado geral como cristãos.

Ou, talvez, a caridade geral que havia então entre os cristãos em relação aos seus irmãos pobres favorecia alguns a viver em ociosidade, uma vez que sabiam que a igreja iria sustentá-los.

Qualquer que tenha sido a causa, eles precisavam ser seriamente censurados. Havia pessoas no meio deles que faziam coisas vãs (ou, que se intrometiam na vida alheia).

E parece, pela conexão, que as mesmas pessoas que eram ociosas também faziam coisas vãs. Isso pode parecer uma contradição; mas muitas vezes as pessoas que não têm uma atividade própria, ou que a negligenciam, se ocupam com o trabalho alheio.

Ocupe a Mente

Se estivermos ociosos, o Diabo e um coração corrupto logo acharão algo para fazermos. A mente de uma pessoa é uma coisa ocupada; se não está ocupada em fazer o bem, fará o mal.

Pessoas intrometidas são andarilhos desregrados, como aqueles que são culpados de curiosidade inútil e se intrometem de maneira inoportuna nas coisas que não lhes diz respeito, e importunam a si mesmos e aos outros com questões de outras pessoas.

O apóstolo adverte Timóteo (1 Timóteo 5.13) para guardar-se daqueles que aprendem também a andar ociosos de casa em casa; e não são só ociosos, mas também paroleiros e curiosos, falando o que não convém.

As boas leis que se originaram dessas condutas más, que devemos observar a origem dessas leis: elas são ordens dos apóstolos do nosso Senhor, dadas em nome do seu Senhor e nosso, isto é, as ordens do próprio Senhor.

Mandamos-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo (2 Tessalonicenses 3.6). Novamente: Mandamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo (2 Tessalonicenses 3.12).

O apóstolo usa palavras de autoridade e súplica: e, onde desordens precisam ser corrigidas ou prevenidas, existe uma necessidade das duas. A autoridade de Cristo deveria nos compelir à obediência, e sua graça e bondade deveriam nos fascinar.

O Objetivo das Boas Leis e Regras

O apóstolo dá orientações para toda a Igreja, ordens às pessoas desordeiras e uma exortação àqueles em particular que faziam bem no meio deles.

Suas ordens e orientações a toda a igreja referentes à conduta deles em relação às pessoas desordeiras que estavam no meio deles.

Eles deveriam apartar-se delas, e mais tarde, notar essas pessoas, e não se misturar com elas, para que se envergonhem. Todavia, não tê-las como inimigas, mas admoestá-las como irmãos.

As orientações do apóstolo devem ser cuidadosamente observadas em nossa conduta com pessoas desregradas. Devemos ser muito cautelosos em relação à repreensão da igreja e disciplina da igreja. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Evania disse:

    Fui muito abençoada, com este estudo,obg Jesus abençoe!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.