Em 2 Timóteo 3, Paulo dá uma descrição profética de como será o comportamento da humanidade nos últimos dias. Ele apresenta uma lista detalhada das características malignas que habitarão o coração da humanidade. Ele alerta para o comportamento dos impostores da fé, e se alegra pelo fato de Timóteo seguir de perto o seu exemplo.

Por fim, ele mostra como devemos nos apegar as Escrituras Sagradas. Elas são suficientes para o crescimento, desenvolvimento e amadurecimento do cristão. Ela é a voz de Deus, ministrada pelo Espírito Santo nos dias atuais.

Esboço de 2 Timóteo 3:

2 Timóteo 3.1 – 5: A maldade da humanidade nos últimos dias

2 Timóteo 3.6 – 9: O comportamento dos impostores da verdade

2 Timóteo 3.10 – 13: Timóteo segue o exemplo de Paulo

2 Timóteo 3.14 – 17: Autoridade e inspiração da Palavra de Deus

 

Dias Terríveis

“Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis”. (2 Timóteo 3:1)

Timóteo precisa saber que nos últimos dias, nos tempos do evangelho, sobrevirão tempos trabalhosos. Embora os tempos do evangelho fossem tempos de restauração em muitos sentidos, ele precisa saber que mesmo nos tempos do evangelho haveria tempos trabalhosos.

Não tanto por causa de perseguição de fora, mas por causa das corrupções internas. Esses seriam tempos difíceis, em que seria complicado para uma pessoa manter uma boa consciência.

O apóstolo não diz: “Tempos trabalhosos virão, porque judeus e gentios se unirão para erradicar o cristianismo”; mas: “tempos trabalhosos virão, porque esses que têm aparência de piedade (v. 5) serão corruptos e perversos e farão um grande mal à Igreja”.

Dois traidores dentro da guarnição podem fazer mais estrago a ela do que dois mil sitiadores do lado de fora. Tempos trabalhosos virão, porque as pessoas serão más.

O Pecado Torna os Tempos Trabalhosos

Quando há uma corrupção geral de conduta e de temperamento nas pessoas, isso torna os tempos perigosos para se viver; porque é difícil manter nossa integridade no meio da corrupção geral.

A vinda de tempos trabalhosos é uma evidência da verdade das predições bíblicas. Se o acontecimento nesse sentido não correspondesse à profecia, podíamos ser tentados a questionar a divindade da Bíblia.

Estamos todos preocupados em conhecer essas coisas, em crer e considerá-las, para que não sejamos surpreendidos quando virmos os tempos trabalhosos: Sabe, porém, isto.

Paulo conta a Timóteo qual é o motivo que tornaria esses tempos trabalhosos, ou quais serão as marcas e sinais por meio dos quais esses tempos serão conhecidos.

O Amor-Próprio Tornará os Tempos Trabalhosos

Quem não ama a si mesmo? Mas, aqui se tem em mente um amor-próprio irregular e pecaminoso. As pessoas amam o seu eu carnal mais do que o seu eu espiritual.

Elas têm prazer em gratificar seus próprios desejos mais do que agradar a Deus e cumprir o seu dever. Em vez da caridade cristã, que cuida do bem-estar dos outros, elas somente se preocupam consigo mesmas e preferem sua própria gratificação à edificação da Igreja.

A Avareza

O amor-próprio traz consigo uma sucessão de pecados e prejuízos. Quando as pessoas são amantes de si mesmas, nenhum bem pode ser esperado delas, porque todo bem deve ser esperado daquelas que amam a Deus de todo coração.

Quando a avareza geralmente prevalece, cada pessoa busca obter mais e manter aquilo que tem. Isso torna as pessoas perigosas umas para as outras e obriga a cada uma delas ficar de prontidão em relação ao seu próximo.

Orgulho e Vanglória

Os tempos são trabalhosos quando as pessoas, sendo orgulhosas de si mesmas, são presunçosas e blasfemas; blasfemas diante das pessoas a quem desprezam e as quais olham com escárnio, e blasfemas de Deus e do seu nome.

Quando as pessoas não temem a Deus, não respeitam as pessoas, e vice-versa. Quando os filhos são desobedientes aos pais e não cumprem as obrigações para com eles tanto no dever quanto na gratidão.

E frequentemente nos interesses, tendo sua dependência deles e sua expectativa deles, eles tornam os tempos trabalhosos; pois, que tipo de maldade não cometerão aqueles que são abusivos contra os seus próprios pais e se rebelam contra eles?

Ingratidão e Profanação

Ingratidão e profanação tornam os tempos trabalhosos, e essas duas geralmente andam juntas.

Por qual motivo as pessoas se tornam profanas e sem temor a Deus, sendo ingratas em relação às misericórdias de Deus? A ingratidão e a impiedade andam juntas.

Não tem como chamar alguém com um nome pior do que chamá-lo de ingrato. Ingrato e impuro, corrompido com desejos carnais, que é um exemplo de grande ingratidão para com esse Deus que proveu tão bem para a manutenção do corpo.

Abusamos dos seus dons, se os tornamos o alimento e combustível para os nossos desejos.

Sem Afeto Natural

“Sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem” (2 Timóteo 3.3)

Os tempos são trabalhosos quando as pessoas não buscam andar de acordo com a natureza ou honestidade comum, quando estão sem afeto natural e são irreconciliáveis.

Existe um afeto natural em todos. Onde quer que haja a natureza humana, deveria haver humanidade ou humanitarismo para com aqueles da mesma natureza, mas especialmente entre os familiares.

Os tempos são trabalhosos quando os filhos são desobedientes aos seus pais e quando os pais não demonstram o afeto natural pelos filhos. Veja o tipo de corrupção da natureza que o pecado é, como destitui as pessoas daquilo que a natureza implantou nelas para a manutenção da sua própria espécie.

Pois o afeto natural dos pais pelos filhos é o que contribui muito para a conservação da humanidade na terra. Não é de admirar que essas pessoas que não estão ligadas por afetos naturais não estejam ligadas às alianças e pactos mais solenes.

Elas são irreconciliáveis, ou implacáveis, que não se importam com os compromissos que assumiram. Os tempos são trabalhosos quando as pessoas são caluniadoras umas com as outras.

“Endiabrados”

Diaboloi – diabos uns com os outros, não se importando com o bom nome dos outros, ou com as obrigações religiosas de um voto ou juramento, mas achando que têm toda liberdade de pensar e falar o que bem desejarem (SaImos 12.4).

Quando as pessoas não têm controle sobre si mesmas e sobre seus próprios apetites: não têm controle em relação aos seus próprios apetites, porque são incontinentes; em relação às suas próprias paixões, porque são cruéis.

Quando não há governo sobre seus próprios espíritos, e, portanto, são como uma cidade que está destruída e não tem paredes. Elas logo são incendiadas diante da menor provocação.

Quando aquilo que é bom e deveria ser honrado é geralmente desprezado e visto com desdém. E o orgulho dos perseguidores quando olham com desdém para pessoas justas, embora sejam melhores do que seus vizinhos.

Quando as pessoas são geralmente traiçoeiras, obstinadas e arrogantes, os tempos são trabalhosos (v. 4) – quando as pessoas são traidoras, obstinadas, orgulhosas.

Nosso Salvador predisse que o irmão entregaria à morte o irmão, e o pai, o filho (Mateus 10.21), e esses são o pior tipo de traidores. Esses que entregam suas Bíblias a perseguidores eram chamados de traidores, porque traíam a confiança depositada neles.

Quando as pessoas são petulantes e inchadas de orgulho, conduzindo-se desdenhosamente para com todos, e quando esse temperamento geralmente prevalece, os tempos são trabalhosos.

Amigos dos Prazeres

Quando as pessoas geralmente são mais amigas dos deleites do que amigas de Deus. Quando existem mais epicureus do que verdadeiros cristãos, então os tempos são realmente maus.

Deus deve ser amado acima de tudo. É uma mente carnal e cheia de animosidade contra ele, aquela que coloca qualquer coisa na frente dele, especialmente uma coisa tão sórdida como os prazeres carnais.

Quando, não obstante a tudo, essas pessoas têm aparência de piedade (v. 5), são chamadas pelo nome de cristão, batizadas na fé cristã, fazendo da religião um espetáculo.

Mas, independentemente de quão plausível aparenta ser sua piedade, negam a eficácia dela. Quando elas tomam sobre si a aparência que deveriam trazer e traria junto consigo a eficácia, elas separam aquilo que Deus uniu.

Elas simulam a aparência de piedade, para tirar o seu opróbrio; mas não se submetem à eficácia dela, para tirar o seu pecado.

As pessoas podem ser muito más e perversas em relação à profissão de fé; elas podem ser amantes de si mesmas etc., mas ter a aparência de piedade.

A aparência da piedade é uma coisa muito diferente do que a eficácia dela. As pessoas podem ter uma coisa e estar completamente destituídas da outra.

Sim, elas negam isso, pelo menos de maneira prática na sua vida. Os cristãos justos devem se afastar desse tipo de pessoas. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » QUERO SER UM INSCRITO!

Estudos Relacionados

3 COMENTÁRIOS

  1. a paz de CRISTO meu irmão DIEGO NASCIMENTO ótimo Estudo, que o SENHOR continue te abençoando e lhe dando o conhecimento DEVIDO.fica na paz o senhor e a toda a sua família.

  2. Ótimo estudo
    Pois é bastante edificante
    Pois consegui edificar o meu
    Conhecimento. E ainda tirei uma ótima mensagem do estudo .

    Graça e paz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here