Apocalipse - Bíblia de Estudo Online

Apocalipse 1, começa com a identificação da origem da mensagem, é uma revelação da parte de Jesus Cristo sobre as coisas que vão acontecer, antes do fim.

O autor se apresenta como João, o mesmo que escreveu um dos Evangelhos que leva este nome. Assim como no livro, ele apresenta Jesus como a Palavra de Deus e diz que bem-aventurados são os leem, ouvem e guardam as palavras desta revelação.

O destinatário de Apocalipse são sete Igrejas que estavam localizadas na Ásia. O autor as saúda com graça e paz da parte de Deus.

João declara que o autor da mensagem, Jesus Cristo está prestes a voltar porque Ele é o início e o final de todas as coisas, inclusive da história da humanidade.

Tudo começa e termina em Cristo.

João nos diz que estava em Patmos quando recebeu a revelação, localizada na costa da Ásia Menor (atual Turquia). Ele estava lá por causa da Palavra de Deus, isto é, ele estava em exilado. A Ilha era uma espécie de prisão.

As aflições que atingiam os crentes de todo o mundo, também o atingiram, por isso ele diz que é “companheiro nos sofrimentos”.

Em meio às suas tribulações, o Senhor Jesus se revela a João, no “dia do Senhor”, isto é, no domingo. A igreja do primeiro século chamava este de “o primeiro dia da semana”. João o chama assim, porque foi no domingo que Jesus ressuscitou.

O Senhor se revela em Apocalipse não mais como o servo sofredor, mas glorificado. Cheio de glória e majestade. Ao vê-Lo, imediatamente o apóstolo desfalece diante de Jesus.

Assim como a Daniel, lhe diz: “Não tenha medo”.

Não precisamos temer a revelação da glória de Deus, o Senhor é bom, nos ama e quer nos mostrar seus segredos.

Jesus diz a João que ele deve escrever tudo o que está prestes a ouvir e enviar às sete Igrejas da Ásia. Aqui o apóstolo estava em êxtase espiritual, algo semelhante ao que aconteceu a Pedro, quando teve a visão na casa de Cornélio (Atos 10:9-10) e Paulo, quando estava no templo em Jerusalém (Atos 22:17,18).

Esboço de Apocalipse 1:

1.1 – 6: Saudação

1.7,8: O Alfa e o Ômega

1.9 – 11: Carta às Sete Igrejas da Ásia

1.12 – 17: A visão de Jesus Glorificado

1.18 – 20: Sou Aquele que vive

Apocalipse 1.1 – 6: Saudação

1 Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer. Ele enviou o seu anjo para torná-la conhecida ao seu servo João,

2 que dá testemunho de tudo o que viu, isto é, a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo.

3 Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam o que nela está escrito, porque o tempo está próximo.

4 às sete igrejas da província da Ásia: A vocês, graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, dos sete espíritos que estão diante do seu trono,

5 e de Jesus Cristo, que é a testemunha fiel, o primogênito dentre os mortos e o soberano dos reis da terra. Ele nos ama e nos libertou dos nossos pecados por meio do seu sangue,

6 e nos constituiu reino e sacerdotes para servir a seu Deus e Pai. A ele sejam glória e poder para todo o sempre! Amém.

Apocalipse 1.7,8: O Alfa e o Ômega

7 Eis que ele vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todos os povos da terra se lamentarão por causa dele. Assim será! Amém.

8 “Eu sou o Alfa e o Ômega”, diz o Senhor Deus, “o que é, o que era e o que há de vir, o Todo-poderoso.”

Apocalipse 1.9 – 11: Carta às Sete Igrejas da Ásia

9 Eu, João, irmão e companheiro de vocês no sofrimento, no Reino e na perseverança em Jesus, estava na ilha de Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus.

10 No dia do Senhor achei-me no Espírito e ouvi por trás de mim uma voz forte, como de trombeta,

11 que dizia: “Escreva num livro o que você vê e envie a estas sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia”.

Apocalipse 1.12 – 17: A visão de Jesus Glorificado

12 Voltei-me para ver quem falava comigo. Voltando-me, vi sete candelabros de ouro

13 e entre os candelabros alguém “semelhante a um filho de homem”, com uma veste que chegava aos seus pés e um cinturão de ouro ao redor do peito.

14 Sua cabeça e seus cabelos eram brancos como a lã, tão brancos quanto a neve, e seus olhos eram como chama de fogo.

15 Seus pés eram como o bronze numa fornalha ardente e sua voz como o som de muitas águas.

16 Tinha em sua mão direita sete estrelas, e da sua boca saía uma espada afiada de dois gumes. Sua face era como o sol quando brilha em todo o seu fulgor.

17 Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Então ele colocou sua mão direita sobre mim e disse: Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último.

Apocalipse 1.18 – 20: Sou Aquele que vive

18 Sou Aquele que Vive. Estive morto mas agora estou vivo para todo o sempre! E tenho as chaves da morte e do Hades.

19 Escreva, pois, as coisas que você viu, tanto as presentes como as que acontecerão.

20 Este é o mistério das sete estrelas que você viu em minha mão direita e dos sete candelabros: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candelabros são as sete igrejas.

6 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here