Apocalipse 19 Estudo: O Casamento do Cordeiro

Em primeiro lugar, em Apocalipse 19, observe que esse segmento pertence aos dois capítulos anteriores (17 e 18) que descrevem a grande prostituta e a queda da Babilônia.

No entanto, enquanto esses capítulos registram a morte da Babilônia, a Grande, com cânticos de condenação e destruição, os primeiros dez versículos do capítulo 19 estão em total contraste com os outros.

Esse segmento contém o coro de aleluia de um número incontável de santos, dos 24 anciãos e das quatro criaturas viventes. A propósito, a palavra hebraica aleluia (louve a Deus), não aparece em nenhum outro lugar do Novo Testamento, mas apenas aqui no Apocalipse (19.1, 3, 4, 6).

Em seguida, na primeira parte do capítulo 19, João retrata uma imagem no céu em que a multidão celestial canta hinos de júbilo. Nesses hinos, eles observam que Deus julga o povo com base na verdade e na justiça; ele vinga o sangue dos santos; ele envia para o inferno as forças anticristãs e a fumaça deles sobe para todo o sempre.

E o círculo íntimo de anciãos e criaturas ao redor do trono de Deus expressa o consentimento deles com “Amém, Aleluia!”. Um deles até mesmo ordena que todos louvem a Deus.

Apocalipse 19: A Igreja e a Grande Prostituta

O último hino é o mais significativo, pois está relacionado com o casamento do Cordeiro com a sua noiva, a saber, os santos vestidos de linho fino. Agora, observe o contraste.

A grande prostituta, que não tem marido e está vestida em brilhos rutilantes, enfrenta uma perda irreparável; é deixada nua e é queimada (17.16). A noiva do Cordeiro celebra o seu casamento com o seu esposo, vestida de linho fino que é brilhante e puro (19.7–8).

A igreja, personificada como a noiva, nunca mais terá que atentar para o fingimento e a falsidade vindos da prostituta.

“Adore a Deus!”

A cena muda do céu para a terra, onde um anjo instrui João a registrar as bem-aventuranças do convite do casamento: “Felizes aqueles que foram convidados para o banquete do casamento do Cordeiro”.

Evitando que João o reverenciasse, o anjo diz a ele para adorar a Deus. De fato, a responsabilidade de cada santo é adorar a Deus, resumido sucintamente na pergunta e resposta de um catecismo do século 17: “Qual é o fim principal do homem? O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre”. (1)

Esboço de Apocalipse 19:

Apocalipse 19.1 – 5: Três hinos e uma ordem

Apocalipse 19.6 – 9: O casamento

Apocalipse 19.10: Adoração

Apocalipse 19.11 – 16: O cavaleiro e seus exércitos

Apocalipse 19.17 – 21: A batalha decisiva contra o anticristo

 

Apocalipse 19.1 – 5: Três hinos e uma ordem

1 Depois disso ouvi nos céus algo semelhante à voz de uma grande multidão, que exclamava: Aleluia! A salvação, a glória e o poder pertencem ao nosso Deus,

2 pois verdadeiros e justos são os seus juízos. Ele condenou a grande prostituta que corrompia a terra com a sua prostituição. Ele cobrou dela o sangue dos seus servos.

3 E mais uma vez a multidão exclamou: “Aleluia! A fumaça que dela vem, sobe para todo o sempre”.

4 Os vinte e quatro anciãos e os quatro seres viventes prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, e exclamaram: “Amém, Aleluia!”

5 Então veio do trono uma voz, conclamando: “Louvem o nosso Deus, todos vocês, seus servos, vocês que o temem, tanto pequenos como grandes!”

Apocalipse 19.6 – 9: O casamento

6 Então ouvi algo semelhante ao som de uma grande multidão, como o estrondo de muitas águas e fortes trovões, que bradava: Aleluia! , pois reina o Senhor, o nosso Deus, o Todo-poderoso.

7 Regozijemo-nos! Vamos alegrar-nos e dar-lhe glória! Pois chegou a hora do casamento do Cordeiro, e a sua noiva já se aprontou.

8 Para vestir-se, foi-lhe dado linho fino, brilhante e puro. O linho fino são os atos justos dos santos.

9 E o anjo me disse: “Escreva: Felizes os convidados para o banquete do casamento do Cordeiro!” E acrescentou: “Estas são as palavras verdadeiras de Deus”.

Apocalipse 19.10: Adoração

10 Então caí aos seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: “Não faça isso! Sou servo como você e como os seus irmãos que se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus. Adore a Deus! O testemunho de Jesus é o espírito de profecia”.

Apocalipse 19.11 – 16: O cavaleiro e seus exércitos

11 Vi os céus abertos e diante de mim um cavalo branco, cujo cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro. Ele julga e guerreia com justiça.

12 Seus olhos são como chamas de fogo, e em sua cabeça há muitas coroas e um nome que só ele conhece, e ninguém mais.

13 Está vestido com um manto tingido de sangue, e o seu nome é Palavra de Deus.

14 Os exércitos dos céus o seguiam, vestidos de linho fino, branco e puro, e montados em cavalos brancos.

15 De sua boca sai uma espada afiada, com a qual ferirá as nações. “Ele as governará com cetro de ferro.” Ele pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus todo-poderoso.

16 Em seu manto e em sua coxa está escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.

Apocalipse 19.17 – 21: A batalha decisiva contra o anticristo

17 Vi um anjo que estava em pé no sol e que clamava em alta voz a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Venham, reúnam-se para o grande banquete de Deus,

18 para comerem carne de reis, generais e poderosos, carne de cavalos e seus cavaleiros, carne de todos — livres e escravos, pequenos e grandes.

19 Então vi a besta, os reis da terra e os seus exércitos reunidos para guerrearem contra aquele que está montado no cavalo e contra o seu exército.

20 Mas a besta foi presa, e com ela o falso profeta que havia realizado os sinais milagrosos em nome dela, com os quais ele havia enganado os que receberam a marca da besta e adoraram a imagem dela. Os dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre.

21 Os demais foram mortos com a espada que saía da boca daquele que está montado no cavalo. E todas as aves se fartaram com a carne deles.

Referências

  1. Kistemaker, S. (2014). Apocalipse. (J. Hack, M. Hediger, & M. Lane, Trads.) (2a edição, p. 659–660). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here