marca_final-01

Atos 2 Estudo: A Descida do Espírito Santo

Em Atos 2 vemos cumprir-se a promessa do Senhor Jesus aos apóstolos, de que o Espírito Santo seria derramado sobre a Igreja sem medida para que revestidos pelo poder de Deus, possamos pregar o Evangelho à todas as nações.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O quinquagésimo dia após o sábado da semana da Páscoa era considerado o Dia de Pentecoste (Atos 2.1-13; Levíticos 23.15,16).

Pentecostes era o nome que se dava a Festa das Semanas, também chamada Festa da Colheita ou, ainda, Festa dos Primeiros Frutos (Deuteronômio 16.10).

Na ocasião os apóstolos estavam reunidos em um só lugar, quando de repente um vento muito forte encheu toda a casa.

Este vento é a representação do Espírito Santo de Deus: poderoso, soberano e completamente livre (Ver o Estudo Bíblico Sobre Avivamento Espiritual).

Atos 2 e o verdadeiro arrependimento

Após o derramamento do Espírito Santo, todos eles “começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava”. E todos os estrangeiros que ali estavam, os entendia em sua própria língua (Atos 2.14 – 21).

A multidão ficou completamente perplexa com o ocorrido. Mas alguns zombadores os acusaram de embriaguez.

Neste momento, o apóstolo Pedro toma a palavra e explica o que está acontecendo, “isto é o que foi predito pelo profeta Joel”: ““Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos…””

A promessa do derramamento do Espírito Santo feita por Joel (Joel 2.28), a qual Jesus Cristo lhes ordenou que aguardasse, começou naquele dia.

A pregação de Pedro

Após isso, Pedro começa a pregar. Ele apresenta a Jesus Cristo como o Messias prometido. Ele endossa seu argumento, lembrando a todos dos milagres, maravilhas e sinais que Deus operou por intermédio dele (Atos 2.22- 36).

Pedro expõe que a morte foi algo planejado por Deus, visto que a morte não pôde detê-lo. E a sua ressurreição não foi uma farsa, mas sim o resultado da glória de Deus.

Após a pregação de Pedro, milhares de pessoas se perguntavam: “Irmãos, que faremos?”. Simão expõe a necessidade de arrependimento, confissão pública e batismo (Atos 2.37 – 41).

Assim, naquele dia cerca de mil pessoas tomaram essa decisão e forma acrescentadas a Igreja.

A vida dos primeiros cristãos era marcada pela comunhão (Ver Estudo Comunhão Entre os Irmãos). Embora simples, era um estilo de vida onde todos tinham tudo em comum e não lhes faltava nada (Atos 2.42 – 47).

Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos, não eram apenas ouvintes mas sim praticantes, a consequência disso é que sinais prodígios e maravilhas eram manifestados através dos apóstolos devido a poderosa presença de Deus entre eles.

Atos 2 e a descida do Espírito Santo

Em Atos 2.1 Lucas escreveu que “Eles estavam todos reunidos em um único lugar”. Pode ser que eles estivessem nas imediações do santuário.

Contudo, o lugar é chamado de “casa” (Atos 2.2), uma designação incerta para o templo, ainda que possa ser descrito como uma casa.

Se eles não estavam reunidos no santuário, eles deveriam estar próximos a ele. As referências a “vento” e “fogo” são significativas.

A palavra para “Espírito” é traduzida como “vento” aqui.

O barulho como o poder de um vento intenso vindo do céu aponta para a autoridade do Espírito Santo e a completude de Sua presença. Enquanto as línguas de fogo retratam a glória de Deus.

Diversas vezes no Antigo Testamento, Deus se revelou por meio das chamas, como vemos na sarça como Moisés (Êxodo 3).

O selo do Espírito Santo é distinto do batismo do Espírito. O selo do Espírito acontece uma vez para cada cristão na hora da conversão como vemos em Atos 11.15-16 e Romanos 6.3.

Já o batismo do Espírito pode acontecer não somente na conversão, mas em diversas ocasiões após a conversão (Atos 4.8,31).

Uma das comprovações do batismo no Espírito Santo eram outras a presença das línguas.

O nascimento da Igreja

Foi no Pentecostes em Atos 2 que a igreja, então, passou a viver existir. Alguns dos judeus que estavam em Jerusalém para a festividade eram bilíngues, falando grego e suas línguas nativas.

Eles ficaram perplexos ao escutar judeus da Galileia falando as línguas dos povos que cercavam o mar Mediterrâneo.

O que precisamos entender é se somente os Doze falaram em línguas ou todos os 120. Diversos elementos apoiam a ideia de somente os Doze estarem incluídos neste episódio.

O assunto que as testemunhas discutiram em todas essas línguas foram as maravilhas de Deus. Parece que eles estavam louvando ao Senhor.

Suas palavras não eram de lamentação, também não era o evangelho. Incapazes de esclarecer este milagre, os judeus incrédulos ficaram perplexos, e alguns começaram a zombar e dizer: “Eles beberam vinho demais”.

15 COMENTÁRIOS

  1. no capitulo 1°de Atos
    a ordem de Deus foi pra ficar em jerusalém
    até que do alto seja revestido de poder

    NESSA AULA APRENDI QUE PARA APROMESSA SE CUMPRIR EM NOSSAS VIDAS TEMOS SER OBEDIENTE SE OS DICIPULOS NÃO FICASSEM EM JERUSALÉM A PROMESSSA NÃO IRIA SE CUMPRIR,O ANJO FALA COMOS DOIS VAÕES GALILEUS PARA QUE ELES VOLTASSEM PRO LOCAL OU PARA O LUGAR QUE JESUS LHE AVIA DITO ONDE A PROMESSA IRIA SE CUMPRIRI,OS PLANOS dE DEUS NÃO FALHA NÓS PODEMOS FALHAR MAIS A PALAVRA QUE SAI DA BOCA DE DEUS NÃO FALHA……

  2. Muito inportante gratificante esse estudo Deus escolhe homem cheio inspirado por Deus como no passado meu irmão vc e um vazo nas mãos do Olhereiro muito obrigado por mim da esta alegria de compartilhar com este maravilhozo estudo

  3. Oi Diego, graça e paz irmão.
    Primeiro parabéns pelo ministério. Deus continue te usando e capacitando para Sua honra e Sua Glória. Amém.

    É importante observar que o “falar em línguas estranhas” em pentecostes não se tratava em falar de línguas nunca antes conhecidas pela humanidade e sim em falar línguas que os apóstolos até então não tinham domínio porém eram conhecidas de outras nacionalidades.

    Há muita distorção e confusão no meio evangélico sobre o uso, o propósito e o significado deste dom a quem lhe é dado, o que leva em grande escala ao descrédito dos evangélicos para os gentis não convertidos, julgamentos e divisão entre irmãos que confessam Cristo como Senhor e Salvador. Isso é muito sério e muito grave!!!

    Essas considerações sobre o uso, o propósito e o significado deste dom a quem lhe é dado, são “claramente” evidênciados nesta passagem não deixando nenhuma sombra de dúvida.

  4. aos amados irmaos a paz; permit so aguçar vosso conhecimento, imagine quase tres mil almas em uma casa ;maravilha pois no vers 13 eles zomba e afirma a embriagues dos irmaos e no vers14 pedro começa a grande pregaçao ; concordo com vcs so pra meditar bençao.

  5. Olá, na verdade não foi um vento que ancheu toda a casa e os batizou com o Espírito Santo. Não houve vento algum. Na verdade se ouviu um barulho vindo do céu que parecia de um vento impetuoso. A única coisa que realmente viram foram coisas parecidas como chamas de fogo.

  6. Meu irmão a paz, primeiramente parabéns por sua iniciativa de postar estudos bíblicos, não podemos perder oportunidades.

    Acredito que nunca saberemos tudo e precisamos estar sempre em constatante busca, por isso preciso comentar sobre o estudo, queria eu ter uma outra via para te dizer isto em particular, mas talvez este equivoco seja de muitos, então necessário esclarece que:

    Atos c2:v2 E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

    Note que o versículo trás que ocorreu um som como de um vento, mas não há vento nesta ação…Vejo pessoas que sopram em microfones, assimilam vento com o Espirito, acredito que este versículo esta tentando dimensionar o poder e a liberdade do Espirito, mas se não observarmos os detalhes corremos o risco de incorremos em erros…

    A paz Att Vanderson

      • Que a Paz de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com você e com todos!
        Me permita esclarecer que JO 3:8 não associa vento ao Espirito Santo. Só o fato do próprio texto afirmar que “o homem -no contexto, Nicodemos- não saber de onde o vento vem e nem para onde vai” já dificulta associar o vento ao Espirito Santo, pois sabemos de onde o Espirito Santo vem e para vai (junto com a igreja, pela qual Ele veio).
        Alem disso, o contexto do versículo está falando do novo nascimento.
        Então, na verdade, quem é comparado ao vento, nesse texto, não é o Espirito Santo, mas sim aquele que nasce do Espirito, no sentido de que, assim como o vento não tem governo prórprio, assim tambem é todo aquele que é nascido do Espirito.

  7. Olá, estamos estudando na EBD da minha igreja o livro de Atos dos Apóstolos. Vendo o seu artigo, algumas questões se colocam para mim: como se conclui ser o Templo o local onde os discípulos estão (Até 2:2 refere-se a casa). E foram três mil pessoas.
    Vc entende que o Espírito Santo já atuava antes deste episódio, como no Paraíso, na tempestade do mar, etc?

    • Paz Luís!

      De fato, cometi um erro mas já concertei. Eles estavam reunidos em um só lugar, em uma casa. Contudo, eles possuíam o hábito de se reunir todos os dias, no Templo e nas casas como está escrito em Atos 5.42.

      Com relação a atuação do Espírito Santo, eu creio que sim. Eu falo melhor sobre isso no Estudo Bíblico Sobre o Espírito Santo.

      Deus abençoe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.

});