Cânticos 5 Estudo: O Amado Se Foi

Em um sonho (eu dormi, mas meu coração estava acordado; cf. outro sonho registrado, 3:1-4), a esposa foi abordada por seu marido (Cânticos 5:2). O fato de que a amante não a chama mais de “minha noiva” indica que há um lapso de tempo entre o verso 1 (a noite de núpcias) e o versículo 2.

O casal não deve mais ser considerado recém-casado. Mas ele se dirigiu a ela por outros termos afetuosos: minha irmã, minha querida, minha pomba e minha linda (cf. 4:7). Este é o primeiro registro dele usando todos esses termos de afeto (Cânticos 5:2).

Sua cabeça e cabelo estavam cobertos de orvalho, como ele fora do lado de fora. Orvalho em Israel era frequentemente pesado.

Ela disse em seu sonho que ela já estava pronta para dormir. Mas essa desculpa trivial de não abrir a porta revelou sua indiferença ou apatia em relação ao marido. De alguma forma, ela havia se acalmado com os avanços dele. Mas ele não aceitou a desculpa dela. Ele tentou abrir a porta, mas falhou e depois saiu.

Então seu amor foi despertado por ele, e ela decidiu abrir a porta. A expressão hebraica traduzida em “meu coração começou a bater por ele” é usada em outros lugares para expressar compaixão (por exemplo, Isaías 16:11; Jeremias 31:20). Não foi usado para expressar excitação sexual como alguns estudiosos mantiveram. (1)

Esboço de Cânticos 5:

5.1 – 6: O Amado se foi

5.7 – 10: Ele é destacado

5.11 – 16: Admiração pelo Amado

Cânticos 5.1 – 6: O Amado se foi

1 Entrei em meu jardim, minha irmã, minha noiva; ajuntei a minha mirra comas minhas especiarias. Comi o meu favo e o meu mel; bebi o meu vinho e o meu leite. Comam, amigos, bebam quanto puderem, ó amados!

2 Eu estava quase dormindo, mas o meu coração estava acordado. Escutem! O meu amado está batendo. Abra-me a porta, minha irmã, minha querida, minha pomba, minha mulher ideal, pois a minha cabeça está encharcada de orvalho, o meu cabelo, da umidade da noite.

3 Já tirei a túnica; terei que vestir-me de novo? Já lavei os pés; terei que sujá-los de novo?

4 O meu amado pôs a mão por uma abertura da tranca; meu coração começou a palpitar por causa dele.

5 Levantei-me para abrir-lhe a porta; minhas mãos destilavam mirra, meus dedos vertiam mirra, na maçaneta da tranca.

6 Eu abri, mas o meu amado se fora; o meu amado já havia partido. Quase desmaiei de tristeza! Procurei-o, mas não o encontrei. Eu o chamei, mas ele não respondeu.

Cânticos 5.7 – 10: Ele é destacado

7 As sentinelas me encontraram enquanto faziam a ronda na cidade. Bateram-me, feriram-me; e tomaram o meu manto, as sentinelas dos muros!

8 Ó mulheres de Jerusalém, eu as faço jurar: se encontrarem o meu amado, que dirão a ele? Digam-lhe que estou doente de amor.

9 Que diferença há entre o seu amado e outro qualquer, ó você, das mulheres a mais linda? Que diferença há entre o seu amado e outro qualquer, para você nos obrigar a tal promessa?

10 O meu amado tem a pele bronzeada; ele se destaca entre dez mil.

Cânticos 5.11 – 16: Admiração pelo Amado

11 Sua cabeça é como ouro, o ouro mais puro; seus cabelos ondulam ao vento como ramos de palmeira; são negros como o corvo.

12 Seus olhos são como pombas junto aos regatos de água, lavados em leite, incrustados como joias.

13 Suas faces são como um jardim de especiarias que exalam perfume. Seus lábios são como lírios que destilam mirra.

14 Seus braços são cilindros de ouro com berilo neles engastado. Seu tronco é como marfim polido adornado de safiras.

15 Suas pernas são colunas de mármore firmadas em bases de ouro puro. Sua aparência é como o Líbano; ele é elegante como os cedros.

16 Sua boca é a própria doçura; ele é mui desejável. Esse é o meu amado, esse é o meu querido, ó mulheres de Jerusalém.

 

Referências:

Deere, J. S. (1985). Song of Songs. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 1020). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here