Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Colossenses Estudo: Carta de Paulo aos Colossenses

Paulo escreveu a carta aos colossenses, principalmente por dois motivos: 1º. combater os falsos ensinos em Colossos, que estavam suplantando a centralidade e supremacia de Jesus Cristo na criação, na revelação, na redenção e na igreja. 2º Ressaltar a verdadeira natureza da nova vida em Cristo e suas exigências para o crente.

Isto aconteceu, porque a igreja alimentava uma preocupação com a religiosidade e a cerimonia dos ritos judaicos. Os cristãos de Colossos eram muito vulneráveis às crenças místicas e superstições de todos os tipos. Ao escrever a carta Paulo procura combater essa insegurança.

Ele os apresenta a superioridade do sacrifício, da fé, e da soberania de Jesus. Ele é portanto, suficiente e satisfatório na nossa intimidade com Deus.

Esboço de Colossenses

  • Saudação e ação de graças (1.1 -18)
  • Oração de Paulo pelos colossenses (1.9 – 12)
  • Exposição da obra de Deus em Cristo (1.13 – 23)
  1. Quanto à nossa absoluta redenção (1.13,14)
  2. A perfeita excelência em Jesus (1. 15 – 19)
  3. A total reconciliação com Deus (1.20 – 23)
  4. O ministério do apóstolo Paulo (1.24 – 2.3)
  • Paulo expõe e reprova os falsos ensinos (2.4 – 23)
  1. Caminhando diariamente com Cristo (2.4 – 7)
  2. A obra concluída do Filho de Deus (2.8 – 15)
  3. Censura contra o cerimonialismo (2.16 – 23)
  • Como viver a vida cristã (3.1 – 4.6)
  1. Os ressuscitados devem buscar o alto (3.1 -11)
  2. O exercício cotidiano das virtudes cristãs (3.12 – 17)
  3. Os relacionamentos familiares e sociais (3.18 – 4.1)
  4. Exortação à oração e à prática da sabedoria (4.2 – 6)
  • Saudações finais (4.7 – 8)
  1. A missão de Tíquico (4.7 -9)
  2. Saudações dos companheiros (4.10 – 17)
  3. Saudação pessoal e bênção apostólica (4.18)

Colossenses 1: Os Falsos Mestres e a Soberania de Jesus Cristo

Colossenses 2: A Fé e o Sacrifício de Jesus Cristo

Colossenses  3: A Importância de Uma Mente Sadia e do Perdão

Colossenses  4: Oração a Chave Para o Crescimento

 

A Igreja dos Colossenses

Colossos era uma cidade importante da Frigia, e provavelmente não ficava longe de Laodicéia e Hierápolis; encontramos essas duas cidades mencionadas juntas (Colossenses 4.13).

Colossos está agora enterrada em ruínas, e a memória dela está principalmente preservada nesta epístola. A epístola visa adverti-los acerca do perigo dos zelotes judeus, que impunham a necessidade de observar a lei cerimonial, e fortalecê-los contra a mistura da filosofia gentílica com os princípios cristãos.

Ele professa uma grande satisfação com a firmeza e constância deles e os encoraja à perseverança. Essa epístola provavelmente foi escrita na mesma época das epístolas aos Efésios e aos Filipenses, em 62 d.C., e no mesmo lugar, enquanto o apóstolo estava preso em Roma.

Ele não estava inativo no seu confinamento, e a Palavra de Deus não estava presa. Esta epístola, semelhantemente à epístola aos Romanos, foi escrita a pessoas que ele nunca tinha visto, nem conhecia de forma mais pessoal.

A igreja em Colossos não surgiu por meio do ministério de Paulo, mas pelo ministério do evangelista Epafras, ou Epafrodito, alguém que o apóstolo encarregou de pregar o evangelho aos gentios.

O Deus Que Usa a Todos

E, no entanto: Havia uma igreja florescente em Colossos, e ela se tornou famosa entre as igrejas. Talvez alguns pensassem que somente as igrejas que Paulo plantou pudessem florescer.

Porém, aqui havia uma igreja em franco crescimento plantada por Epafras. Deus, às vezes, agrada-se em usar o ministério daqueles que são menos notados, ou possuem dons menos visíveis, pelo fato de realizarem um grande serviço à sua igreja.

Deus usa as mãos que lhe agradam, e não está limitado aos notáveis ou famosos, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós (2 Co 4.7).

Embora Paulo não tenha plantado essa igreja, ele não a negligenciou. Tampouco, ao escrever essa epístola, ele faz acepção alguma entre essa e as outras igrejas.

Os Colossenses, que foram convertidos pelo ministério de Epafras, eram igualmente preciosos para ele, e o apóstolo estava tão preocupado com o bem-estar deles quanto com o bem-estar dos filipenses, ou quaisquer outros que tinham sido convertidos.

Assim, ele honrou um ministro inferior, e nos ensina a não sermos egoístas, nem pensarmos na honra que deixamos de receber.

Aprendemos, pelo seu exemplo, a não considerar descrédito ou depreciação regar o que outros plantaram, ou edificar sobre o fundamento que outros colocaram, como ocorreu com ele mesmo.

Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele (1 Coríntios 3.10). (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.