Bíblia de Estudo Online

Daniel 1 Estudo: A Decisão de Daniel

Em Daniel 1, o profeta nos mostra como os nobres de Israel foram levados como cativos, após a invasão da Babilônia. O objetivo de Nabucodonosor era tornar sua nação cada vez mais poderosa.

Sendo assim, seus primeiros escravos eram as mentes pensantes de cada povo conquistado. Estes deveriam comer e beber a mesma comida que o rei. E durante três anos serem preparados para uma espécie de concurso público federal.

Quando confrontado por essa situação, Daniel e seus amigos decidiram não se contaminar com as comidas e bebidas babilônicas.

Isto é um grande exemplo para nós. Hoje muitos cristãos acreditam que seja normal ingerir bebida alcoólica, participar de banquetes de impiedade, como festas, festivais, etc.

A postura de Daniel nos mostra que não importa onde estamos. Se em casa, na igreja, em outra nação, perto do pastor, enfim. Se eu amar a Deus, eu vou ser fiel a Ele.

A decisão de Daniel agrada a Deus. Este abre as portas para que a decisão do seu servo possa ser mantida. Um dos servos do rei aceita servir apenas legumes e água aos jovens israelitas.

Não estamos sozinhos em nossa jornada cristã. Há um Deus no céu poderoso e disposto a cuidar de nós. Disposto a honrar a fidelidade de seus servos.

Observe que ninguém sugeriu que os jovens deviam fazer isso. Eles podiam pensar: “Deus nos abandonou, nos trouxe para cá como escravos. Quer saber, não importa. Vamos viver como babilônicos agora!”.

Não! Daniel não pensou assim. Mesmo em situação de adversidade ele manteve sua obediência, fidelidade e amor ao Senhor Deus.

Daniel 1 encerra, mostrando a fidelidade de Deus com aqueles que decidem honrá-Lo. Ao examinar os jovens através de perguntas difíceis, comportamento e saúde o rei ficou espantado.

Isto ocorreu porque Daniel, Hananias, Misael e Azarias foram considerados dez vezes melhores que os outros jovens que estavam na Babilônia.

Honre a Deus, que com certeza você encontrará o favor do Senhor. (Ver Daniel Estudo)

Em Daniel 1 veremos:

Daniel 1.1 – 7: Os nobres de Israel como cativos

Daniel 1.8 – 16: A decisão de Daniel

Daniel 1.17 – 21: O favor de Deus

 

Daniel 1.1 – 7: Os nobres de Israel como cativos

1 No terceiro ano do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, Nabucodonosor, rei da Babilônia, veio a Jerusalém e a sitiou.

2 E o Senhor entregou Jeoaquim, rei de Judá, nas suas mãos, e também alguns dos utensílios do templo de Deus. Ele levou os utensílios para o templo do seu deus na terra de Sinear e os colocou na casa do tesouro do seu deus.

3 Depois o rei ordenou a Aspenaz, o chefe dos oficiais da sua corte, que trouxesse alguns dos israelitas da família real e da nobreza:

4 jovens sem defeito físico, de boa aparência, cultos, inteligentes, que dominassem os vários campos do conhecimento e fossem capacitados para servir no palácio do rei. Ele deveria ensinar-lhes a língua e a literatura dos babilônios.

5 De sua própria mesa, o rei designou-lhes uma porção diária de comida e de vinho. Eles receberiam um treinamento durante três anos, e depois disso passariam a servir o rei.

6 Entre esses estavam alguns que vieram de Judá: Daniel, Hananias, Misael e Azarias.

7 O chefe dos oficiais deu-lhes novos nomes: a Daniel deu o nome de Beltessazar; a Hananias, Sadraque; a Misael, Mesaque; e a Azarias, Abede-Nego.

Daniel 1.8 – 16: A decisão de Daniel

8 Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles.

9 E Deus fez com que o homem fosse bondoso para com Daniel e tivesse simpatia por ele.

10 Apesar disso, ele disse a Daniel: “Tenho medo do rei, o meu senhor, que determinou a comida e a bebida de vocês. E se ele os achar menos saudáveis que os outros jovens da mesma idade? O rei poderia pedir a minha cabeça por causa de vocês”.

11 disse então ao homem que o chefe dos oficiais tinha encarregado de cuidar dele e de Hananias, Misael e Azarias:

12 Peço-lhe que faça uma experiência com os seus servos durante dez dias: Não nos dê nada além de vegetais para comer e água para beber.

13 Depois compare a nossa aparência com a dos jovens que comem a comida do rei, e trate os seus servos de acordo com o que você concluir.

14 Ele concordou e fez a experiência com eles durante dez dias.

15 Passados os dez dias, eles pareciam mais saudáveis e mais fortes do que todos os jovens que comiam a comida da mesa do rei.

16 Assim o encarregado tirou a comida especial e o vinho que haviam sido designados e em lugar disso lhes dava vegetais.

Daniel 1.17 – 21: O favor de Deus

17 A esses quatro jovens Deus deu sabedoria e inteligência para conhecerem todos os aspectos da cultura e da ciência. E Daniel, além disso, sabia interpretar todo tipo de visões e sonhos.

18 Ao final do tempo estabelecido pelo rei para que os jovens fossem trazidos à sua presença, o chefe dos oficiais os apresentou a Nabucodonosor.

19 O rei conversou com eles, e não encontrou ninguém comparável a Daniel, Hananias, Misael e Azarias; de modo que eles passaram a servir o rei.

20 O rei lhes fez perguntas sobre todos os assuntos que exigiam sabedoria e conhecimento, e descobriu que eram dez vezes mais sábios do que todos os magos e encantadores de todo o seu reino.

21 permaneceu ali até o primeiro ano do rei Ciro.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.