Deuteronômio - Bíblia de Estudo Online

Se um homem fosse encontrado morto, seja como resultado de homicídio acidental ou homicídio culposo, os anciãos e juízes do tribunal central (17:8–13) deveriam convocar os anciãos da cidade mais próximos do corpo (Deuteronômio 21:1-9).

Com os sacerdotes (presumivelmente também do tribunal central) diante deles, os anciãos daquela cidade deveriam quebrar o pescoço de uma jovem bezerra e declarar sua inocência.

Quebrar o pescoço da novilha simbolizava que o crime merecia pena de morte, e a lavagem das mãos dos anciãos sobre a novilha simbolizava sua inocência no assunto.

Este ritual demonstrou quão valiosa é a vida para Deus. Pois, embora nenhum assassino tenha sido encontrado, a terra e o povo incorreram na culpa de derramar sangue inocente. O sacrifício de animais, acompanhado da petição dos anciãos, fez expiação, isto é, desviou a ira de Deus do povo. (1)

Esboço de Deuteronômio 21:

21.1 – 9: O assassinato de autoria desconhecida

21.10 – 14: O caso das mulheres prisioneiras

21.15 – 17: O direito do primogênito

21.18 – 23: A punição de um filho rebelde

 

Deuteronômio 21.1 – 9: A autoria de assassinato desconhecida

1 Se alguém for encontrado morto no campo, na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá para dela tomarem posse, sem que se saiba quem o matou,

2 as autoridades e os juízes sairão e medirão a distância do corpo até as cidades vizinhas.

3 Então as autoridades da cidade mais próxima do corpo apanharão uma novilha que nunca foi usada no trabalho e sobre a qual nunca foi posto jugo,

4 e a levarão a um vale de terras nunca aradas nem semeadas e onde haja um ribeiro de águas perenes. Vocês quebrarão o pescoço da novilha.

5 Depois, os sacerdotes, descendentes de Levi, se aproximarão, pois o Senhor, o seu Deus, os escolheu para ministrarem e para pronunciarem bênçãos em nome do Senhor e resolverem todos os casos de litígio e de violência.

6 Então todas as autoridades da cidade mais próxima do corpo lavarão as mãos sobre a novilha cujo pescoço foi quebrado no vale,

7 e declararão: “As nossas mãos não derramaram este sangue, nem os nossos olhos viram quem fez isso.

8 Aceita, Senhor, esta propiciação em favor de Israel, o teu povo, a quem resgataste, e não consideres o teu povo culpado do sangue de um inocente”. Assim a culpa do derramamento de sangue será propiciada.

9 Desse modo vocês eliminarão de vocês mesmos a culpa pelo derramamento de sangue inocente, pois fizeram o que o Senhor aprova.

Deuteronômio 21.10 – 14: O caso das mulheres prisioneiras

10 Quando vocês guerrearem contra os seus inimigos e o Senhor, o seu Deus, os entregar em suas mãos e vocês fizerem prisioneiros,

11 um de vocês poderá ver entre eles uma mulher muito bonita, agradar-se dela e tomá-la como esposa.

12 Leve-a para casa; ela rapará a cabeça, cortará as unhas

13 e se desfará das roupas que estava usando quando foi capturada. Ficará em casa e pranteará seu pai e sua mãe um mês inteiro. Depois você poderá chegar-se a ela e tornar-se o seu marido, e ela será sua mulher.

14 Se você já não se agradar dela, deixe-a ir para onde quiser, mas não poderá vendê-la nem tratá-la como escrava, pois você a desonrou.

Deuteronômio 21.15 – 17: O direito do primogênito

15 Se um homem tiver duas mulheres e preferir uma delas, e ambas lhe derem filhos, e o filho mais velho for filho da mulher que ele não prefere,

16 quando der a herança de sua propriedade aos filhos, não poderá dar os direitos do filho mais velho ao filho da mulher preferida, se o filho da mulher que ele não prefere for de fato o mais velho.

17 Ele terá que reconhecer como primogênito o filho da mulher que ele não prefere, dando-lhe porção dupla de tudo o que possui. Aquele filho é o primeiro sinal da força de seu pai e o direito do filho mais velho lhe pertence.

Deuteronômio 21.18 – 23: A punição de um filho rebelde

18 Se um homem tiver um filho obstinado e rebelde que não obedece ao seu pai nem à sua mãe e não os escuta quando o disciplinam,

19 o pai e a mãe o levarão aos líderes da sua comunidade, à porta da cidade,

20 e dirão aos líderes: “Este nosso filho é obstinado e rebelde. Não nos obedece! É devasso e vive bêbado”.

21 En­tão todos os homens da cidade o apedrejarão até a morte. Eliminem o mal do meio de vocês. Todo o Israel saberá disso e temerá.

22 Se um homem culpado de um crime que merece a morte for morto e pendurado num madeiro,

23 não deixem o corpo no madeiro durante a noite. Enterrem-no naquele mesmo dia, porque qualquer que for pendurado num madeiro está debaixo da maldição de Deus. Não contaminem a terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá por herança.

 

Referências:

Deere, J. S. (1985). Deuteronomy. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 300). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here