Deuteronômio 27 Estudo: A Exibição da Lei

A referência a Moisés e aos anciãos provavelmente enfatizava a liderança dos anciãos na cerimônia de renovação da aliança quando a nação entrou na Terra Prometida, pois Moisés não estaria mais por perto para guiá-los (Deuteronômio 27:1).

A escrita de leis sobre “grandes pedras revestidas com gesso” era comum no Egito (Deuteronômio 27:2–4). O significado da frase todas as palavras desta Lei (cf. v. 8) é um pouco incerto, mas à luz do costume egípcio a referência provavelmente foi para todo o Livro do Deuteronômio, em vez de apenas partes dele.

O significado deste ato foi duplo. Primeiro, comemora a fidelidade de Deus em dar-lhes a terra (assim como o Senhor, o Deus de vossos pais, prometeu-lhe). As pedras deveriam ser montadas no monte Ebal (cerca de 56 quilômetros ao norte de Jerusalém), na base da qual estava a cidade de Siquém.

Foi em Siquém que o Senhor primeiro “apareceu” a Abraão e lá Abraão construiu seu primeiro altar ao Senhor (Gn 12: 6–7). A escolha deste local enfatizou a fidelidade de Deus às promessas originais de Abraão e sugeriu que o tempo para o seu completo cumprimento poderia estar próximo, se apenas Israel obedecesse a ele.

Segundo, a redação da Lei quando eles entraram na Terra Prometida simbolizava a missão da nação de trazer Canaã ao domínio da Palavra do Senhor. (1)

Esboço de Deuteronômio 27:

27.1 – 10: A exibição da lei

27.11 – 26: Maldições proferidas do monte Ebal 

 

Deuteronômio 27.1 – 10: A exibição da lei

1 Moisés, acompanhado das autoridades de Israel, ordenou ao povo: Obedeçam a toda esta lei que hoje lhes dou.

2 Quando vocês atravessarem o Jordão, e entrarem na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá, levantem algumas pedras grandes e pintem-nas com cal.

3 Escrevam nelas todas as palavras desta lei, assim que tiverem atravessado para entrar na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá, terra onde há leite e mel com fartura, como o Senhor, o Deus dos seus antepassados, lhes prometeu.

4 E, quando tiverem atravessado o Jordão, levantem essas pedras no monte Ebal, como hoje lhes ordeno, e pintem-nas com cal.

5 Construam ali um altar ao Senhor, o seu Deus, um altar de pedras. Não utilizem ferramenta de ferro nas pedras.

6 Façam o altar do Senhor, o seu Deus, com pedras brutas, e sobre ele ofereçam holocaustos ao Senhor, o seu Deus.

7 Ofereçam também sacrifícios de comunhão, e comam e alegrem-se na presença do Senhor, o seu Deus.

8 E nessas pedras que levantarem, vocês escreverão com bastante clareza todas as palavras desta lei.

9 Então Moisés, tendo ao seu lado os sacerdotes levitas, disse a todo o Israel: Faça silêncio e escute, ó Israel! Agora você se tornou o povo do Senhor, o seu Deus.

10 Obedeça ao Senhor, o seu Deus, e siga os seus mandamentos e decretos que hoje lhe dou.

Deuteronômio 27.11 – 26: Maldições proferidas do monte Ebal

11 No mesmo dia Moisés ordenou ao povo:

12 Quando vocês tiverem atravessado o Jordão, as tribos que estarão no monte Gerizim para abençoar o povo serão: Simeão, Levi, Judá, Issacar, José e Benjamim.

13 E as tribos que estarão no monte Ebal para declararem maldições serão: Rúben, Gade, Aser, Zebulom, Dã e Naftali.

14 E os levitas recitarão a todo o povo de Israel em alta voz:

15 “Maldito quem esculpir uma imagem ou fizer um ídolo fundido, obra de artesãos, detestável ao Senhor, e levantá-lo secretamente”. Todo o povo dirá: “Amém!”

16 “Maldito quem desonrar o seu pai ou a sua mãe”. Todo o povo dirá: “Amém!”

17 “Maldito quem mudar o marco de divisa da propriedade do seu próximo”. Todo o povo dirá: “Amém!”

18 “Maldito quem fizer o cego errar o caminho”. Todo o povo dirá: “Amém!”

19 “Maldito quem negar justiça ao estrangeiro, ao órfão ou à viúva”. Todo o povo dirá: “Amém!”

20 “Maldito quem se deitar com a mulher do seu pai, desonrando a cama do seu pai”. Todo o povo dirá: “Amém!”

21 “Maldito quem tiver relações sexuais com algum animal”. Todo o povo dirá: “Amém!”

22 “Maldito quem se deitar com a sua irmã, filha do seu pai ou da sua mãe”. Todo o povo dirá: “Amém!”

23 “Maldito quem se deitar com a sua sogra”. Todo o povo dirá: “Amém!”

24 “Maldito quem matar secretamente o seu próximo”. Todo o povo dirá: “Amém!”

25 “Maldito quem aceitar pagamento para matar um inocente”. Todo o povo dirá: “Amém!”

26 “Maldito quem não puser em prática as palavras desta lei”. Todo o povo dirá: “Amém!”

 

Referências:

Deere, J. S. (1985). Deuteronômio Em J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), O Comentário do Conhecimento da Bíblia: Uma Exposição das Escrituras (Vol. 1, p. 309). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here