Deuteronômio - Bíblia de Estudo Online

O louvor a Deus por Moisés começou com uma descrição da aparição do Senhor no Sinai quando Ele deu a Lei ao povo através de Moisés (Deuteronômio 33:2-5). Este foi um grande evento na história de Israel.

Para se tornar uma nação, era necessário ter um povo comum (v.5), uma constituição comum (a Lei, v.4) e uma terra comum. A permanência no Egito moldou os descendentes de Jacó em um povo comum, e a concessão da Lei no Sinai deu-lhes uma constituição comum.

Quando Deus apareceu a Moisés no Monte Sinai, foi como se Ele tivesse vindo de Seir (Edom) para o nordeste e do Monte Parã (cf. Hab. 3:3), provavelmente no deserto de Parã, ao norte do Sinai, em direção a Seir.

Na impressionante demonstração de Sua glória no Monte Sinai (Êxodo 19:16-19; 24:15-18), anjos (santos) estavam presentes. As palavras de Moisés em Deuteronômio 33:3–5 parecem refletir a resposta das pessoas em louvor.

Eles reconheceram o amor do Senhor por eles, pelo Seu povo e pelo ministério dos anjos (“os santos”) na mediação da Lei (cf. Atos 7:38,53; Gl 3:19; Heb. 2:2). A proclamação da realeza do Senhor sobre Jesurum (um nome para Israel; Deuteronômio 32:15; 33:26) remontava à libertação da nação do Egito e à entrega da Lei (quando os líderes e os tribos reunidas para receber os mandamentos de Deus).

A posição do Senhor como “rei de Jesurum” também pode antecipar que Ele lhes deu a terra de Canaã. (1)

Esboço de Deuteronômio 33:

33.1 – 5: Moisés abençoa Israel

33.6,7: A benção de Rúben

33.8 – 11: A benção sobre Levi

33.12 – 17: A benção sobre Benjamim

33.18 – 21: A benção sobre Zebulom

33.22 – 25: A benção sobre Dã

33.26 – 29: As últimas palavras de Moisés 

 

Deuteronômio 33.1 – 5: Moisés abençoa Israel

1 Esta é a bênção com a qual Moisés, homem de Deus, abençoou os israelitas antes da sua morte.

2 Ele disse: O Senhor veio do Sinai e alvoreceu sobre eles desde o Seir, resplandeceu desde o monte Parã. Veio com miríades de santos desde o sul, desde as encostas de suas montanhas.

3 Certamente és tu que amas o povo; todos os santos estão em tuas mãos. A teus pés todos eles se prostram e de ti recebem instrução,

4 a lei que Moisés nos deu, a herança da assembléia de Jacó.

5 Ele era rei sobre Jesurum, quando os chefes do povo se reuniam, juntamente com as tribos de Israel.

Deuteronômio 33.6,7: A benção de Rúben

6 “Que Rúben viva e não morra, mesmo sendo poucos os seus homens”.

7 E disse a respeito de Judá: “Ouve, ó Senhor, o grito de Judá; traze-o para o seu povo. Que as suas próprias mãossejam suficientes, e que haja auxíliocontra os seus adversários!”

Deuteronômio 33.8 – 11: A benção sobre Levi

8 A respeito de Levi disse: O teu Urim e o teu Tumim pertencem ao homem a quem favoreceste. Tu o provaste em Massá; disputaste com ele junto às águas de Meribá.

9 Levi disse do seu pai e da sua mãe: “Não tenho consideração por eles”. Não reconheceu os seus irmãos, nem conheceu os próprios filhos, apesar de que guardaram a tua palavra e observaram a tua aliança.

10 Ele ensina as tuas ordenanças a Jacó e a tua lei a Israel. Ele te oferece incenso e holocaustos completos no teu altar.

11 Abençoa todos os seus esforços, ó Senhor, e aprova a obra das suas mãos. Despedaça os lombos dos seus adversários, dos que o odeiam, sejam quem forem.

Deuteronômio 33.12 – 17: A benção sobre Benjamim

12 A respeito de Benjamim disse: “Que o amado do Senhor descanse nele em segurança, pois ele o protege o tempo inteiro, e aquele a quem o Senhor ama descansa nos seus braços”.

13 A respeito de José disse: Que o Senhor abençoe a sua terra com o precioso orvalho que vem de cima, do céu, e com as águas das profundezas;

14 com o melhor que o sol amadurece e com o melhor que a lua possa dar;

15 com as dádivas mais bem escolhidasdos montes antigos e com a fertilidade das colinas eternas;

16 com os melhores frutos da terra e a sua plenitude, e com o favor da que leque apareceu na sarça ardente. Que tudo isso repouse sobre a cabeça de José, sobre a fronte do escolhido entre os seus irmãos.

17 É majestoso como a primeira cria de um touro; seus chifres são os chifres de um boi selvagem, com os quais ferirá as nações até os confins da terra. Assim são as dezenas de milhares de Efraim; assim são os milhares de Manassés.

Deuteronômio 33.18 – 21: A benção sobre Zebulom

18 A respeito de Zebulom disse: Alegre-se, Zebulom, em suas viagens, e você, Issacar, em suas tendas.

19 Eles convocarão povos para o monte e ali oferecerão sacrifícios de justiça; farão um banquete com a riqueza dos mares, com os tesouros ocultos das praias.

20 A respeito de Gade disse: Bendito é aquele que amplia os domínios de Gade! Gade fica à espreita como um leão; despedaça um braço e também a cabeça.

21 Escolheu para si o melhor; a porção do líder lhe foi reservada. Tornou-se o chefe do povoe executou a justa vontade do Senhor e os seus juízos sobre Israel.

Deuteronômio 33.22 – 25: A benção sobre Dã

22 A respeito de Dã disse: “Dã é um filhote de leão, que vem saltando desde Basã”.

23 A respeito de Naftali disse: “Naftali tem fartura do favor do Senhor e está repleto de suas bênçãos; suas posses estendem-se para o sul, em direção ao mar”.

24 A respeito de Aser disse: Bendito é Aser entre os filhos; seja ele favorecido por seus irmãos, e banhe os seus pés no azeite!

25 Sejam de ferro e bronze as trancas das suas portas, e dure a sua força como os seus dias.

Deuteronômio 33.26 – 29: As últimas palavras de Moisés

26 Não há ninguém como o Deus de Jesurum, que cavalga os céus para ajudá-lo, e cavalga as nuvens em sua majestade!

27 O Deus eterno é o seu refúgio, e para segurá-lo estão os braços eternos. Ele expulsará os inimigos da sua presença, dizendo: “Destrua-os!”

28 Somente Israel viverá em segurança; a fonte de Jacó está segura numa terra de trigo e de vinho novo, onde os céus gotejam orvalho.

29 Como você é feliz, Israel! Quem é como você, povo salvo pelo Senhor? Ele é o seu abrigo, o seu ajudador e a sua espada gloriosa. Os seus inimigos se encolherão diante de você, mas você pisará as suas colinas.

 

Referências:

Deere, J. S. (1985). Deuteronomy. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 320–321). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here