Eclesiastes 3 Estudo: Há Tempo Para Tudo

Salomão disse: “Há tempo para toda atividade debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1). Pela palavra “atividade”, Salomão quis dizer atos deliberados das pessoas. A palavra hebraica para “atividade”, sempre usada para pessoas, significa literalmente “desejo” e depois por metonímia “o que se deseja” (cf. Is 58:13).

Por esses atos intencionais, as pessoas são responsabilizadas (cf. Ec 3:17). Cada atividade, escreveu Salomão, tem seu tempo apropriado (ponto no tempo) e estação (duração).

Para que se entenda

Salomão seguiu sua declaração geral com um poema em 14 opostos, cada um dos quais acontece em seu tempo. O fato de que ele utilizou opostos polares em um múltiplo de sete e iniciou sua lista com nascimento e morte é altamente significativo.

O número sete sugere a ideia de completude e o uso de opostos polares – um bem conhecido artifício poético chamado merismo – sugere totalidade (cf. Sl 139: 2–3).

Embora o significado exato de algumas dessas “atividades” seja incerto, Salomão pretendia afirmar que todas as atividades de uma pessoa, tanto construtivas quanto destrutivas, e todas as suas respostas a pessoas, objetos e eventos acontecem em seus tempos. (1)

Esboço de Eclesiastes 3:

3.1 – 11: Há tempo para tudo

3.12 – 15: Ser feliz e praticar o bem

3.16 – 22: A limitação da humanidade

 

Eclesiastes 3.1 – 11: Há tempo para tudo

1 Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu:

2 Tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou,

3 tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir,

4 tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar,

5 tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de se conter,

6 tempo de procurar e tempo de desistir, tempo de guardar e tempo de jogar fora,

7 tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar,

8 tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz.

9 O que ganha o trabalhador com todo o seu esforço?

10 Tenho visto o fardo que Deus impôs aos homens.

11 Ele fez tudo apropriado ao seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim ele não consegue compreender inteiramente o que Deus fez.

Eclesiastes 3.12 – 15: Ser feliz e praticar o bem

12 Descobri que não há nada melhor para o homem do que ser feliz e praticar o bem enquanto vive.

13 Descobri também que poder comer, beber e ser recompensado pelo seu trabalho é um presente de Deus.

14 Sei que tudo o que Deus faz permanecerá para sempre; a isso nada se pode acrescentar, e disso nada se pode tirar. Deus assim faz para que os homens o temam.

15 Aquilo que é, já foi, e o que será, já foi anteriormente; Deus investigará[4] o passado.

Eclesiastes 3.16 – 22: A limitação da humanidade

16 Descobri também que debaixo do sol: No lugar da justiça havia impiedade, no lugar da retidão, ainda mais impiedade.

17 Fiquei pensando: O justo e o ímpio, Deus julgará ambos, pois há um tempo para todo propósito, um tempo para tudo o que acontece.

18 Também pensei: Deus prova os homens para que vejam que são como os animais.

19 O destino do homem é o mesmo do animal; o mesmo destino os aguarda. Assim como morre um, também morre o outro. Todos têm o mesmo fôlego de vida[5]; o homem não tem vantagem alguma sobre o animal. Nada faz sentido!

20 Todos vão para o mesmo lugar; vieram todos do pó, e ao pó todos retornarão.

21 Quem pode dizer se o fôlego do homem sobe às alturas e se o fôlego do animal desce[6] para a terra?

22 Por isso concluí que não há nada melhor para o homem do que desfrutar do seu trabalho, porque esta é a sua recompensa. Pois, quem poderá fazê-lo ver o que acontecerá depois de morto?

 

Referências:

Glenn, D. R. (1985). Ecclesiastes. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 983). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here