Eclesiastes 8 Estudo: Os Mistérios da Vida

No entanto, ele havia observado contradições à retribuição Eclesiastes 8:12b-14. Ele tinha visto os justos conseguir o que os maus merecem e os maus obter o que os justos merecem.

Salomão acreditava firmemente na doutrina da retribuição: “a vida é melhor para os tementes a Deus (3:14; 5:7; 7:18; 12:13), mas não vai bem para os ímpios cujas vidas serão encurtadas (ver Provérbios 2:22, 10:27, 29:1).

Salomão afirmou enfaticamente que tal contradição na distribuição da justiça divina é enigmática ou sem sentido (cf. Ec 8:10; “sem sentido” ocorre como um suporte no início e no final de v. 14). (1)

Esboço de Eclesiastes 8:

8.1 – 5: O dever dos súditos

8.6 – 8: A certeza da morte

8.9 – 13: Governantes opressores

8.14 – 17: Os mistérios da vida 

Eclesiastes 8.1 – 5: O dever dos súditos

1 Quem é como o sábio? Quem sabe interpretar as coisas? A sabedoria de um homem alcança o favor do rei e muda o seu semblante carregado.

2 Este é o meu conselho: obedeça às ordens do rei porque você fez um juramento diante de Deus.

3 Não se apresse em deixar a presença do rei, nem se levante em favor de uma causa errada, visto que o rei faz o que bem entende.

4 Pois a palavra do rei é soberana, e ninguém lhe pode perguntar: “O que estás fazendo?”

5 Quem obedece às suas ordens não sofrerá mal algum, pois o coração sábio saberá a hora e a maneira certa de agir.

Eclesiastes 8.6 – 8: A certeza da morte

6 Porquanto há uma hora certa e também uma maneira certa de agir para cada situação. O sofrimento de um homem, no entanto, pesa muito sobre ele,

7 visto que ninguém conhece o futuro. Quem lhe poderá dizer o que vai acontecer?

8 Ninguém tem o poder de dominar o próprio espírito; tampouco tem poder sobre o dia da sua morte e de escapar dos efeitos da guerra; nem mesmo a maldade livra aqueles que a praticam.

Eclesiastes 8.9 – 13: Governantes opressores

9 Tudo isso vi quando me pus a refletir em tudo o que se faz debaixo do sol. Há ocasiões em que um homem domina sobre outros para a sua própria infelicidade.

10 Nessas ocasiões, vi ímpios serem sepultados e gente indo e vindo do lugar onde eles foram enterrados. Todavia, os que haviam praticado o bem foram esquecidos na cidade. Isso também não faz sentido.

11 Quando os crimes não são castigados logo, o coração do homem se enche de planos para fazer o mal.

12 O ímpio pode cometer uma cente­na de crimes e apesar disso, ter vida longa, mas sei muito bem que as coisas serão melhores para os que temem a Deus, para os que mostram respeito diante dele.

13 Para os ímpios, no entanto, nada irá bem, porque não temem a Deus, e os seus dias, como sombras, serão poucos.

Eclesiastes 8.14 – 17: Os mistérios da vida

14 Há mais uma coisa sem sentido na terra: justos que recebem o que os ímpios merecem, e ímpios que recebem o que os justos merecem. Isto também, penso eu, não faz sentido.

15 Por isso recomendo que se desfrute a vida, porque debaixo do sol não há nada melhor para o homem do que comer, beber e alegrar-se. Sejam esses os seus companheiros no seu duro trabalho durante todos os dias da vida que Deus lhe der debaixo do sol!

16 Quando voltei a mente para conhecer a sabedoria e observar as atividades do homem sobre a terra, daquele cujos olhos não vêem sono nem de dia nem de noite,

17 percebi tudo o que Deus tem feito. Ninguém é capaz de entender o que se faz debaixo do sol. Por mais que se esforce para descobrir o sentido das coisas, o homem não o encontrará. O sábio pode até afirmar que entende, mas, na realidade, não o consegue encontrar.

 

Referências:

Glenn, D. R. (1985). Ecclesiastes. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 997). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here