Eclesiastes 9 Estudo: Aproveite a Vida

Tendo em vista as incertezas do que o futuro pode trazer, seja adversidade ou prosperidade (v. 1-3), e em vista da certeza da morte com a perda de todas as oportunidades de desfrute (vv. 4-6), Salomão novamente recomenda desfrutar a vida como boa dádiva de Deus (Eclesiastes 9:7–9).

Aqui, ele detalha melhor do que em outros lugares alguns dos aspectos da vida que deveriam ser apreciados: comida (lit., “pão”) e vinho que sustentam a vida e a tornam alegre (cons. Sl. 104:15), roupas finas e loções agradáveis ​​(cf. 2 Sam. 12:20, onde são os opostos da tristeza lamentável), gozo da vida com a esposa (cf. Provérbios 18:22).

Em suma, estas incluem tanto as necessidades básicas da vida quanto alguns “luxos” que Deus concede como bençãos (ver Eclesiastes 5:19). Salomão sublinhou a necessidade de desfrutar desses dons, enfatizando a brevidade da vida.

Ele fez isso repetindo uma frase, “todos os dias desta vida sem sentido e todos os seus dias sem sentido”. “Sem sentido” aqui (heel) deve ser traduzido como “passageiro”.

Aproveite!

Afirmando que esta é a sua sorte (ḥēleq; cf. 3:22; 5: 18-19 e contraste 9:6, onde a mesma palavra é trans. “Parte”) na vida e trabalho sob o sol, Salomão encorajou seus leitores a aproveitar a vida, porque é a vontade de Deus para eles fazerem isso.

Ele declarou: “Deus já aprovou suas obras”. Com isso, ele resumiu o que havia dito anteriormente sobre o desfrute da vida:

(1) riqueza e posses, que derivam do “trabalho” de alguém, em última análise, são dons de Deus (5: 18-19);

(2) somente Deus dá a capacidade de desfrutar os frutos do próprio trabalho (cf. 2:24; 3:13; 5:18);

(3) a capacidade de desfrutar dessas coisas depende se alguém agrada a Deus (2:26).

Portanto, a declaração “Deus já aprovou suas obras” significa que possuir as bençãos de Deus e a capacidade de desfrutá-los evidencia a aprovação prévia de que alguém pode fazê-lo; se Deus não tivesse aprovado os presentes, não se poderia apreciá-los. (1)

Esboço de Eclesiastes 9:

9.1 – 3: Mistérios da vida

9.4 – 6: Características da morte

9.7 – 10: Aproveite a Vida

9.11,12: Nem sempre…

9.13 – 18: Vantagens da sabedoria 

Eclesiastes 9.1 – 3: Mistérios da vida

1 Refleti nisso tudo e cheguei à conclusão de que os justos e os sábios, e aquilo que eles fazem, estão nas mãos de Deus. O que os espera, seja amor ou ódio, ninguém sabe.

2 Todos partilham um destino comum: o justo e o ímpio, o bom e o mau[21], o puro e o impuro, o que oferece sacrifícios e o que não os oferece. O que acontece com o homem bom, acontece com o pecador; o que acontece com quem faz juramentos, acontece com quem teme fazê-los.

3 Este é o mal que há em tudo o que acontece debaixo do sol: o destino de todos é o mesmo. O coração dos homens, além do mais, está cheio de maldade e de loucura durante toda a vida; e por fim eles se juntarão aos mortos.

Eclesiastes 9.4 – 6: Características da morte

4 Quem está entre os vivos tem esperança; até um cachorro vivo é melhor do que um leão morto!

5 Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos nada sabem; para eles não haverá mais recompensa, e já não se tem lembrança deles.

6 Para eles o amor, o ódio e a inveja há muito desapareceram; nunca mais terão parte em nadado que acontece debaixo do sol.

Eclesiastes 9.7 – 10: Aproveite a Vida

7 Portanto, vá, coma com prazer a sua comida e beba o seu vinho de coração alegre, pois Deus já se agradou do que você faz.

8 Esteja sempre vestido com roupas de festa, e unja sempre a sua cabeça com óleo.

9 Desfrute a vida com a mulher a quem você ama, todos os dias desta vida sem sentido que Deus dá a você debaixo do sol; todos os seus dias sem sentido! Pois essa é a sua recompensa na vida pelo seu árduo trabalho debaixo do sol.

10 O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria.

Eclesiastes 9.11,12: Nem sempre…

11 Percebi ainda outra coisa debaixo do sol: Os velozes nem sempre vencem a corrida; os fortes nem sempre triunfam na guerra; os sábios nem sempre têm comida; os prudentes nem sempre são ricos; os instruídos nem sempre têm prestígio; pois o tempo e o acaso afetam a todos.

12 Além do mais, ninguém sabe quando virá a sua hora: Assim como os peixes são apanhados numa rede fatal e os pássaros são pegos numa armadilha, também os homens são enredados pelos tempos de desgraça que caem inesperadamente sobre eles.

Eclesiastes 9.13 – 18: Vantagens da sabedoria

13 Também vi debaixo do sol este exemplo de sabedoria que muito me impressionou:

14 Havia uma pequena cidade, de poucos habitantes. Um rei poderoso veio contra ela, cercou-a com muitos dispositivos de guerra.

15 Ora, naquela cidade vivia um homem pobre mas sábio, e com sua sabedoria ele salvou a cidade. No entanto, ninguém se lembrou mais daquele pobre.

16 Por isso pensei: Embora a sabedoria seja melhor do que a força, a sabedoria do pobre é desprezada, e logo suas palavras são esquecidas.

17 As palavras dos sábios devem ser ouvidas com mais atenção do que os gritos de quem domina sobre tolos.

18 A sabedoria é melhor do que as armas de guerra, mas um só pecador destrói muita coisa boa.

 

Referências:

Glenn, D. R. (1985). Ecclesiastes. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 999). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here