Ao ler o livro de Eclesiastes, estamos entre os bem-aventurados homens de Salomão, seus bem-aventurados servos, que estavam continuamente diante dele para ouvirem a sua sabedoria.

E são eles os escolhidos de todos os preceitos de sua sabedoria, tal como foram mais imediatamente dados por inspiração divina, que aqui são transmitidos a nós, não para serem ouvidos, como por eles, somente uma vez, e então estarem sujeitos a ser confundidos ou esquecidos, e, pela repetição, terem perdida a sua beleza, mas para serem lidos, rememorados, ponderados e mantidos em lembrança perpétua.

O relato que nós temos da apostasia de Salomão de Deus, no final de seu reinado (1 Reis 11.1), é a parte trágica desta história; nós podemos supor que ele tenha pronunciado seus Provérbios na aurora da sua vida, enquanto ele conservava sua integridade, mas que tenha proferido seu Eclesiastes quando ele tinha envelhecido (pois do peso e da decadência da idade ele fala comovidamente, capítulo 12), e estava, pela graça de Deus, recuperado de sua apostasia.

No primeiro, ele ditou suas observações; no último, escreveu suas experiências; isto é o que os dias falam, e a sabedoria que a multidão de anos ensina. Com o título do livro e o escritor, nós nos encontraremos no primeiro versículo, e, portanto, aqui somente observaremos.

Características do Livro de Eclesiastes

Que ele é um sermão, um sermão impresso; o texto é (capítulo 1.2): Vaidade de vaidades, é tudo vaidade, que é a doutrina também. Isso é provado amplamente por muitos argumentos e por uma indução dos pormenores, e diversas objeções são respondidas, e na conclusão nós temos o uso e a aplicação de tudo.

Por meio de exortação, para lembrarmo-nos do nosso Criador, para o temermos, e para guardarmos os seus mandamentos. Há, de fato, muitas coisas neste livro que são obscuras e difíceis de serem compreendidas, e algumas coisas que homens de mentes corruptas torcem para sua própria perdição.

Por falta de distinção entre os argumentos de Salomão e as objeções dos ateístas e epicuristas; mas há o suficiente fácil e claro para convencer-nos (se nós quisermos admitir a convicção) da vaidade do mundo.

E sua total insuficiência para fazer-nos felizes, da vileza do pecado, e sua tendência segura para fazer-nos miseráveis, e da sabedoria em ser religioso, e do conforto e satisfação sólidos que deve haver em cumprirmos nossa obrigação tanto para com Deus quanto para com o homem.

Este deve ser o intento em todo sermão, e esse é um bom sermão pelo qual estes pontos são alcançados em toda medida.

Capítulos de Eclesiastes

Capítulo 1: A Vaidade do Mundo

Capítulo 2: Desfrute a Vida Com Temor a Deus

Capítulo 3: Há Tempo Para Tudo

Capítulo 4: Melhor Dois do Que Um

Capítulo 5: Um Presente de Deus

Capítulo 6: Sofrimentos Causados Pela Cobiça

Capítulo 7: O Valor de Um Bom Nome

Capítulo 8: Os Mistérios da Vida

Capítulo 9: Aproveite a Vida

Capítulo 10: Deveres dos Príncipes e Súditos

Capítulo 11: A Felicidade do Diligente

Capítulo 12: Tema a Deus

Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » QUERO SER UM INSCRITO!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here