Cadastre seu e-mail e faça parte da nossa comunidade online e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Efésios 6 Estudo: Batalha Espiritual e Armadura de Deus

Em Efésios 6, Paulo encerra sua carta aos Efésios. Ele procura dar conselhos sobre, as diversas formas de relacionamento. E como devemos buscar sempre a paz e a união da comunidade.

Além disso, ele abre os olhos dos cristãos para algo muito importante: a batalha espiritual. Nossa luta não é contra as pessoas, mas sim contra o diabo e seus demônios. A nossa batalha é espiritual, portanto para vencer, devemos nos revestir de toda a armadura do Espírito Santo.

 

Esboço de Efésios 6:

Efésios 6.1 – 9: Conselhos sobre os relacionamentos

Efésios 6.10 – 20: Batalha espiritual e a armadura do Espírito

Efésios 6.21 – 24: Recomendações finais e a bênção

 

Batalha Espiritual

“Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder”. (Efésios 6.10)

Os soldados de Cristo precisam ser corajosos. Por isso, lemos: “…fortalecei-vos no Senhor”. Aqueles que têm tantas batalhas a lutar, e que, no seu caminho para o céu, devem disputar cada passo por meio da espada, necessitam de muita coragem.

Os soldados de Cristo precisam ser corajosos. Por isso, lemos: “…fortalecei-vos no Senhor”. Aqueles que têm tantas batalhas a lutar, e que, no seu caminho para o céu, devem disputar cada passo por meio da espada, necessitam de muita coragem.

Fortalecei-vos, sede fortes para o serviço, fortes para sofrer, fortes para combater. Se o soldado não for valente, sua armadura não será de grande ajuda.  Força espiritual e coragem são muito necessárias na nossa guerra espiritual.

Sejam fortes no Senhor, na sua causa e por amor do seu nome. Não temos força suficiente em nós mesmos.

Faça parte da nossa comunidade online e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

Nossa coragem natural não passa de covardia, e nossa força natural, de completa fraqueza. Mas toda a nossa suficiência vem de Deus.

Devemos continuar e avançar na sua força. Pelas ações da fé, devemos buscar graça e ajuda do céu para capacitar-nos a fazer aquilo que não podemos realizar por nossa conta, no trabalho e na batalha cristãos.

Deveríamos nos dispor a resistir às tentações dependendo da plena suficiência de Deus e da onipotência do seu poder.

Revestidos da Armadura de Deus

“Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do diabo”. (Efésios 6.11)

Os soldados de Cristo precisam estar bem armados: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus.

Usai toda proteção adequada e as armas para repelir tentações e estratagemas de Satanás – obtende e exercitai todas as graças cristãs, toda a armadura, para que não fique exposta ou desprotegida nenhuma parte ao inimigo”.

Considere isso: Aqueles que querem ser aprovados na verdadeira graça precisam almejar toda a graça, toda a armadura.

Ela é chamada de a armadura de Deus, porque é Ele que a prepara e a concede. Não temos uma armadura própria que seja confiável em tempos de provas. Somente a armadura de Deus oferecerá a devida resistência.

Essa armadura é preparada para nós, mas cabe a nós vesti-la; isto é, devemos orar por graça, precisamos usar a graça que nos foi concedida e colocá-la em ação quando for oportuno.

Resistindo ao Diabo

“(…) pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais”. (Efésios 6.12)

O motivo de o cristão necessitar ser completamente armado é “…para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo” – para que seja capaz de resistir, e vencer, apesar de todos os ataques do Diabo.

Tanto de força quanto de fraude, dos seus enganos, das armadilhas que preparada contra nós e de toda maquinação contra nós.

O apóstolo descreve essa guerra e mostra o perigo e a necessidade que temos de revestir-nos de toda armadura, considerando os tipos de inimigos com os quais precisamos lidar. O Diabo e todos os poderes das trevas.

O combate para o qual precisamos estar preparados não é contra inimigos humanos comuns, não contra homens constituídos de carne e sangue: “…porque não temos que lutar contra carne e sangue”.

Nem contra nossa própria natureza corrompida, mas contra os diversos graus de demônios, que têm um controle que exercitam neste mundo.

A Atuação de Satanás

Lidamos com um inimigo sutil, um inimigo que usa manhas e estratagemas, como lemos no versículo 12.

Ele tem mil maneiras de iludir almas inconstantes; por isso é chamado de serpente, em virtude de sua sutileza, a velha serpente, experimentada na arte de tentar.

Ele é um inimigo poderoso: principados, potestades e príncipes. Eles são numerosos e poderosos; eles governam as nações pagãs que ainda estão nas trevas.

As partes sombrias do mundo são o alicerce do império de Satanás. Eles estão usurpando e destituindo príncipes sobre todos os homens que ainda estão em um estado de pecado e ignorância.

Satanás é um reino de trevas, enquanto Cristo é um reino de luz. Eles são inimigos espirituais: “…hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”, ou espíritos maus, como alguns traduzem.

O Diabo é um espírito, um espírito mau; o perigo é maior porque nossos inimigos são invisíveis e nos atacam antes de nos darmos conta deles.

Os Demônios

Os demônios são espíritos maus, e eles especialmente aborrecem e provocam os santos à perversidade, ao orgulho, à inveja, à malícia etc.

Esses inimigos ficam nos lugares celestiais, de acordo com o texto original (ou “regiões celestes”); nesse caso, o céu significa toda a expansão, ou além da nossa atmosfera.

O lugar entre a terra e as estrelas, de onde os demônios nos assaltam. Ou, o significado pode ser: “Lutamos por lugares celestiais ou coisas celestiais”.

Essa é a forma de alguns antigos interpretarem esse texto. Nossos inimigos se esforçam para impedir nossa subida ao céu, para privar-nos de bênçãos celestiais e para obstruir nossa comunhão com o céu.

Eles nos atacam nas coisas que pertencem à nossa alma e se esforçam para desfigurar a imagem celestial em nosso coração; e, portanto, precisamos estar vigilantes contra eles.

Necessitamos de fé em nossa batalha cristã, porque temos inimigos espirituais que precisamos combater, bem como fé em nosso trabalho cristão, porque precisamos buscar força espiritual. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.