Bíblia de Estudo Online

Esdras 4 Estudo: A Reconstrução é Interrompida

Em Esdras 4, o escritor relata o empenho dos inimigos de Israel, principalmente os samaritanos, em parar a obra de reconstrução do Templo. A princípio eles ofereceram ajuda, mas sua intenção era retardar a obra. Quando a ajuda foi rejeitada, deram início a um novo plano.

Com palavras, começaram a provocar desânimo nos trabalhadores. Vendo que este teve pouco ou nenhum efeito, aproveitaram a instalação de um novo rei sobre o império, Xerxes, e lhe enviaram uma carta.

O conteúdo da mensagem tinha o objetivo de difamar Jerusalém e o povo. Além de inflamar a ira do rei sobre a nação de Israel.

Há lições espirituais muito profundas aqui. Quando Deus começa a agir em nossa vida, para edificar, reconstruir, prosperar; precisamos estar muito atentos à oração e a vigilância (Ver Estudo Bíblico Sobre a Oração).

O Diabo é extremamente astuto e possui muitos servos e servas ao seu dispor. Não preciso mencionar que ele odeia o povo de Deus está a todo tempo procurando oportunidades para nos prejudicar.

Com isso, a nossa atitude de intimidade com Deus é fundamental. Dessa forma, o Senhor nos manterá seguros e seu projeto em nossas vidas não vai parar. Os judeus não fizeram isso. Embora estivessem dedicados e motivados, baixaram a vigilância espiritual.

O Diabo usou os samaritanos para influenciar negativamente o novo rei, que aparentemente não conhecia o decreto de Ciro, e a obra de reconstrução do Templo foi interrompida.

O grande objetivo do Diabo é parar toda forma e manifestação da obra de Deus. Para isso ele utiliza todos os meios possíveis. Precisamos orar. Estar atentos ao mundo espiritual é de fundamental importância para o nosso triunfo nesta Terra.

Esboço de Esdras 4:

Esdras 4.1 – 3: Os inimigos oferecem ajuda;

Esdras 4.4,5: Semeando o desânimo;

Esdras 4.6 – 16: Carta dos inimigos ao rei;

Esdras 4.17 – 24: A reconstrução do Templo é interrompida.

 

Interrupção Inesperada

“Ordene agora a esses homens que parem a obra, para que essa cidade não seja reconstruída enquanto eu não mandar. “Tenham cuidado, não sejam negligentes neste assunto, para que os interesses reais não sofram prejuízo”. (Esdras 4:21,22)

As ordens que o rei da Pérsia deu em resposta à informação enviada a ele pelos samaritanos contra os judeus. Ele deixou-se enganar pela fraude e falsidade deles.

Não se preocupou em examinar as alegações do pedido deles com referência ao que os judeus estavam agora fazendo, mas tomou por certo que a acusação era verdadeira, e estava disposto a satisfazê-los com uma ordem de parar a obra.

Ele consultou os registros referentes a Jerusalém, e descobriu que ela, de fato, tinha se rebelado contra o rei da Babilônia e, portanto, que era como a chamaram, uma cidade malvada (Esdras 4.19).

Além disso, reis no passado tinham remado ali, a quem todos os países, ou pelo menos, daquele lado do rio, tinham sido tributários (Esdras 4.20), e que, portanto, havia perigo, que, se fossem capazes (o que dificilmente seria possível), voltariam a requerer tributos dos povos.

Essa é a sua alegação (semelhante a deles), e busca dar um motivo para a sua decisão. Veja o fardo difícil dos príncipes, que devem ver e ouvir com os olhos e ouvidos de outros homens, e julgar situações que são apresentadas a eles, mesmo que possam ser falsas.

O Julgamento de Deus

O julgamento de Deus sempre é justo porque ele vê as coisas como de fato são, de acordo com a verdade.

Ele designou esses samaritanos a parar a edificação da cidade imediatamente, até que ordens posteriores fossem dadas (Esdras 4.21,22). Nem eles, em sua carta, nem ele, em sua ordem, fazem menção alguma ao Templo, e à construção dele.

Porque ambos, eles e o príncipe, sabiam que não tinham somente permissão, mas uma ordem de Ciro para reedificá-lo, assim, nem mesmo esses samaritanos tinham a confiança de mencionar para que não ocorresse a sua revogação.

Eles mencionaram somente a cidade: “Que ela não seja construída”, isto é, a cidade com seus muros e portas; “qualquer coisa que faça, impeça essa reconstrução, para que não cresça o dano para prejuízo aos negócios do rei” -, ele não permitiria que a coroa sofresse durante o seu reinado. (Henry, Matthew, Comentário de Josué a Ester)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Vera Olinda disse:

    Estou amando esses estudos agora não perco tempo olhando coisas que não me alimenta o meu espírito.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.