Êxodo - Bíblia de Estudo Online

Em Êxodo 16 vemos que os descendentes de Israel chegam ao deserto de Sim, que é caracteristicamente vasto, com muitos perigos e sem a menor fonte de alimento para o povo. Quando se viu diante de tal situação, eles desejaram voltar para o Egito.

Na verdade, o que eles queriam era o alívio de suas dores e do constante estresse de peregrinar pelo deserto sem ter uma fonte “segura” de sustento.

Eles sabiam que no Egito, embora sob a escravidão, eles teriam o que comer, beber e vestir. Mas ali, eles não tinham o controle de nada. Essa pressão os deixava estressados e a única saída que viam, era voltar para aquilo que eles sabiam ser seguro.

Contudo, Deus em Seu amor, queria lhes mostrar que é um Senhor melhor que o rei humano. Deus cuidaria deles nos lugares e situações mais contraditórias para a sobrevivência humana.

E esperava que com o passar do tempo, eles também se sentissem seguros em confiar no Senhor.

Devemos orar a Deus, pedindo que Ele nos ajude a suportar este tipo de pressão e nos dê a calma e a sabedoria que precisamos para lidar com situações como estas.

Deus Manda Maná

Para resolver esta tensão e dar certa tranquilidade ao povo com relação ao seu sustento diário, o Senhor disse a Moisés que faria chover pão do céu, o maná.

Eles deveriam recolher o suficiente para cada dia, de domingo a quinta. Na sexta, eles deveriam recolher porção dobrada, pois no sábado não haveria maná, este era o dia de descanso.

Deus Promete Carne

Tendo ouvido a reclamação dos israelitas, além do pão diário, o Senhor mandaria carne, para que eles comessem até se fartar.

É importante notar que mesmo no deserto, o Senhor manda alimento abundante para Seu povo. Eles não viveram mendigando, miseravelmente.

Ao longo de todos os anos que passaram peregrinando, nenhum deles morreu de fome, sede ou por nudez. Todas as necessidades essenciais deles foram supridas, regularmente.

Devemos ter a mesma segurança em Deus. Muitos de nós vivem tão ansiosos e preocupados em uma vida estressante que não representa a vontade de Deus, quando tudo que precisam fazer, é depender do Senhor e desfrutar das portas de benção que Ele abre.

Esboço de Êxodo 16:

16.1 – 3: A murmuração dos israelitas

16.4 – 9: A promessa de Deus

16.10 – 12: A glória de Deus aparece

16.13 – 22: Pão do céu

16.23 – 27: Movidos pela incredulidade

16.28 – 30: Dia de descanso

16.31 – 36: O maná 

 

Êxodo 16.1 – 3: A murmuração dos israelitas

1 Toda a comunidade de Israel partiu de Elim e chegou ao deserto de Sim, que fica entre Elim e o Sinai. Foi no décimo quinto dia do segundo mês, depois que saíram do Egito.

2 No deserto, toda a comunidade de Israel reclamou a Moisés e Arão.

3 Disseram-lhes os israelitas: “Quem dera a mão do Senhor nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!”

Êxodo 16.4 – 9: A promessa de Deus

4 Disse, porém, o Senhor a Moisés: Eu lhes farei chover pão do céu. O povo sairá e recolherá diariamente a porção necessária para aquele dia. Com isso os porei à prova para ver se seguem ou não as minhas instruções.

5 No sexto dia trarão para ser preparado o dobro do que recolhem nos outros dias.

6 Assim Moisés e Arão disseram a todos os israelitas: Ao entardecer, vocês saberão que foi o Senhor quem os tirou do Egito,

7 e amanhã cedo verão a glória do Senhor, porque o Senhor ouviu a queixa de vocês contra ele. Quem somos nós para que vocês reclamem a nós?

8 Disse ainda Moisés: “O Senhor lhes dará carne para comer ao entardecer e pão à vontade pela manhã, porque ele ouviu as suas queixas contra ele. Quem somos nós? Vocês não estão reclamando de nós, mas do Senhor”.

9 Disse Moisés a Arão: “Diga a toda a comunidade de Israel que se apresente ao Senhor, pois ele ouviu as suas queixas”.

Êxodo 16.10 – 12: A glória de Deus aparece

10 Enquanto Arão falava a toda a comunidade, todos olharam em direção ao deserto, e a glória do Senhor apareceu na nuvem.

11 E o Senhor disse a Moisés:

12 “Ouvi as queixas dos israelitas. Responda-lhes que ao pôr-do-sol vocês comerão carne, e ao amanhecer se fartarão de pão. Assim saberão que eu sou o Senhor, o seu Deus”.

Êxodo 16.13 – 22: Pão do céu

13 No final da tarde, apareceram codornizes que cobriram o lugar onde estavam acampados; ao amanhecer havia uma camada de orvalho ao redor do acampamento.

14 Depois que o orvalho secou, flocos finos semelhantes a geada estavam sobre a superfície do deserto.

15 Quando os israelitas viram aquilo, começaram a perguntar uns aos outros: “Que é isso?”, pois não sabiam do que se tratava. Disse-lhes Moisés: “Este é o pão que o Senhor lhes deu para comer.

16 Assim ordenou o Senhor: “Cada chefe de família recolha quanto precisar: um jarro para cada pessoa da sua tenda”.

17 Os israelitas fizeram como lhes fora dito; alguns recolheram mais, outros menos.

18 Quando mediram com o jarro, quem tinha recolhido muito não teve demais, e não faltou a quem tinha recolhido pouco. Cada um recolheu quanto precisava.

19 “Ninguém deve guardar nada para a manhã seguinte”, ordenou-lhes Moisés.

20 Todavia, alguns deles não deram atenção a Moisés e guardaram um pouco até a manhã seguinte, mas aquilo criou bicho e começou a cheirar mal. Por isso Moisés irou-se contra eles.

21 Cada manhã todos recolhiam quanto precisavam, pois, quando o sol esquentava, aquilo se derretia.

22 No sexto dia recolheram o dobro: dois jarros para cada pessoa; e os líderes da comunidade foram contar isso a Moisés,

Êxodo 16.23 – 27: Movidos pela incredulidade

23 que lhes explicou: “Foi isto que o Senhor ordenou: “Amanhã será dia de descanso, sábado consagrado ao Senhor. Assem e cozinhem o que quiserem. Guardem o que sobrar até a manhã seguinte””.

24 E eles o guardaram até a manhã seguinte, como Moisés tinha ordenado, e não cheirou mal nem criou bicho.

25 “Comam-no hoje”, disse Moisés, “pois hoje é o sábado do Senhor. Hoje, vocês não o encontrarão no terreno.

26 Durante seis dias vocês podem recolhê-lo, mas, no sétimo dia, o sábado, nada acharão.

27 Apesar disso, alguns deles saíram no sétimo dia para recolhê-lo, mas não encontraram nada.

Êxodo 16.28 – 30: Dia de descanso

28 Então o Senhor disse a Moisés: Até quando vocês se recusarão a obedecer aos meus mandamentos e às minhas instruções?

29 Vejam que o Senhor lhes deu o sábado; e por isso, no sexto dia, ele lhes dá pão para dois dias. No sétimo dia, fiquem todos onde estiverem; ninguém deve sair.

30 Então o povo descansou no sétimo dia.

Êxodo 16.31 – 36: O maná

31 O povo de Israel chamou maná àquele pão. Era branco como semente de coentro e tinha gosto de bolo de mel.

32 Disse Moisés: “O Senhor ordenou-lhes que recolham um jarro de maná e que o guardem para as futuras gerações, para que vejam o pão que lhes dei no deserto, quando os tirei do Egito”.

33 Então Moisés disse a Arão: “Ponha numa vasilha a medida de um jarro de maná, e coloque-a diante do Senhor, para que seja conservado para as futuras gerações”.

34 Em obediência ao que o Senhor tinha ordenado a Moisés, Arão colocou o maná junto às tábuas da aliança, para ali ser guardado.

35 Os israelitas comeram maná durante quarenta anos, até chegarem a uma terra habitável; comeram maná até chegarem às fronteiras de Canaã.

36 (O jarro é a décima parte de uma arroba.)

1 COMENTÁRIO

  1. Êxodo 16 :4. Deus fala de andar nas leis (de Deus) . Leis das tábuas de pedras , Deus não falou ( instrucao ) .
    No antigo testamento Deus tinha falado que o homem iria dizer coisa que Ele (Deus) nem tinha falado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here