Êxodo 16 Estudo: Deus Envia o Maná

O pão (Êxodo 16:4,12) veio com o orvalho. Quando o orvalho se foi, flocos finos estavam no deserto. Nunca tendo visto isso antes, as pessoas perguntaram: O que é isso?

Por ter sido enviado do céu, o salmista Asafe se referiu a ele como “o pão dos anjos” (Sl 78:25). Deus lhes disse para tomar um omer (cerca de dois quartos de medida) para cada pessoa em sua tenda, o que os israelitas obedientemente fizeram (Êxodo 16:17).

No entanto, alguns deles, não obedecendo à próxima instrução, guardaram um pouco até a manhã seguinte. Por causa de sua falta de , Deus fez com que o pão deles estragasse. 

Flocos finos (v. 14), branco como semente de coentro (uma erva), parecido com uma resina (Nm 11: 7, talvez significando que era de cor clara e / ou pegajosa), com gosto de bolachas de mel, essa é a descrição bíblica do maná. Também tinha o sabor de “algo feito com azeite de oliva” (Nm 11: 8).

Alguns escritores sugeriram que o maná era uma excreção de sabor adocicado deixada por insetos nos ramos de tamargueiras em junho e julho. No entanto, o maná foi fornecido durante todo o ano, no solo, e a excreção do tamarisco não estraga em 24 horas.

Memorial

Então Deus disse a Moisés que mantivesse um omer de maná, cerca de dois litros (Êxodo 16:36), em uma jarra como um lembrete da bondade de Deus para as futuras gerações.

O maná deveria ser colocado em frente ao Testemunho (v. 34). “O Testemunho” refere-se às duas tábuas da Lei (Êxodo 25:16) que estavam na “arca [da aliança] do Testemunho” (25:16, 21 ) no lugar mais sagrado.

A palavra hebraica para “Testemunho” pode ter sido um termo técnico para designar estipulações de aliança.

O SENHOR continuou a fornecer maná até que a nação chegou a Gilgal, onde começaram a comer os produtos da terra (Josué 5:12). O maná na arca era um lembrete perpétuo da lealdade de Deus ao Seu povo no suprimento de suas necessidades.

Jesus, referindo-se ao maná dos israelitas (João 6:31, 49, 58), chamou a si mesmo “o verdadeiro [espiritual] Pão do céu” (João 6:32), “o Pão de Deus… do céu” (João 6 : 33), “o pão da vida” (João 6:35, 48), e “o pão vivo … do céu” (João 6:51). Todo aquele que crê Nele, Ele disse, teria a vida eterna (João 6:33, 51, 58). (1)

Esboço de Êxodo 16:

16.1 – 3: A murmuração dos israelitas

16.4 – 9: A promessa de Deus

16.10 – 12: A glória de Deus aparece

16.13 – 22: Pão do céu

16.23 – 27: Movidos pela incredulidade

16.28 – 30: Dia de descanso

16.31 – 36: O maná 

 

Êxodo 16.1 – 3: A murmuração dos israelitas

1 Toda a comunidade de Israel partiu de Elim e chegou ao deserto de Sim, que fica entre Elim e o Sinai. Foi no décimo quinto dia do segundo mês, depois que saíram do Egito.

2 No deserto, toda a comunidade de Israel reclamou a Moisés e Arão.

3 Disseram-lhes os israelitas: “Quem dera a mão do Senhor nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!”

Êxodo 16.4 – 9: A promessa de Deus

4 Disse, porém, o Senhor a Moisés: Eu lhes farei chover pão do céu. O povo sairá e recolherá diariamente a porção necessária para aquele dia. Com isso os porei à prova para ver se seguem ou não as minhas instruções.

5 No sexto dia trarão para ser preparado o dobro do que recolhem nos outros dias.

6 Assim Moisés e Arão disseram a todos os israelitas: Ao entardecer, vocês saberão que foi o Senhor quem os tirou do Egito,

7 e amanhã cedo verão a glória do Senhor, porque o Senhor ouviu a queixa de vocês contra ele. Quem somos nós para que vocês reclamem a nós?

8 Disse ainda Moisés: “O Senhor lhes dará carne para comer ao entardecer e pão à vontade pela manhã, porque ele ouviu as suas queixas contra ele. Quem somos nós? Vocês não estão reclamando de nós, mas do Senhor”.

9 Disse Moisés a Arão: “Diga a toda a comunidade de Israel que se apresente ao Senhor, pois ele ouviu as suas queixas”.

Êxodo 16.10 – 12: A glória de Deus aparece

10 Enquanto Arão falava a toda a comunidade, todos olharam em direção ao deserto, e a glória do Senhor apareceu na nuvem.

11 E o Senhor disse a Moisés:

12 “Ouvi as queixas dos israelitas. Responda-lhes que ao pôr-do-sol vocês comerão carne, e ao amanhecer se fartarão de pão. Assim saberão que eu sou o Senhor, o seu Deus”.

Êxodo 16.13 – 22: Pão do céu

13 No final da tarde, apareceram codornizes que cobriram o lugar onde estavam acampados; ao amanhecer havia uma camada de orvalho ao redor do acampamento.

14 Depois que o orvalho secou, flocos finos semelhantes a geada estavam sobre a superfície do deserto.

15 Quando os israelitas viram aquilo, começaram a perguntar uns aos outros: “Que é isso?”, pois não sabiam do que se tratava. Disse-lhes Moisés: “Este é o pão que o Senhor lhes deu para comer.

16 Assim ordenou o Senhor: “Cada chefe de família recolha quanto precisar: um jarro para cada pessoa da sua tenda”.

17 Os israelitas fizeram como lhes fora dito; alguns recolheram mais, outros menos.

18 Quando mediram com o jarro, quem tinha recolhido muito não teve demais, e não faltou a quem tinha recolhido pouco. Cada um recolheu quanto precisava.

19 “Ninguém deve guardar nada para a manhã seguinte”, ordenou-lhes Moisés.

20 Todavia, alguns deles não deram atenção a Moisés e guardaram um pouco até a manhã seguinte, mas aquilo criou bicho e começou a cheirar mal. Por isso Moisés irou-se contra eles.

21 Cada manhã todos recolhiam quanto precisavam, pois, quando o sol esquentava, aquilo se derretia.

22 No sexto dia recolheram o dobro: dois jarros para cada pessoa; e os líderes da comunidade foram contar isso a Moisés,

Êxodo 16.23 – 27: Movidos pela incredulidade

23 que lhes explicou: “Foi isto que o Senhor ordenou: “Amanhã será dia de descanso, sábado consagrado ao Senhor. Assem e cozinhem o que quiserem. Guardem o que sobrar até a manhã seguinte””.

24 E eles o guardaram até a manhã seguinte, como Moisés tinha ordenado, e não cheirou mal nem criou bicho.

25 “Comam-no hoje”, disse Moisés, “pois hoje é o sábado do Senhor. Hoje, vocês não o encontrarão no terreno.

26 Durante seis dias vocês podem recolhê-lo, mas, no sétimo dia, o sábado, nada acharão.

27 Apesar disso, alguns deles saíram no sétimo dia para recolhê-lo, mas não encontraram nada.

Êxodo 16.28 – 30: Dia de descanso

28 Então o Senhor disse a Moisés: Até quando vocês se recusarão a obedecer aos meus mandamentos e às minhas instruções?

29 Vejam que o Senhor lhes deu o sábado; e por isso, no sexto dia, ele lhes dá pão para dois dias. No sétimo dia, fiquem todos onde estiverem; ninguém deve sair.

30 Então o povo descansou no sétimo dia.

Êxodo 16.31 – 36: O maná

31 O povo de Israel chamou maná àquele pão. Era branco como semente de coentro e tinha gosto de bolo de mel.

32 Disse Moisés: “O Senhor ordenou-lhes que recolham um jarro de maná e que o guardem para as futuras gerações, para que vejam o pão que lhes dei no deserto, quando os tirei do Egito”.

33 Então Moisés disse a Arão: “Ponha numa vasilha a medida de um jarro de maná, e coloque-a diante do Senhor, para que seja conservado para as futuras gerações”.

34 Em obediência ao que o Senhor tinha ordenado a Moisés, Arão colocou o maná junto às tábuas da aliança, para ali ser guardado.

35 Os israelitas comeram maná durante quarenta anos, até chegarem a uma terra habitável; comeram maná até chegarem às fronteiras de Canaã.

36 (O jarro é a décima parte de uma arroba.)

 

Referências:

Hannah, J. D. (1985). Exodus. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 134). Wheaton, IL: Victor Books.

1 COMENTÁRIO

  1. Êxodo 16 :4. Deus fala de andar nas leis (de Deus) . Leis das tábuas de pedras , Deus não falou ( instrucao ) .
    No antigo testamento Deus tinha falado que o homem iria dizer coisa que Ele (Deus) nem tinha falado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here