Êxodo - Bíblia de Estudo Online

Em Êxodo 23:1-9 vemos a exposição de leis relacionadas à prática da justiça. Elas são uma expansão do nono mandamento. E visam o exercício imparcial da justiça entre os israelitas.

Ele deveriam apresentar testemunhas verdadeiras e não podiam se deixar levar pela opinião da maioria, ou por favoritismo. Mesmo estando com pendências judiciais, eles deveriam se tratar bem e com respeito.

O falso testemunho, o suborno e a opressão ao estrangeiro, estavam proibidos.

Sábados

Em Êxodo 23:10-13, Deus apresenta as leis referentes ao sábado e ao ano sabático. Com essas leis, o Senhor queria mostrar-lhes que Ele é o dono de toda a terra e que o tempo de descanso é fundamental para o desenvolvimento de relacionamento com Ele e com a família.

Festivais Anuais

Nos versículos de 14-19, vemos as leis referentes a três importantes festa de Israel:

  1. A Festa dos Pães Asmos: deveria ser realizada em Abib, isto é, entre março e abril, quando a colheita da cevada fosse realizada;
  2. A Festa dos Primeiros Frutos: deveria ser celebrada na estação da primavera, quando o trigo fosse colhido e as primícias das colheitas fossem consagradas ao Senhor;
  3. A Festa da Colheita – realizada no começo do outono.

A Festa dos Pães Asmos, a primeira das grandes celebrações anuais de Israel, era uma referência a libertação do povo e saída do Egito (Êxodo 12:15-20).

A segunda, era também chamada de Festa das Semanas, porque durava sete semanas ou 50 dias, após a Festa dos Pães Asmos. No Novo Testamento ela conhecida como o “dia de Pentecostes”.

A terceira e última é a Festa da Colheita, que tabém era conhecida como Festa dos Tabernáculos ou Cabanas.

O grande objetivo destas três celebrações, era manter viva na mente dos israelitas que todo o bem que eles tinham, vinha de Deus e apenas dEle.

Sendo assim, eles deveriam entregar a primícias, isto é, o melhor dos frutos de cada uma dessas colheitas ao Senhor, como forma de gratidão.

Sobre a Conquista da Terra

No final do capítulo 23:20-33, o Senhor Deus encerra com promessas de bênçãos e maldições, que posteriormente são relembradas em Deuteronômio 28, com mais detalhes.

Deus os exorta a obediência, se eles permanecessem obedecendo, o Senhor os guiaria à Terra Prometida e chegando lá, derrotaria todos os habitantes dela, para entrega-la completamente a Israel.

Para isso, eles deveriam destruir toda forma de idolatria. Caso obedecessem, teria saúde, vida longa e prosperidade, em tudo que fizessem.

Além disso, o Senhor os advertiu de que não lhes daria a terra de uma só vez, mas gradualmente. Isso para preservação da terra e de suas próprias vidas.

Aprendemos com isso, que mesmo sob as promessas de Deus, não recebermos tudo em um só instante. Mas com o tempo o Senhor vai acrescentando bênçãos e vitória às nossas vidas, até mesmo pra não nos destruir.

Por fim, Ele dá a Israel um horizonte, dizendo quais as dimensões e os lugares que deveriam ser conquistados. Ele não nos deixa à deriva, pois sabe que o foco é fundamental para as grandes conquistas.

Já na terra, o povo deveria ter o cuidado de expulsar todos os inimigos, para que eles não acabassem contaminando o povo com suas práticas idolatras.

Em nossos dias devemos ter o mesmo cuidado. Relacionamento profundo com a impiedade pode acabar nos arrastando à práticas que não agradam a Deus.

Esboço de Êxodo 23:

23.1 – 9: Leis judiciais

23.10 – 19: As festas sagradas

23.20 – 33: Preceitos e promessas 

 

Êxodo 23.1 – 9: Leis judiciais

1 Ninguém faça declarações falsas e não seja cúmplice do ímpio, sendo-lhe testemunha mal-intencionada.

2 Não acompanhe a maioria para fazer o mal. Ao testemunhar num processo, não perverta a justiça para apoiar a maioria,

3 nem para favorecer o pobre num processo.

4 Se você encontrar perdido o boi ou o jumento que pertence ao seu inimigo, leve-o de volta a ele.

5 Se você vir o jumento de alguém que o odeia caído sob o peso de sua carga, não o abandone, procure ajudá-lo.

6 Não perverta o direito dos pobres em seus processos.

7 Não se envolva em falsas acusações nem condene à morte o inocente e o justo, porque não absolverei o culpado.

8 Não aceite suborno, pois o suborno cega até os que têm discernimento e prejudica a causa do justo.

9 Não oprima o estrangeiro. Vocês sabem o que é ser estrangeiro, pois foram estrangeiros no Egito.

Êxodo 23.10 – 19: As festas sagradas

10 Plantem e colham em sua terra durante seis anos,

11 mas no sétimo deixem-na descansar sem cultivá-la. Assim os pobres do povo poderão comer o que crescer por si, e o que restar ficará para os animais do campo. Façam o mesmo com as suas vinhas e com os seus olivais.

12 Em seis dias façam os seus trabalhos, mas no sétimo não trabalhem, para que o seu boi e o seu jumento possam descansar, e o seu escravo e o estrangeiro renovem as forças.

13 Tenham o cuidado de fazer tudo o que lhes ordenei. Não invoquem o nome de outros deuses; não se ouçam tais nomes dos seus lábios.

14 Três vezes por ano vocês me celebrarão festa.

15 Celebrem a festa dos pães sem fermento; durante sete dias comam pão sem fermento, como eu lhes ordenei. Façam isso na época determinada do mês de abibe, pois nesse mês vocês saíram do Egito. Ninguém se apresentará a mim de mãos vazias.

16 Celebrem a festa da colheita dos primeiros frutos do seu trabalho de semeadura. Celebrem a festa do encerramento da colheita quando, no final do ano, vocês armazenarem as colheitas.

17 Três vezes por ano todos os homens devem comparecer diante do Senhor, o Soberano.

18 Não ofereçam o sangue de um sacrifício feito em minha honra com pão fermentado. A gordura das ofertas de minhas festas não deverá ser guardada até a manhã seguinte.

19 Tragam ao santuário do Senhor, o seu Deus, o melhor dos primeiros frutos das suas colheitas. Não cozinhem o cabrito no leite da própria mãe.

Êxodo 23.20 – 33: Preceitos e promessas

20 Eis que envio um anjo à frente de vocês para protegê-los por todo o caminho e fazê-los chegar ao lugar que preparei.

21 Prestem atenção e ouçam o que ele diz. Não se rebelem contra ele, pois não perdoará as suas transgressões, pois nele está o meu nome.

22 Se vocês ouvirem atentamente o que ele disser e fizerem tudo o que lhes ordeno, serei inimigo dos seus inimigos, e adversário dos seus adversários.

23 O meu anjo irá à frente de vocês e os fará chegar à terra dos amorreus, dos hititas, dos ferezeus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuseus, e eu os exterminarei.

24 Não se curvem diante dos deuses deles, nem lhes prestem culto, nem sigam as suas práticas. Destruam-nos totalmente e quebrem as suas colunas sagradas.

25 Pres­tem culto ao Senhor, o Deus de vocês, e ele os abençoará, dando-lhes alimento e água. Tirarei a doença do meio de vocês.

26 Em sua terra nenhuma grávida perderá o filho, nem haverá mulher estéril. Farei completar-se o tempo de duração da vida de vocês.

27 Mandarei adiante de vocês o meu terror, que porá em confusão todas as nações que vocês encontrarem. Farei que todos os seus inimigos virem as costas e fujam.

28 Causarei pânico entre os heveus, os cananeus e os hititas para expulsá-los de diante de vocês.

29 Não os expulsarei num só ano, pois a terra se tornaria desolada e os animais selvagens se multiplicariam, ameaçando vocês.

30 Eu os expulsarei aos poucos, até que vocês sejam numerosos o suficiente para tomarem posse da terra.

31 Estabelecerei as suas fronteiras desde o mar Vermelho até o mar dos filisteus, e desde o deserto até o Eufrates. Entregarei em suas mãos os povos que vivem na terra, os quais vocês expulsarão de diante de vocês.

32 Não façam aliança com eles nem com os seus deuses.

33 Não deixem que esses povos morem na terra de vocês, senão eles os levarão a pecar contra mim, porque prestar culto aos deuses deles será uma armadilha para vocês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here