Êxodo 4 Estudo: Deus Dá Poder a Moisés

Novamente Moisés expressou reclamações sobre sua designação por causa de seu sentimento de incapacidade pessoal (Êxodo 4:1–17). As instruções detalhadas em 3: 16-22 podem ter aumentado as ansiedades de Moisés sobre seu novo papel, então ele apresentou mais duas objeções: medo de que seus compatriotas repudiassem sua autoridade (4:1) e sua falta de eloquência (v.10).

Deus pacientemente e gentilmente lidou com as apreensões de Moisés. O medo de que os israelitas não acreditem que Deus tenha aparecido para ele é razoável, porque o Senhor aparentemente não apareceu aos israelitas por 430 anos, a duração da estada no Egito.

A resposta do Senhor ao libertador duvidoso foi permitir que Moisés realizasse três tarefas sobrenaturais, duas imediatas (vv. 3–5, 6–8) e uma no futuro (v. 9).

Os sinais

O primeiro dos sinais para Moisés foi a transformação de sua vara de pastor em uma cobra e depois, em vara de novo. Agarrar uma cobra pela cauda era normalmente uma coisa perigosa para se fazer!

Seguir a diretriz do Senhor exigiu coragem e . Porque cobras simbolizavam poder e vida para os egípcios, Deus estava declarando a Moisés que ele seria capaz de superar os poderes do Egito. Este milagre, Deus disse, faria com que os israelitas acreditassem que Ele, o Deus dos patriarcas (cf. 2:24; 3: 6, 15-16) havia falado com Moisés.

O segundo sinal foi a mão dele se tornando leprosa e sua cura. Esta doença, embora talvez não seja a mesma que hoje é chamada lepra, era prevalente no Egito e era considerada incurável. Moisés correu com medo da cobra (4:3). Agora ele deve ter ficado horrorizado quando retirou sua mão ferida de sua roupa.

Mas ele provavelmente estava cheio de admiração reverente quando foi repentinamente purificado. Este sinal, disse Deus, pode ser mais eficaz com o povo do que o primeiro (v. 8). Assim, o medo de Moisés de que ninguém acreditasse que ele foi comissionado foi amenizado.

O terceiro sinal seria a milagrosa capacidade de Moisés de transformar a água do Nilo em sangue (v.9). Os egípcios consideravam o rio Nilo como a fonte de vida e produtividade.

Então, Moisés mostrando ao povo que ele tinha poder sobre o Nilo provaria que Deus lhe deu a capacidade de vencer os egípcios. Mais tarde, Moisés realizou esses milagres diante dos israelitas (vv. 29-30) e, como Deus predisse (vv. 5, 8), o povo acreditou (v.31).

Curiosamente, a primeira praga foi semelhante ao terceiro sinal: quando Arão atingiu o rio Nilo com sua equipe, a água se transformou em sangue (7: 17-21).

“Não sei falar…”

A quarta queixa de Moisés foi sua suposta falta de eloquência e habilidades oratórias (4:10-17; cf. 6:12,30). Lenta de fala e língua significa falta de fala fluente.

Aparentemente, Moisés estava minimizando suas habilidades porque Estevão disse que ele era “poderoso no falar” (Atos 7:22). A reação inicial de Deus à objeção, foi lembrá-lo, por uma série de perguntas, que o Senhor determina as habilidades ou deficiências do homem.

Então o Senhor repetiu Sua breve comissão (Agora vai; cf. Ex 3:10). Embora tenha certeza do poder de habilitação de Deus (“eu vou ajudar você”; cf. 4:15) a magnitude e a dificuldade da conversa o assustaram.

Quando Moisés sugeriu que Deus conseguisse um substituto (v. 13), Ele ficou irado. Por que o Senhor estava bravo?

Ele percebeu que Moisés estava falando mais por desobediência do que por medo. Então Deus disse a Moisés que Ele deixaria seu irmão falar por ele (Êxodo 4:14-16; cf. 7: 1). Esse porta-voz de Moisés um dia faria um bezerro de ouro (32: 1–5) e se tornaria um porta-voz mentiroso (32: 22–24).

Deus então disse que Ele os ajudaria a falar diante do Faraó e do povo (Êxodo 4:15-16; cf. v. 12; 7: 1–2). Foi-lhe dito a Moisés que pegasse o cajado que se tornara uma cobra (4:2-4) como meio de realizar as maravilhas que se seguiriam (cf. 7:9-10). Em 4:20 é chamado de “o cajado de Deus”. (1)

Esboço de Êxodo 4:

4.1 – 9: Deus dá poder a Moisés

4.10 – 17: “Não sei falar!”

4.18 – 23: De volta ao Egito

4.24 – 26: Moisés é circuncidado

4.27 – 31: Moisés e Arão 

 

Êxodo 4.1 – 9: Deus dá poder a Moisés

1 Moisés respondeu: “E se eles não acreditarem em mim nem quiserem me ouvir e disserem: “O Senhor não lhe apareceu”?”

2 Então o Senhor lhe perguntou: “Que é isso em sua mão?” “Uma vara”, respondeu ele.

3 Disse o Senhor: “Jogue-a ao chão”. Moisés jogou-a, e ela se transformou numa serpente. Moisés fugiu dela,

4 mas o Senhor lhe disse: “Estenda a mão e pegue-a pela cauda”. Moisés estendeu a mão, pegou a serpente e esta se transformou numa vara em sua mão.

5 E disse o Senhor: “Isso é para que eles acreditem que o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, apareceu a você”.

6 Disse-lhe mais o Senhor: “Coloque a mão no peito”. Moisés obedeceu e, quando a retirou, ela estava leprosa; parecia neve.

7 Ordenou-lhe depois: “Agora, coloque de novo a mão no peito”. Moisés tornou a pôr a mão no peito e, quando a tirou, ela estava nova­mente como o restante da sua pele.

8 Prosseguiu o Senhor: Se eles não acreditarem em você nem derem atenção ao primeiro sinal milagroso, acreditarão no segundo.

9 E se ainda assim não acreditarem nestes dois sinais nem lhe derem ouvidos, tire um pouco de água do Nilo e derrame-a em terra seca. Quando você derramar essa água em terra seca ela se transformará em sangue.

Êxodo 4.10 – 17: “Não sei falar!”

10 Disse, porém, Moisés ao Senhor: “Ó Senhor! Nunca tive facilidade para falar, nem no passado nem agora que falaste a teu servo. Não consigo falar bem!”

11 Disse-lhe o Senhor: Quem deu boca ao homem? Quem o fez surdo ou mudo? Quem lhe concede vista ou o torna cego? Não sou eu, o Senhor?

12 Agora, pois, vá; eu estarei com você, ensinando-lhe o que dizer.

13 Respondeu-lhe, porém, Moisés: “Ah, Senhor! Peço-te que envies outra pessoa”.

14 Então o Senhor se irou com Moisés e lhe disse: Você não tem o seu irmão Arão, o levita? Eu sei que ele fala bem. Ele já está vindo ao seu encontro e se alegrará ao vê-lo.

15 Você falará com ele e lhe dirá o que ele deve dizer; eu estarei com vocês quando falarem, e lhes direi o que fazer.

16 Assim como Deus fala ao profeta, você falará a seu irmão, e ele será o seu porta-voz diante do povo.

17 E leve na mão esta vara; com ela você fará os sinais milagrosos.

Êxodo 4.18 – 23: De volta ao Egito

18 Depois Moisés voltou a Jetro, seu sogro, e lhe disse: “Preciso voltar ao Egito para ver se meus parentes ainda vivem”. Jetro lhe respondeu: “Vá em paz!”

19 Ora, o Senhor tinha dito a Moisés, em Midiã: “Volte ao Egito, pois já morreram todos os que procuravam matá-lo”.

20 Então Moisés levou sua mulher e seus filhos montados num jumento e partiu de volta ao Egito. Levava na mão a vara de Deus.

21 Disse mais o Senhor a Moisés: Quando você voltar ao Egito, tenha o cuidado de fazer diante do faraó todas as maravilhas que concedi a você o poder de realizar. Mas eu vou endurecer o coração dele, para não deixar o povo ir.

22 Depois diga ao faraó que assim diz o Senhor: Israel é o meu primeiro filho,

23 e eu já lhe disse que deixe o meu filho ir para prestar-me culto. Mas você não quis deixá-lo ir; por isso matarei o seu primeiro filho!

Êxodo 4.24 – 26: Moisés é circuncidado

24 Numa hospedaria ao longo do caminho, o Senhor foi ao encontro de Moisés e procurou matá-lo.

25 Mas Zípora pegou uma pedra afiada, cortou o prepúcio de seu filho e tocou os pés de Moisés. E disse: “Você é para mim um marido de sangue!”

26 Ela disse “marido de sangue”, referindo-se à circuncisão. Nessa ocasião o Senhor o deixou.

Êxodo 4.27 – 31: Moisés e Arão

27 Então o Senhor disse a Arão: “Vá ao deserto encontrar-se com Moisés”. Ele foi, encontrou-se com Moisés no monte de Deus, e o saudou com um beijo.

28 Moisés contou a Arão tudo o que o Senhor lhe tinha mandado dizer, e também falou-lhe de todos os sinais milagrosos que lhe havia ordenado realizar.

29 Assim Moisés e Arão foram e reuniram todas as autoridades dos israelitas,

30 e Arão lhes contou tudo o que o Senhor dissera a Moisés. Em seguida Moisés também realizou os sinais diante do povo,

31 e eles creram. Quando o povo soube que o Senhor decidira vir em seu auxílio, tendo visto a sua opressão, curvou-se em adoração.

 

Referências:

Hannah, J. D. (1985). Êxodo. Em J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), O Comentário do Conhecimento da Bíblia: Uma Exposição das Escrituras (Vol. 1, p. 113-114). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here