Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Filemom Estudo: Carta de Paulo a Filemom

Paulo escreveu esta carta da prisão como uma carta pessoal, a um homem chamado Filemom, mais provavelmente durante sua primeira prisão em Roma. Os nomes idênticos que aparecem em nesta carta e em Colossenses, indicam que Filemom morava em Colossos e que as duas cartas foram escritas e entregues juntas.

Paulo escreveu esta carta com o objetivo de resolver o problema de seu escravo, cristão que havia fugido. Esse era um crime cuja pena era a morte. Paulo intercede em favor da vida de Onésimo e pede que graciosamente o receba de volta. Como um irmão crente e companheiro de Paulo, com o mesmo amor com que acolheria o próprio Paulo.

Capítulo

Capítulo 1: Paulo Intercede por Onésimo

 

O Motivo da Carta a Filemom

A epístola a Filemom foi posta por último entre as epístolas que são creditadas a Paulo, talvez pelo fato de ser a mais curta e com um argumento peculiar e diferente de todas as outras. Mas o Espírito de Deus, que a compôs, viu que ela seria instrutiva e útil nas igrejas.

O motivo dessa carta é o seguinte: Filemom, alguém com certa reputação e provavelmente ministro na igreja de Colossos, uma cidade da Frigia, tinha um servo (escravo) chamado Onésimo, que, tendo roubado parte dos seus bens, fugiu da sua casa, e veio a Roma, onde Paulo era então prisioneiro do evangelho.

Ali, providencialmente, Onésimo ouviu a pregação do apóstolo e se converteu, pela bênção de Deus. Depois disso, serviu ao apóstolo em cadeias, e pode, mais adiante, ter sido útil a ele.

Mas, sabendo que era escravo de outro homem, Paulo não ficaria com ele, sem o consentimento de Filemom, enviando-o de volta com essa carta de recomendação, em que seriamente pede perdão por Onésimo e uma recepção bondosa para ele.

Antes de entrarmos na exposição propriamente dita, as coisas gerais que se seguem podem ser observadas da epístola e do que se relaciona com ela:

A bondade e misericórdia de Deus a um pobre e errante pecador, conduzindo-o pela sua providência graciosa para debaixo dos recursos e tornando-os eficazes na sua conversão.

Assim diz o Senhor pela boca do profeta: “Fui buscado pelos que não perguntavam por mim; fui achado por aqueles que me não buscavam” (Isaías 65.1).

O Milagre da Conversão

A grande e terna afeição entre um verdadeiro convertido e aquele que Deus usou para ser agente da sua conversão.

Paulo considera esse pobre fugitivo agora seu filho na fé, que ele havia gerado; e Onésimo prontamente o serve na prisão e alegremente continuaria a fazê-lo, se isso fosse possível.  Mas, sendo servo de outro, ele deve retornar e submeter-se ao seu senhor e ficar à sua disposição.

Paulo se interessa profundamente por esse pobre, estando agora, por meio da sua pregação, reconciliado com Deus, ele trabalha pela reconciliação entre ele e seu senhor.

Ele então escreve uma carta tocante em seu favor. Ele busca todos os argumentos possíveis para serem usados nesse caso. E todos são tão convincentes que, se estivesse pedindo o maior favor para si mesmo, teria usado os mesmos argumentos. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.