Gálatas - Bíblia de Estudo Online

Em Gálatas 3, Paulo fala sobre a insensatez dos Gálatas. Ele apresenta principalmente o recebimento do Espírito Santo, mediante o sacrifício de  Jesus.

Há uma descrição detalhada do exemplo de justificação dado a Abraão, que ocorreu como consequência da sua fé nas promessas de Deus. A comparação é feita com a prática da lei, por meio da qual o Espírito não é derramado.

Essa fé em Cristo, nos torna participantes da bênção de Deus prometida a Abraão e a mesma justificação concedida a ele.

Ele encerra Gálatas 3, apresentando o propósito original da lei e sua autoridade antes de Cristo. O acesso a essa fé nos torna filhos de Deus, em Jesus.

Esboço de Gálatas 3:

3.1 – 5: O sacrifício de Jesus Cristo e a prática da Lei

3.6 – 12: O exemplo de Abraão, a justificação pela fé e a lei

3.13 – 18: Em Jesus Cristo participamos da bênção à Abraão

3.19 – 24: O propósito da lei

3.25 – 29: A fé nos torna filhos de Deus em Jesus Cristo

 

O sacrifício de Jesus Cristo e a prática da Lei (3: 1-5)

O tom de Paulo era direto e severo enquanto ele protestava: “Vocês gálatas tolos!” Abraçar uma doutrina que declarava a morte de Cristo desnecessária era irracional (2:21).

Quase pareceria que eles tinham sido enfeitiçados, lançados sob algum feitiço maligno por uma influência maligna. Mas eles não tinham desculpas porque o Salvador havia sido claramente retratado como crucificado antes deles.

Paulo tinha vividamente e graficamente proclamado o Cristo crucificado aos gálatas; ainda assim seus olhos foram desviados da Cruz para a Lei (Gálatas 3:1).

Eles eram indesculpáveis!

Para demonstrar de maneira convincente que somente a fé é o método de lidar de Deus, o apóstolo fez quatro perguntas.

  1. Como vocês receberam o Espírito Santo? (Gálatas 3:2)

Esta pergunta retórica apontou para o tempo de suas conversões, quando eles receberam o Espírito Santo (cf. 4:6). Assim Paulo não questionou a sua salvação, mas desafiou-os a considerar se foram salvos e receberam o Espírito pela fé ou com base nas obras.

Foi, naturalmente, pela fé, quando ouviram Paulo pregar o evangelho. Como uma igreja essencialmente gentia eles não possuíam a Lei Mosaica de qualquer maneira.

  1. Como você foram santificados?

Pressupondo a resposta de que os Gálatas se tornaram cristãos pela fé, Paulo perguntou se eles eram tão tolos a ponto de pensar que poderiam começar a vida cristã de um modo (pela fé) e passar para a maturidade espiritual em outro (pelas obras).

Foi isso que os judaizantes promoveram (cf. 4:10; 5:2; 6:13), mas os meios de justificação e santificação foram (e são) os mesmos.

Não havia nenhuma provisão sob a Lei para o Espírito Santo fazer uma obra de santificação. Os crentes da Galácia provavelmente pensaram que manter a antiga Lei os ajudaria em suas vidas espirituais, mas não o faria.

  1. Vocês sofreram em vão?

A terceira pergunta relembra a perseguição que os apóstolos e os novos crentes experimentaram na região da Galácia. Quando Paulo e Barnabé refizeram seus passos no final da primeira viagem missionária, eles advertiram aos conversos da Galácia que eles sofreriam como cristãos (Atos 14:21-22).

A perseguição, evidentemente, logo se seguiu, e Paulo lembrou-lhes que, se eles se saíssem da graça para a Lei, eles marcariam a sua antiga posição por engano e, então, teriam sofrido muito por nada. Mas o apóstolo não estava disposto a acreditar que isso era assim.

  1. Com base em que Deus fez milagres?

Os milagres realizados entre os gálatas pelo poder divino foram registrados no livro de Atos (14:3, 8-11). Ficou claro, além disso, que essas obras sobrenaturais não eram o resultado das obras da Lei, mas ao ouvir que leva à fé.

Os gálatas não conheciam a lei, e a mensagem de Paulo era a da justificação pela fé.

Referências:

Campbell, D. K. (1985). Galatians. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 2, p. 596–597). Wheaton, IL: Victor Books.

6 COMENTÁRIOS

  1. Irmão Diego. Início aqui, lhe parabenizando, pelo belo trabalho, ora, aqui apresentado. De acordo com Gálatas 3, só pelo capitulo ora, lido. E a pergunta do irmão Pedro Almeida, que ele cita a circundação, e vc ao responder acrescenta o termo “além de outras centenas de coisas e acreditar que podiam ser salvos por essas práticas.” Meu amado, tenho uma questão que, fica em oculto e na obscuridade. Dente essas centenas, nunca contei, mas li algo em torno de 613 práticas. O número nem importa tanto, o que importa e saber e conhecer, se algo FOI prática da LEI ou se faz parte da promessa GRAÇA. Amado, seria o DÍZIMO, uma prática Fé? Essa doação que, nunca foi em dinheiro, nunca foi mensal, eram alimentos e animais, eram para os pobres, órfãos, estrangeiros e Sacerdote levita… . Peço-lhes, esse entendimento. E perguntar-lhes, como faço para ter acesso a esses estudos. Grato irmão, fique com DEUS.

  2. “Eles tinham começado bem, mas agora estavam se voltando para a lei. Eles esperavam subir degraus mais altos da perfeição em relação à justificação ao acrescentar a obediência da lei à fé em Cristo.”

    Quando chegamos a esse ponto do estudo, a lei que tanto se fala, seria que parte da lei? A circundação?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here