marca_final-01

Gálatas 3 Estudo: Não RETROCEDA!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em Gálatas 3, Paulo fala sobre a insensatez dos Gálatas apresentando principalmente o recebimento do Espírito Santo, mediante o sacrifício de  Jesus como argumento para a justificação pela fé.

Há uma descrição detalhada do exemplo de justificação dado a Abraão, que ocorreu como consequência da sua fé nas promessas de Deus. A comparação é feita com a prática da lei, por meio da qual o Espírito não é derramado.

Essa fé em Cristo, nos torna participantes da bênção de Deus prometida a Abraão e a mesma justificação concedida a ele.

Ele encerra Gálatas 3, apresentando o propósito original da lei e sua autoridade antes de Cristo. O acesso a essa fé nos torna filhos de Deus, em Jesus.

Esboço de Gálatas 3:

3.1 – 5: O sacrifício de Jesus Cristo e a prática da Lei

3.6 – 12: O exemplo de Abraão, a justificação pela fé e a lei

3.13 – 18: Em Jesus Cristo participamos da bênção à Abraão

3.19 – 29: A fé nos torna filhos de Deus em Jesus Cristo

O sacrifício de Jesus Cristo e a prática da Lei

Paulo protestou contra os gálatas por eles terem acreditado em uma doutrina que declarou a morte de Cristo desnecessária (Gálatas 3.1 – 5).

Algo completamente irracional!

É como se eles tivessem sido enfeitiçados, ou estivessem sob algum tipo de influência maligna.

De toda forma era algo indesculpável, visto que Cristo tinha sido crucificado e morto, à vista de todos.

da forma era algo indesculpável, visto que Cristo tinha sido crucificado e morto, à vista de todos.

Os judaizantes diziam que estavam amparados pelo Antigo Testamento em sua forma de crer. Principalmente por Moisés, o grande profeta!

Contudo, dirigido pelo Espírito Santo, Paulo vai ainda mais longe.

Ele invoca a figura de Abraão, que foi justificado pela fé, como vemos em Gênesis 15.6, antes mesmo de ser circuncidado.

Então como os judaizantes poderiam insistir que a circuncisão era algo essencial para sermos aceitos por Deus?

O exemplo de Abraão, a justificação pela fé e a lei

Ao contrário do que os judaizantes ensinavam, a Lei não podia justificar, pelo contrário, ela condenava (Gálatas 3.6 – 12) .

Paulo utiliza Deuteronômio 27.26 para mostrar que a Lei exigia perfeição, tornando maldito todo aquele que não a cumprisse.

A violação de apenas um mandamento, por menor que fosse, faria da pessoa réu sob a maldição; e como todo mundo comete erros, todos estão sob a maldição.

A declaração de que uma pessoa pode obter a aprovação de Deus pelo esforço humano é, completamente infundada.

Ainda utilizando o Velho Testamento, Paulo mostra que, mesmo durante a dispensação da Lei a obediência não era a base para uma justificação completa diante de Deus (Habacuque 2.4).

Em Jesus Cristo participamos da bênção à Abraão

Paulo nos mostra que a única forma de redenção completa e definitiva acontece em Jesus Cristo, confirmando o que disse o Senhor em Marcos 10.45 (Gálatas 3.13 – 18).

E como ele fez isso?

Sendo feito maldição em nosso lugar.

Esta é uma forte declaração de redenção substitutiva pela qual Cristo assumiu a penalidade de todos os infratores da lei culpados sobre Si mesmo.

Assim, a “maldição da Lei” foi transferida dos pecadores para Jesus, o (ver 1 Pedro 3:18), e Ele entregou as pessoas a partir dele.

Quando Jesus Cristo foi crucificado, a ira de Deus contra o pecado foi derramada sobre ele (Deuteronômio 21:23).

A maneira como Jesus morreu foi um grande obstáculo para a fé dos judeus até que eles percebessem que a maldição que Ele carregava era por eles, como está escrito em Isaías 53.

Mesmo que os oponentes de Paulo declarassem que Abraão foi justificado pela fé, eles o faziam dizendo que a Lei, tendo vindo depois, alterou completamente a base para alcançar a salvação.

Mas isso não faz sentido, visto que as promessas feitas a Abraão e à sua descendência não se cumpriram antes da ministração da Lei.

Pelo contrário, elas encontraram cumprimento em Cristo e estão em vigor para sempre.

A bênção da justificação pela fé é, portanto, permanente e não poderia não ser alterada pela Lei.

E Mateus declara Jesus como sendo filho de Abraão, ou seja, um herdeiro legítimo da (Mateus 1.1).

O propósito da lei e a justificação

Sendo assim, todos os que acreditam em Cristo se tornam filhos de Deus (Gálatas 3.19 – 24).

Como vemos no versículo 24, a Lei foi uma espécie de tutor, e aqueles que estavam sob sua supervisão foram considerados como crianças.

No entanto, agora que Cristo veio, os crentes da Galácia eram filhos adultos pela fé e não estavam mais sob o comando de um guardião judeu.

Por que deve mudar para algo inferior?

A exaltada posição de “filhos de Deus ” é explicado no versículo 27 para mostra a vida de união com Cristo por meio do batismo

Esta união nos reveste da justiça de Jesus Cristo. Assim, os gálatas crentes tinham colocado de lado as velhas roupas da Lei e estavam

SONY DSC

Sobre o Autor

Instagram:@diegonascimento316

YouTube: Canal do Jesus e a Bíblia

11 COMENTÁRIOS

  1. Estou em Moçambique e Diego Nascimento é o meu professor bíblico virtual.
    Tenho feito autoestudo com o seu discernimento biblico (explicação).
    Estou a cada dia a crescer, tenho um grupo de oracao que sao 15min nas segundas, quartas e sextas feiras das 13h as 13h15, onde ensino os irmaos a palavra atraves do seu conhecimentos. O projecto começou com 3 pessoas agora somos 50pessoas.
    Quero pedir a Deus para que abencoe a sua familia e seu ministerio.
    Muito obrigada

    • Nem sei dizer o quanto sou grato a Deus por seu testemunho Mody!
      Fiz um vídeo de gratidão no meu instagram @diegonascimento316.
      Eu oro para que Deus lhe abençoe muitíssimo assim como a todo o grupo que você lidera.

      Deus a abençoe minha irmã!

  2. Estou ainda no início do acompanhamento dos estudos, mais já me sinto abençoanda pelos ensinamentos provenientes do conteúdo que existe dentro das suas postagens. Vou se possível continuar acompanhando tudo com muita vontade e atenção.

  3. Irmão Diego. Início aqui, lhe parabenizando, pelo belo trabalho, ora, aqui apresentado. De acordo com Gálatas 3, só pelo capitulo ora, lido. E a pergunta do irmão Pedro Almeida, que ele cita a circundação, e vc ao responder acrescenta o termo “além de outras centenas de coisas e acreditar que podiam ser salvos por essas práticas.” Meu amado, tenho uma questão que, fica em oculto e na obscuridade. Dente essas centenas, nunca contei, mas li algo em torno de 613 práticas. O número nem importa tanto, o que importa e saber e conhecer, se algo FOI prática da LEI ou se faz parte da promessa GRAÇA. Amado, seria o DÍZIMO, uma prática Fé? Essa doação que, nunca foi em dinheiro, nunca foi mensal, eram alimentos e animais, eram para os pobres, órfãos, estrangeiros e Sacerdote levita… . Peço-lhes, esse entendimento. E perguntar-lhes, como faço para ter acesso a esses estudos. Grato irmão, fique com DEUS.

  4. “Eles tinham começado bem, mas agora estavam se voltando para a lei. Eles esperavam subir degraus mais altos da perfeição em relação à justificação ao acrescentar a obediência da lei à fé em Cristo.”

    Quando chegamos a esse ponto do estudo, a lei que tanto se fala, seria que parte da lei? A circundação?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.

});