marca_final-01

Gálatas 4 Estudo: Filhos da Escravidão e da Liberdade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em Gálatas 4, Paulo fala sobre a nossa adoção em Jesus Cristo. Ele esclarece o fato, de que anteriormente estávamos debaixo da autoridade da lei, por causa da ausência da redenção.

A graça de Deus que se manifestou em Cristo é muito superior a lei de Moisés. Por isso, não devemos voltar aos fracos rudimentos da lei.

Neste ponto, Paulo é muito franco com os Gálatas. E lhes mostra que em Jesus somos filhos de Sara e não de Agar. Isto é, somos livres e não escravos.

Esboço de Gálatas 4:

4.1 – 7: De escravos a filhos de Deus

4.8 – 12: Não devemos voltar aos rudimentos fracos da lei

4.13 – 15: A enfermidade na visão de Paulo

4.16 – 20: A franqueza de Paulo

4.21 – 31: Não somos filhos de Agar, mas de Sara

Não ceda ao legalismo (4.1 – 11)

Para ilustrar imaturidade espiritual daqueles que viviam sob a Lei de Moisés, Paulo lembrou os gálatas de certas características de um herdeiro, enquanto criança.

Embora por direito de nascença ele possuísse a inteira propriedade, era mantido em submissão e não podia tomar decisões.

Na verdade, o herdeiro como uma criança estava sob a guarda de tutores que protegiam seus bens.
Era assim até que ele veio de idade se tornasse adulto.

Antes da conversão os Gálatas, assim como todos nós, servíamos a falsos deuses, tais como Zeus e Hermes (Atos 14:11-13).

Mas quando conheceram a Deus, ou foram conhecidos por Ele, foram libertos da cegueira espiritual.
No entanto, eles estravam retrocedendo e voltando ao legalismo. Isso deixou Paulo pasmo e consternado.

Será que eles entendiam que estavam voltando para um estado de escravidão religiosa? Era esse o real desejo deles?

Os rudimentos fracos da lei (4.8 – 18)

Mesmo enfrentando as fraquezas do seu corpo, Paulo continua a servir os Gálatas com excelência (Gálatas 4.12).

Embora a atitude de Paulo para com os gálatas fosse sincera os legalistas, com suas mentiras o acusavam de sentimentos profanos.

Enquanto Paulo falava a verdade apóstolo falou a verdade (Gálatas 4.16), os judaizantes mentiam descaradamente.  

Eles queriam a alienar, impedir os Gálatas de ouvir e receber a verdade ministrada por Paulo e seus companheiros.

Não somos filhos de Agar, mas de Sara (4.18 – 31)

Profundamente inspirado, o apóstolo apresenta uma ilustração das escrituras para concluir sua defesa teológica da justificação pela fé.

Ele menciona o Antigo Testamento e a história da vida de Abraão para fazer um contraste entre o patriarca, Moisés, a Lei, a graça, as obras e a fé.

SONY DSC

Sobre o Autor

Instagram:@diegonascimento316

YouTube: Canal do Jesus e a Bíblia

10 COMENTÁRIOS

  1. É preciso explicar claramente que s “lei” (singular) a que Paulo se referia era a lei em forma de ordenança, abolidas com a morte de Jesus. Não há referência ao Pentateuco.

  2. Bom dia á paz do Senhor Jesus queridos, sou á miss Jussara esposa do Pr Carlos Silva, estou maravilhada com esse estudo sobre O nosso missionário Paulo, que coisa extraordinária, estou amando. Que cada dia nós possamos aprender mais é mais. Obrigada fiquem na Paz do Senhor Jesus. Bjs no ??❤❤❤

  3. Foi muito edificante para mim,
    Esses estudos tem me ajudado a compreender melhor as cartas de paulo e sua visão quanto ao evangelho, estou fazendo um estudo sobre as cartas de paulo e tenho me maravilhado com a excelência dos estudos…..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.

});