Gênesis 12 Estudo: O Chamado de Abrão

Os versículos de Gênesis 12:1–3 registram o chamado de Deus a Abrão e os versículos 4–9 registram a obediência de Abrão. O chamado tinha dois imperativos, cada um com promessas subsequentes.

O primeiro imperativo era sair (deixar seu país … ir para a terra, v. 1), e o segundo imperativo era ser uma bênção. (O segundo imperativo, no verso 2, é imprecisamente traduzido em muitas versões, incluindo a NVI, como uma previsão, você será uma bênção. Mas lit., é, “Seja uma bênção”.)

Sua partida iniciou uma corrente de reações. Se Abrão saísse de Ur, Deus faria três coisas para ele, para que ele pudesse ser uma bênção na terra (o segundo imperativo); e ele tinha que ser essa bênção para que Deus fizesse mais três coisas para ele.

Essa simetria não deve ser perdida, pois fortalece o significado. O chamado de Abrão tinha um propósito: sua obediência traria uma grande bênção.

Três promessas foram baseadas no chamado de Deus para Abrão para deixar sua terra:

  • uma grande nação;
  • uma bênção para Abrão;
  • um grande nome (v. 2);

Essas promessas permitiriam que ele fosse “uma bênção” (o segundo imperativo, v. 2). Baseado nesta obediência estavam as três promessas de Deus para:

  • abençoar aqueles que o abençoaram;
  • amaldiçoar qualquer um que o tratasse levemente;
  • abençoar as famílias da terra através dele (v. 3).

Abençoar ou amaldiçoar Abrão era abençoar ou amaldiçoar o Deus de Abrão. Infelizmente, muitas vezes Deus teve que usar outras nações para disciplinar Seu povo porque, longe de ser uma bênção para o mundo, eles geralmente eram desobedientes.

A terceira promessa assume o seu maior cumprimento no fato de que Jesus Cristo se tornou o meio de abençoar o mundo (Gálatas 3:8, 16; cf. Rm 9:5).

A ideia de fé é enfatizada nessas passagens. A Abrão foi dito para deixar várias coisas – seu “país”, seu povo e a casa de seu pai (Gênesis 12:1). Mas ele não foi informado sobre a terra para a qual ele deveria ir. Sua partida exigiu um ato de fé inigualável.

Os temas de bênção e maldição são intensificados aqui. Na verdade, esta é a passagem central do livro de Gênesis. Aqui começa o programa que era tão desesperadamente necessário nos capítulos 1–11 (cujo propósito era mostrar que essa bênção era necessária).

Este foi o chamado; Abrão respondeu a isso pela fé. As promessas que se seguiram foram formuladas mais tarde, sob condições de aliança (15: 8–21).

Esboço de Gênesis 12:

12.1 – 3: O chamado de Abrão

12.4,5: Abrão chega a Canaã

12.6 – 9: A devoção de Abrão

12.10 – 13: Abrão vai ao Egito

12.14 – 20: Deus pune Faraó 

 

Gênesis 12.1 – 3: O chamado de Abrão

1 Então o Senhor disse a Abrão: Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei.

2 Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção.

3 Abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados.

Gênesis 12.4,5: Abrão chega a Canaã

4 Partiu Abrão, como lhe ordenara o Senhor, e Ló foi com ele. Abrão tinha setenta e cinco anos quando saiu de Harã.

5 Levou sua mulher Sarai, seu sobrinho Ló, todos os bens que haviam acumulado e os seus servos, comprados em Harã; partiram para a terra de Canaã e lá chegaram.

Gênesis 12.6 – 9: A devoção de Abrão

6 Abrão atravessou a terra até o lugar do carvalho de Moré, em Siquém. Naque­la época os cananeus habitavam essa terra.

7 O Senhor apareceu a Abrão e disse: “À sua descendência darei esta terra”. Abrão construiu ali um altar dedicado ao Senhor, que lhe havia aparecido.

8 Dali prosseguiu em direção às colinas a leste de Betel, onde armou acampamento, tendo Betel a oeste e Ai a leste. Construiu ali um altar dedicado ao Senhor e invocou o nome do Senhor.

9 Depois Abrão partiu e prosseguiu em direção ao Neguebe. Abrão no Egito

Gênesis 12.10 – 13: Abrão vai ao Egito

10 Houve fome naquela terra, e Abrão desceu ao Egito para ali viver algum tempo, pois a fome era rigorosa.

11 Quando estava chegando ao Egito, disse a Sarai, sua mulher: Bem sei que você é bonita.

12 Quando os egípcios a virem, dirão: “Esta é a mulher dele”. E me matarão, mas deixarão você viva.

13 Diga que é minha irmã, para que me tratem bem por amor a você e minha vida seja poupada por sua causa.

Gênesis 12.14 – 20: Deus pune Faraó

14 Quando Abrão chegou ao Egito, viram os egípcios que Sarai era uma mulher muito bonita.

15 Vendo-a, os homens da corte do faraó a elogiaram diante do faraó, e ela foi levada ao seu palácio.

16 Ele tratou bem a Abrão por causa dela, e Abrão recebeu ovelhas e bois, jumentos e jumentas, servos e servas, e camelos.

17 Mas o Senhor puniu o faraó e sua corte com graves doenças, por causa de Sarai, mulher de Abrão.

18 Por isso o faraó mandou chamar Abrão e disse: O que você fez comigo? Por que não me falou que ela era sua mulher?

19 Por que disse que era sua irmã? Foi por isso que eu a tomei para ser minha mulher. Aí está a sua mulher. Tome-a e vá!

20 A seguir o faraó deu ordens para que providenciassem o necessário para que Abrão partisse, com sua mulher e com tudo o que possuía.

 

Referências:

Ross, A. P. (1985). Genesis. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 47). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here