Em Gênesis 24 percebemos que casamentos e funerais modificam as famílias, e são as notícias comuns entre os habitantes dos povoados. No capítulo anterior, vimos a Abraão sepultando sua mulher, aqui o vemos casando seu filho.

Estas histórias, a respeito da sua família, com as suas circunstâncias detalhadas, são abundantemente relatadas, ao passo que as histórias dos reinos do mundo, que então existiam, com as suas revoluções, estão sepultadas em silêncio.

Pois o Senhor conhece os que são seus. A proximidade do casamento de Isaque com o funeral de Sara (com uma referência particular a ele, v. 67), nos mostra que “quando morre uma geração, outra nasce”.

E assim a transmissão da natureza humana, assim como do concerto, é preservada. Aqui temos a preocupação de Abraão com o casamento do seu filho, e a incumbência que deu ao seu servo, a este respeito, v.v. 1-9.

A viagem do seu servo pela região de Abraão, à procura de uma esposa para o seu jovem mestre, entre os seus próprios parentes, v.v. 10-14. A gentil providência que o fez conhecer a Rebeca, cujo pai era primo-irmão de Isaque, v.v. 15-28.

O acordo de casamento com os parentes dela, v.v. 29-49. A obtenção do consentimento deles, v.v. 50-60. O feliz encontro e o casamento entre Isaque e Rebeca, v. 61ss. (Henry, Matthew, Comentário do Pentateuco)

Esboço de Gênesis 24:

Gênesis 24.1 – 9: Uma esposa para Isaque

Gênesis 24.10 – 14: A oração do servo de Abraão

Gênesis 24.15 – 20: A disposição de Rebeca

Gênesis 24.21 – 27: A resposta de Deus

Gênesis 24.28 – 32: Bem acolhido

Gênesis 24.33 – 49: Propósito revelado

Gênesis 24.50 – 61: Permissão concedida

Gênesis 24.62 – 67: O casamento de Isaque e Rebeca 

 

Gênesis 24.1 – 9: Uma esposa para Isaque

1 Abraão já era velho, de idade bem avançada, e o Senhor em tudo o abençoara.

2 Dis­se ele ao servo mais velho de sua casa, que era o responsável por tudo quanto tinha: Ponha a mão debaixo da minha coxa

3 e jure pelo Senhor, o Deus dos céus e o Deus da terra, que não buscará mulher para meu filho entre as filhas dos cananeus, no meio dos quais estou vivendo,

4 mas irá à minha terra e buscará entre os meus parentes uma mulher para meu filho Isaque.

5 O servo lhe perguntou: “E se a mulher não quiser vir comigo a esta terra? Devo então levar teu filho de volta à terra de onde vieste?”

6 “Cuidado!”, disse Abraão, “Não deixe o meu filho voltar para lá.

7 O Senhor, o Deus dos céus, que me tirou da casa de meu pai e de minha terra natal e que me prometeu sob juramento ­que à minha descendência daria esta terra, enviará o seu anjo adiante de você para que de lá traga uma mulher para meu filho.

8 Se a mulher não quiser vir, você estará livre do juramento. Mas não leve o meu filho de volta para lá.

9 Então o servo pôs a mão debaixo da coxa de Abraão, seu senhor, e jurou cumprir aquela palavra.

Gênesis 24.10 – 14: A oração do servo de Abraão

10 O servo partiu, com dez camelos do seu senhor, levando também do que o seu senhor tinha de melhor. Partiu para a Mesopotâmia, em direção à cidade onde Naor tinha morado.

11 Ao cair da tarde, quando as mulheres costumam sair para buscar água, ele fez os camelos se ajoelharem junto ao poço que ficava fora da cidade.

12 Então orou: Senhor, Deus do meu senhor Abraão, dá-me neste dia bom êxito e seja bondoso com o meu senhor Abraão.

13 Como vês, estou aqui ao lado desta fonte, e as jovens do povo desta cidade estão vindo para tirar água.

14 Concede que a jovem a quem eu disser: Por favor, incline o seu cântaro e dê-me de beber, e ela me responder: “Bebe. Também darei água aos teus camelos”, seja essa a que escolheste para teu servo Isaque. Saberei assim que foste bondoso com o meu senhor.

Gênesis 24.15 – 20: A disposição de Rebeca

15 Antes que ele terminasse de orar, surgiu Rebeca, filha de Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, trazendo no ombro o seu cântaro.

16 A jovem era muito bonita e virgem; nenhum homem tivera relações com ela. Rebeca desceu à fonte, encheu seu cântaro e voltou.

17 O servo apressou-se ao encontro dela e disse: “Por favor, dê-me um pouco de água do seu cântaro”.

18 “Beba, meu senhor”, disse ela, e tirou rapidamente dos ombros o cântaro e o serviu.

19 Depois que lhe deu de beber, disse: “Tirarei água também para os seus camelos até saciá-los”.

20 Assim ela esvaziou depressa seu cântaro no bebedouro e correu de volta ao poço para tirar mais água para todos os camelos.

Gênesis 24.21 – 27: A resposta de Deus

21 Sem dizer nada, o homem a observava atentamente para saber se o Senhor tinha ou não coroado de êxito a sua missão.

22 Quando os camelos acabaram de beber, o homem deu à jovem um pendente de ouro de seis gramas e duas pulseiras de ouro de cento e vinte gramas,

23 e perguntou: “De quem você é filha? Diga-me, por favor, se há lugar na casa de seu pai para eu e meus companheiros passarmos a noite”.

24 “Sou filha de Betuel, o filho que Milca deu a Naor”, respondeu ela;

25 e acrescentou: “Temos bastante palha e forragem, e também temos lugar para vocês passarem a noite”.

26 Então o homem curvou-se em adoração ao Senhor,

27 dizendo: “Bendito seja o Senhor, o Deus do meu senhor Abraão, que não retirou sua bondade e sua fidelidade do meu senhor. Quanto a mim, o Senhor me conduziu na jornada até a casa dos parentes do meu senhor”.

Gênesis 24.28 – 32: Bem acolhido

28 A jovem correu para casa e contou tudo à família de sua mãe.

29 Rebeca tinha um irmão chamado Labão. Ele saiu apressado à fonte para conhecer o homem,

30 pois tinha visto o pendente e as pulseiras no braço de sua irmã, e ouvira Rebeca contar o que o homem lhe dissera. Saiu, pois, e foi encontrá-lo parado junto à fonte, ao lado dos camelos.

31 E disse: “Venha, bendito do Senhor! Por que ficar aí fora? Já arrumei a casa e um lugar para os camelos”.

32 Assim o homem dirigiu-se à casa, e os camelos foram descarregados. Deram palha e forragem aos camelos, e água ao homem e aos que estavam com ele para lavarem os pés.

Gênesis 24.33 – 49: Propósito revelado

33 Depois lhe trouxeram comida, mas ele disse: “Não comerei enquanto não disser o que tenho para dizer”. Disse Labão: “Então fale”.

34 E ele disse: Sou servo de Abraão.

35 O Senhor o abençoou muito, e ele se tornou muito rico. Deu-lhe ovelhas e bois, prata e ouro, servos e servas, camelos e jumentos.

36 Sara, mulher do meu senhor, na velhice lhe deu um filho, que é o herdeiro de tudo o que Abraão possui.

37 E meu senhor fez-me jurar, dizendo: “Você não buscará mulher para meu filho entre as filhas dos cananeus, em cuja terra estou vivendo,

38 mas irá à família de meu pai, ao meu próprio clã, buscar uma mulher para meu filho”.

39 Então perguntei a meu senhor: E se a mulher não quiser me acompanhar?

40 Ele respondeu: “O Senhor, a quem tenho servido, enviará seu anjo com você e coroará de êxito a sua missão, para que você traga para meu filho uma mulher do meu próprio clã, da família de meu pai.

41 Quando chegar aos meus parentes, você estará livre do juramento se eles se recusarem a entregá-la a você. Só então você estará livre do juramento”.

42 Hoje, quando cheguei à fonte, eu disse: Ó Senhor, Deus do meu senhor Abraão, se assim desejares, dá êxito à missão de que fui incumbido.

43 Aqui estou em pé diante desta fonte; se uma moça vier tirar água e eu lhe disser: Por favor, dê-me de beber um pouco de seu cântaro,

44 e ela me responder: “Bebe. Também darei água aos teus camelos”, seja essa a que o Senhor escolheu para o filho do meu senhor.

45 Antes de terminar de orar em meu coração, surgiu Rebeca, com o cântaro ao ombro. Dirigiu-se à fonte e tirou água, e eu lhe disse: Por favor, dê-me de beber.

46 Ela se apressou a tirar o cântaro do ombro e disse: “Bebe. Também darei água aos teus camelos”. Eu bebi, e ela deu de beber também aos camelos.

47 Depois lhe perguntei: De quem você é filha? Ela me respondeu: “De Betuel, filho de Naor e Milca”. Então coloquei o pendente em seu nariz e as pulseiras em seus braços,

48 e curvei-me em adoração ao Senhor. Bendisse ao Senhor, o Deus do meu senhor Abraão, que me guiou pelo caminho certo para buscar para o filho dele a neta do irmão do meu senhor.

49 Agora, se quiserem mostrar fidelidade e bondade a meu senhor, digam-me; e, se não quiserem, digam-me também, para que eu decida o que fazer.

Gênesis 24.50 – 61: Permissão concedida

50 Labão e Betuel responderam: Isso vem do Senhor; nada lhe podemos dizer, nem a favor, nem contra.

51 Aqui está Rebeca; leve-a com você e que ela se torne a mulher do filho do seu senhor, como disse o Senhor.

52 Quando o servo de Abraão ouviu o que disseram, curvou-se até o chão diante do Senhor.

53 Então o servo deu joias de ouro e de prata e vestidos a Rebeca; deu também presentes valiosos ao irmão dela e à sua mãe.

54 Depois ele e os homens que o acompanhavam comeram, beberam e ali passaram a noite. Ao se levantarem na manhã seguinte, ele disse: “Deixem-me voltar ao meu senhor”.

55 Mas o irmão e a mãe dela responderam: “Deixe a jovem ficar mais uns dez dias conosco; então você poderá partir”.

56 Mas ele disse: “Não me detenham, agora que o Senhor coroou de êxito a minha missão. Vamos despedir-nos, e voltarei ao meu senhor”.

57 Então lhe disseram: “Vamos chamar a jovem e ver o que ela diz”.

58 Chamaram Rebeca e lhe perguntaram: “Você quer ir com este homem?” “Sim, quero”, respondeu ela.

59 Despediram-se, pois, de sua irmã Rebeca, de sua ama, do servo de Abraão e dos que o acompanhavam.

60 E abençoaram Rebeca, dizendo-lhe: “Que você cresça, nossa irmã, até ser milhares de milhares; e que a sua descendência conquiste as cidades dos seus inimigos”.

61 Então Rebeca e suas servas se aprontaram, montaram seus camelos e partiram com o homem. E assim o servo partiu levando Rebeca.

Gênesis 24.62 – 67: O casamento de Isaque e Rebeca

62 Isaque tinha voltado de Beer-Laai-Roi, pois habitava no Neguebe.

63 Certa tarde, saiu ao campo para meditar. Ao erguer os olhos, viu que se aproximavam camelos.

64 Rebeca também ergueu os olhos e viu Isaque. Ela desceu do camelo

65 e perguntou ao servo: “Quem é aquele homem que vem pelo campo ao nosso encontro?” “É meu senhor”, respondeu o servo. Então ela se cobriu com o véu.

66 Depois o servo contou a Isaque tudo o que havia feito.

67 Isaque levou Rebeca para a tenda de sua mãe Sara; fez dela sua mulher, e a amou; assim Isaque foi consolado após a morte de sua mãe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here