Gênesis 29 Estudo: O Casamento de Jacó

A alegre perspectiva de Jacó de se casar com Raquel se transformou, por engano de Labão, em um pesadelo. Em Labão, Jacó conheceu a dor da traição e também seus meios de disciplina. Jacó havia enganado seu próprio irmão e pai, e agora foi enganado pelo irmão de sua mãe! (Gênesis 29:15-30).

Vinte anos (31:38) de labuta, aflição e decepção estavam à frente. Através de Labão ele recebeu seu próprio remédio de duplicidade. Mas a tenacidade de Jacó mostra que ele contou isso como pequenos contratempos. Deus o levou, desenvolveu seu caráter, transformou os frutos de sua decepção em bênção e construiu a semente prometida, a nação de Israel.

O plano de Jacó era trabalhar sete anos para ter Raquel como sua esposa. Esses sete anos de trabalho passaram rapidamente para Jacó por causa de seu amor por ela (29:20). Curiosamente, as esposas de cada um dos três primeiros patriarcas eram lindas: Sara (12:11), Rebeca (24: 15-16) e Raquel (29:17).

Enganado!

Quando chegou a hora da festa de casamento (vv. 21-22), os corações estavam alegres e os espíritos elevados. Mas na noite Lia, a irmã mais velha de Raquel, foi substituída. Esta foi uma obra-prima da traição sem vergonha – não amada, Lia foi dada a um homem apaixonado por sua irmã.

A raiva de Jacó foi em vão. Agora, como objeto de fraude, ele entenderia como Esaú se sentia. Labão argumentou que essa era uma tradição local: não é certo casar com os mais jovens antes dos mais velhos. Essas palavras devem ter transpassado Jacó!

Isso porque, ele o mais novo, fingira a seu pai ser o irmão mais velho (Gênesis 27). Se a convenção social fosse deixada de lado, deveria ser por Deus, não por engano. As palavras ardentes de Labão foram deixadas sem qualquer comentário; o evento foi simplesmente um decreto de Deus contra Jacó.

A colheita de Jacó

A Bíblia demonstra repetidamente o princípio de que, o que um homem semeia ele colhe (Gálatas 6:7). Alguns chamam o episódio de  ironia ou justiça poética, mas é mais que isso. É a retribuição divina em que muitas vezes há uma reviravolta de medida por medida.

Deus ordena os assuntos das pessoas para acertar as coisas. Com Jacó esse engano foi perfeitamente ajustado; Foi um castigo divino trazer a sua própria astúcia diante dos seus olhos. Ele enganosamente apresentou-se ao pai sob o pretexto de que era Esaú, o primogênito.

Agora Lia, a primogênita, foi enganosamente apresentada a ele sob o disfarce de Raquel, a mais nova!

Depois de sua reação inicial, Jacó reconheceu o engano e o aceitou. Ele terminou a semana nupcial (Gênesis 29:27; cf. semana no v. 28) e ao final, recebeu Raquel como esposa (duas esposas em sete dias).

Cada filha recebeu uma serva como presente de casamento, um costume comum naquela sociedade. Lia recebeu Zilpa, v. 24; e Raquel recebeu Bila, v. 29; cf. 30: 4–13.) Então Jacó trabalhou outros sete anos, que ele devia a Labão em troca de Raquel (29:30; cf. 31:38, 41).

Infelizmente, Jacó não é o único crente que precisa de um Labão para discipliná-lo.

Esboço de Gênesis 29:

29.1 – 8: Jacó chega a Padã-Arã

29.9 – 14: As virtudes de Raquel

29.15 – 30: O casamento de Jacó

29.31 – 35: Crescimento da família de Jacó 

 

Gênesis 29.1 – 8: Jacó chega a Padã-Arã

1 Então Jacó seguiu viagem e chegou à Mesopotâmia.

2 Certo dia, olhando ao redor, viu um poço no campo e três rebanhos de ovelhas deitadas por perto, pois os rebanhos bebiam daquele poço, que era tapado por uma grande pedra.

3 Por isso, quando todos os rebanhos se reuniam ali, os pastores rolavam a pedra da boca do poço e davam água às ovelhas. Depois recolocavam a pedra em seu lugar, sobre o poço.

4 Jacó perguntou aos pastores: “Meus amigos, de onde são vocês?” “Somos de Harã”, responderam.

5 “Vocês conhecem Labão, neto de Naor?”, perguntou-lhes Jacó. Eles responderam: “Sim, nós o conhecemos”.

6 Então Jacó perguntou: “Ele vai bem?” “Sim, vai bem”, disseram eles, “e ali vem sua filha Raquel com as ovelhas.”

7 Disse ele: “Olhem, o sol ainda vai alto e não é hora de recolher os rebanhos. Dêem de beber às ovelhas e levem-nas de volta ao pasto”.

8 Mas eles responderam: “Não podemos, enquanto os rebanhos não se agruparem e a pedra não for removida da boca do poço. Só então daremos de beber às ovelhas”.

Gênesis 29.9 – 14: As virtudes de Raquel

9 Ele ainda estava conversando, quando chegou Raquel com as ovelhas de seu pai, pois ela era pastora.

10 Quando Jacó viu Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe, e as ovelhas de Labão, aproximou-se, removeu a pedra da boca do poço e deu de beber às ovelhas de seu tio Labão.

11 Depois Jacó beijou Raquel e começou a chorar bem alto.

12 Então contou a Raquel que era parente do pai dela e filho de Rebeca. E ela foi correndo contar tudo a seu pai.

13 Logo que Labão ouviu as notícias acerca de Jacó, seu sobrinho, correu ao seu encontro, abraçou-o e o beijou. Depois, levou-o para casa, e Jacó contou-lhe tudo o que havia ocorrido.

14 Então Labão lhe disse: “Você é sangue do meu sangue”. Já fazia um mês que Jacó estava na casa de Labão,

Gênesis 29.15 – 30: O casamento de Jacó

15 quando este lhe disse: “Só por ser meu parente você vai trabalhar de graça? Diga-me qual deve ser o seu salário”.

16 Ora, Labão tinha duas filhas; o nome da mais velha era Lia, e o da mais nova, Raquel.

17 Lia tinha olhos meigos, mas Raquel era bonita e atraente.

18 Como Jacó gostava muito de Raquel, disse: “Trabalharei sete anos em troca de Raquel, sua filha mais nova”.

19 Labão respondeu: “Será melhor dá-la a você do que a algum outro homem. Fique aqui comigo”.

20 Então Jacó trabalhou sete anos por Raquel, mas lhe pareceram poucos dias, pelo tanto que a amava.

21 Então disse Jacó a Labão: “Entregue-me a minha mulher. Cumpri o prazo previsto e quero deitar-me com ela”.

22 Então Labão reuniu todo o povo daquele lugar e deu uma festa.

23 Mas quando a noite chegou, deu sua filha Lia a Jacó, e Jacó deitou-se com ela.

24 Labão também entregou sua serva Zilpa à sua filha, para que ficasse a serviço dela.

25 Quando chegou a manhã, lá estava Lia. Então Jacó disse a Labão: “Que foi que você me fez? Eu não trabalhei por Raquel? Por que você me enganou?”

26 Labão respondeu: Aqui não é costume entregar em casamento a filha mais nova antes da mais velha.

27 Deixe passar esta semana de núpcias e lhe daremos também a mais nova, em troca de mais sete anos de traba­lho.

28 Jacó concordou. Passou aquela semana de núpcias com Lia, e Labão lhe deu sua filha Raquel por mulher.

29 Labão deu a Raquel sua serva Bila, para que ficasse a serviço dela.

30 Jacó deitou-se também com Raquel, que era a sua preferida. E trabalhou para Labão outros sete anos.

Gênesis 29.31 – 35: Crescimento da família de Jacó

31 Quando o Senhor viu que Lia era desprezada, concedeu-lhe filhos; Raquel, porém, era estéril.

32 Lia engravidou, deu à luz um filho, e deu-lhe o nome de Rúben, pois dizia: “O Senhor viu a minha infelicidade. Agora, certamente o meu marido me amará”.

33 Lia engravidou de novo e, quando deu à luz outro filho, disse: “Porque o Senhor ouviu que sou desprezada, deu-me também este”. Pelo que o chamou Simeão.

34 De novo engravidou e, quando deu à luz mais um filho, disse: “Agora, finalmente, meu marido se apegará a mim, porque já lhe dei três filhos”. Por isso deu-lhe o nome de Levi.

35 Engravidou ainda outra vez e, quando deu à luz mais outro filho, disse: “Desta vez louvarei o Senhor”. Assim deu-lhe o nome de Judá. Então parou de ter filhos.

 

Referências:

Ross, A. P. (1985). Genesis. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 75–76). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here