Gênesis - Bíblia de Estudo Online

No início de Gênesis 35, vemos Jacó dando ordem a sua família e servos para que se livrem dos ídolos estrangeiros.

Assim como em nossos dias, muitos deles nem adoravam ou reverenciavam aquelas imagens, era algo supersticioso apenas. Eles acreditavam que aqueles ídolos poderiam trazer boa sorte.

De qualquer forma, a ordem do patriarca foi clara. Ele não queria que as influências pagãs estivessem dentro de sua casa.

Há vária maneiras de cultivarmos um ídolo. Imagem, pensamento, pessoa, desejo, enfim. Assim como Jacó devemos ser rápidos e nos livrar de tudo que possa contaminar nosso relacionamento com Deus.

O Senhor Aparece a Jacó

Deus apareceu a Jacó e lhe lembrou do seu novo nome: Israel. Como isso, queria trazer à memória que ele era chamado assim, porque apesar de todas as dificuldades e impedimentos que estiveram no seu caminho, ele perseverou e desejou manter aliança com Deus.

Na vida, todos nós teremos muitas dificuldades, o Senhor nunca prometeu que seria fácil, mas garantiu que estaria ao nosso lado. Muitos crentes desistem, desanimam diante da primeira contrariedade que lhes sobrevêm, mas com Israel, aprendemos que por mais severas que sejam as adversidades não superam o poder de Deus.

A Tolice de Rúben

Mais uma loucura cometida por um dos filhos de Israel, Rúben o primogênito de Jacó, teve relações com Bila, concubina de seu pai e mãe de alguns de seus irmãos (v.22).

Israel soube, e em um primeiro momento não fez nada, mas depois isso custou muito caro a Rúben. No leito de morte, Israel pega sua herança e declara que será de outro (Gênesis 49:4), por causa de seu pecado.

Ao errar não devemos nos acomodar. Precisamos buscar o arrependimento e perdão imediato, se houver pessoas envolvidas não devemos nos demorar na reconciliação, pois aqui vemos, que nos futuro nossos erros podem voltar para nos assombrar.

Esboço de Gênesis 35:

35.1 – 5: Jacó vai a Betel

35.6 – 15: Jacó chega a Betel

35.16 – 20: A morte de Raquel

35.21 – 29: A desgraça de Rúben 

 

Gênesis 35.1 – 5: Jacó vai a Betel

1 Deus disse a Jacó: “Suba a Betel e estabeleça-se lá, e faça um altar ao Deus que lhe apareceu quando você fugia do seu irmão Esaú”.

2 Disse, pois, Jacó aos de sua casa e a todos os que estavam com ele: Livrem-se dos deuses estrangeiros que estão entre vocês, purifiquem-se e troquem de roupa.

3 Venham! Vamos subir a Betel, onde farei um altar ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e que tem estado comigo por onde tenho andado.

4 Então entregaram a Jacó todos os deuses estrangeiros que possuíam e os brincos que usavam nas orelhas, e Jacó os enterrou ao pé da grande árvore, próximo a Siquém.

5 Quando eles partiram, o terror de Deus caiu de tal maneira sobre as cidades ao redor que ninguém ousou perseguir os filhos de Jacó.

Gênesis 35.6 – 15: Jacó chega a Betel

6 Jacó e todos os que com ele estavam chegaram a Luz, que é Betel, na terra de Canaã.

7 Nesse lugar construiu um altar e lhe deu o nome de El-Betel, porque ali Deus havia se revelado a ele, quando fugia do seu irmão.

8 Débora, ama de Rebeca, morreu e foi sepultada perto de Betel, ao pé do Carvalho, que por isso foi chamado Alom-Bacute.

9 Depois que Jacó retornou de Padã-Arã, Deus lhe apareceu de novo e o abençoou,

10 di­zendo: “Seu nome é Jacó, mas você não será mais chamado Jacó; seu nome será Israel”. Assim lhe deu o nome de Israel.

11 E Deus ainda lhe disse: Eu sou o Deus todo-poderoso; seja prolífero e multiplique-se. De você procederão uma nação e uma comunidade de nações, e reis estarão entre os seus descendentes.

12 A terra que dei a Abraão e a Isaque, dou a você; e também aos seus futuros descendentes darei esta terra.

13 A seguir, Deus elevou-se do lugar onde estivera falando com Jacó.

14 Jacó levantou uma coluna de pedra no lugar em que Deus lhe falara, e derramou sobre ela uma oferta de bebidas e a ungiu com óleo.

15 Jacó deu o nome de Betel ao lugar onde Deus tinha falado com ele.

Gênesis 35.16 – 20: A morte de Raquel

16 Eles partiram de Betel, e quando ainda estavam a certa distância de Efrata, Raquel começou a dar à luz com grande dificuldade.

17 E, enquanto sofria muito, tentando dar à luz, a parteira lhe disse: “Não tenha medo, pois você ainda terá outro menino”.

18 Já a ponto de sair-lhe a vida, quando estava morrendo, deu ao filho o nome de Benoni. Mas o pai deu-lhe o nome de Benjamim.

19 Assim morreu Raquel e foi sepultada junto do caminho de Efrata, que é Belém.

20 Sobre a sua sepultura Jacó levantou uma coluna, e até o dia de hoje aquela coluna marca o túmulo de Raquel.

Gênesis 35.21 – 29: A desgraça de Rúben

21 Israel partiu novamente e armou acampamento adiante de Migdal-Éder.

22 Na época em que Israel vivia naquela região, Rúben deitou-se com Bila, concubina de seu pai. E Israel ficou sabendo disso. Jacó teve doze filhos:

23 Estes foram seus filhos com Lia: Rúben, o filho mais velho de Jacó, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zebulom.

24 Estes foram seus filhos com Raquel: José e Benjamim.

25 Estes foram seus filhos com Bila, serva de Raquel: Dã e Naftali.

26 Estes foram seus filhos com Zilpa, serva de Lia: Gade e Aser. Foram esses os filhos de Jacó, nascidos em Padã-Arã.

27 Depois Jacó foi visitar seu pai Isaque em Manre, perto de Quiriate-Arba, que é Hebrom, onde Abraão e Isaque tinham morado.

28 Isaque viveu cento e oitenta anos.

29 Morreu em idade bem avançada e foi reunido aos seus antepassados. E seus filhos Esaú e Jacó o sepultaram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here