Bíblia de Estudo Online

Hebreus 10 Estudo: Jesus e o Caminho Para Deus

Em Hebreus 10, o autor começa ensinando sobre os sacrifícios anuais e como estes simbolizavam uma recordação anual de pecados. Essa foi a causa principal de Jesus ter vindo ao mundo.

A incapacidade do sangue de animais purificar os pecados mantinha os adoradores debaixo do julgo do erro. Jesus Cristo veio sobretudo para fazer a vontade de Deus, sendo assim ele ofereceu um sacrifício definitivo.

Com isso, o Senhor Jesus abriu para os adoradores um novo e vivo caminho. Ele nos dá confiança para aproximar-se de Deus com a consciência limpa e alma purificada pelo sangue de Jesus. Sendo assim, devemos perseverar nas provações. Porque o Senhor que prometeu é fiel e voltará para nos buscar.

Esboço de Hebreus 10:

Hebreus 10.1 – 4: A recordação anual dos pecados

Hebreus 10.5 – 10: Porque Jesus Cristo veio ao mundo

Hebreus 10.11 – 14: Jesus e o sacrifício definitivo

Hebreus 10.15 – 20: O novo e vivo caminho

Hebreus 10.21 – 24: Confiança ao aproximar-se de Deus

Hebreus 10.25 – 31: O dever de congregar e o perigo do pecado

Hebreus 10.32 – 35: O sofrimento e a perseverança

Hebreus 10.36 – 39: Porque fazer a vontade de Deus

 

Confiança Para Entrar

“Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo. Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus”. (Hebreus 10:19-21)

Aqui o apóstolo mostra as dignidades do estado do evangelho. É apropriado que os crentes conheçam as honras e privilégios que Cristo obteve para eles, para que, enquanto aceitam o conforto, deem a Ele a glória por tudo.

Privilégios como a ousadia para entrar no Santo dos Santos. Eles têm acesso a Deus, luz para conduzi-los, liberdade de espírito e de fala para se conformarem à orientação.

Eles têm direito ao privilégio e facilidade de acesso a ele, assistência para usá-lo e desenvolvê-lo e segurança de aceitação e vantagens.

Eles podem entrar na presença graciosa de Deus nos seus santos oráculos, ordenanças, providências e concerto, e assim na comunhão com Deus, em que recebem mensagens dele, até que estejam preparados para entrar na sua gloriosa presença no céu.

Um sumo sacerdote sobre a casa de Deus, que é esse bendito Jesus, que reina sobre a igreja militante, e cada membro dela na terra, e sobre a igreja triunfante no céu.

O Sumo Sacerdote

Deus está disposto a habitar com os homens na terra, e tê-los habitando com Ele no céu; mas homens caídos não podem habitar com Deus sem um sumo sacerdote, que é o Mediador da reconciliação aqui e do gozo depois.

O apóstolo nos conta o caminho e o meio em que os cristãos desfrutam desses privilégios, e, em geral, declara que isso ocorre “…pelo sangue de Jesus”, pelo mérito desse sangue que Ele ofereceu a Deus como um sacrifício expiatório.

Ele comprou para todos os que crêem nele o livre acesso a Deus nas ordenanças da sua graça aqui e no reino da sua glória. Esse sangue, sendo aspergido na consciência, expulsa o medo escravizante, e dá ao crente certeza tanto da sua segurança quanto da sua recepção na presença divina.

O apóstolo, tendo dado esse relato geral do caminho pelo qual temos acesso a Deus, entra mais em seus detalhes (v. 20). Como é o único caminho, não há outro caminho a não ser este.

O primeiro caminho para a árvore da vida foi fechado há muito, e continua fechado. É um novo caminho, em oposição tanto ao concerto de obras quanto à antiquada dispensação do Antigo Testamento; é uma via novíssima – o último caminho para a salvação aberto ao ser humano.

Um Caminho Novo

Aqueles que não entram nesse caminho, excluem-se a si mesmos para sempre. É um caminho sempre eficaz. É um caminho vivo. Seria morte tentar chegar a Deus pelo caminho do concerto de obras; mas por esse caminho podemos ir a Deus e viver.

E por meio de um Salvador vivo que, embora tenha morrido, está vivo; e é um caminho que dá vida e viva esperança àqueles que entram por ele. É um caminho que Cristo consagrou para nós através do véu, isto é, sua carne.

O véu no tabernáculo e no templo significava o corpo de Cristo; quando Ele morreu, o véu do templo foi rasgado ao meio, e isso foi na hora do sacrifício vespertino, e deu ao povo uma vista surpreendente do interior do Santo dos Santos, vista que nunca tinham tido antes.

O nosso caminho para o céu é por meio de um Salvador crucificado; sua morte é para nós o caminho da vida. Ele será precioso para aqueles que crerem nisso. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.