Em Hebreus 8, o autor começa ensinando sobre a importância do sacerdócio na antiga aliança e na nova. A partir disso ele mostra que à medida que a nova aliança é implantada a antiga aliança deixa de ser utilizada. Ao apresentar as diferenças entre uma e outra ele diz que a nova aliança é superior a antiga e porque isso acontece.

A nova aliança não será mais escrita em tábuas de pedra, em couro, ou mesmo em papel.  O Senhor a escreverá nas tábuas dos corações do seu povo através do Espírito Santo.

Esboço de Hebreus 8:

Hebreus 8.1 – 5: Jesus está à direita do trono de Deus

Hebreus 8.6 – 9: A antiga e a nova aliança

Hebreus 8.10 – 13: A nova aliança é superior

 

Jesus é Superior

“Agora, porém, o ministério que Jesus recebeu é superior ao deles, assim como também a aliança da qual ele é mediador é superior à antiga, sendo baseada em promessas superiores. Pois se aquela primeira aliança fosse perfeita, não seria necessário procurar lugar para outra”. (Hebreus 8:6,7)

O que é dito aqui acerca do antigo concerto, ou melhor, da antiga dispensação, que foi feito com os pais da nação judaica no monte Sinai (Hebreus 8.9), e Moisés foi o Mediador daquele concerto.

Quando Deus os tomou pela mão, para conduzi-los para fora da terra do Egito, o que sugere a grande afeição, condescendência e terno cuidado de Deus por eles.

Que esse concerto não foi encontrado sem defeito, foi uma dispensação de trevas e pavor, tendendo para a escravidão, e somente um aio para poder nos levar a Cristo.

Foi perfeito em seu tipo, e serviu para cumprir a sua finalidade, mas muito imperfeito em comparação com o evangelho. Que não era seguro ou firme: “…como os judeus não permaneceram, naquele meu concerto, eu para eles não atentei, diz o Senhor” (v. 9).

Eles trataram de forma ingrata com o seu Deus, e cruelmente uns com os outros, e caíram em desgraça diante de Deus. Deus vai atentar para aqueles que permanecem no seu concerto, mas vai rejeitar aqueles que lançam fora o jugo dele.

A Antiga, Definhou

“Chamando “nova” esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido, está a ponto de desaparecer”. (Hebreus 8:13)

É antiquado, foi cancelado, passou do tempo, não tem mais uso nos tempos do evangelho do que a luz de velas depois que o sol nasce.

Alguns pensam que o concerto antigo não decaiu completamente até a destruição de Jerusalém, embora fosse descartado na morte de Cristo, e fosse tornado velho, e, então, desvanecido e acabado, e o sacerdócio levítico com ele.

O que é dito aqui acerca da dispensação do Novo Testamento, para provar a excelência superior do ministério de Cristo.

Que é um concerto melhor (v. 6), uma dispensação mais clara e confortável e uma descoberta da graça de Deus pelos pecadores, trazendo santa luz e liberdade à alma. E sem falhas, bem ordenado em todas as coisas.

Não requer nada a não ser aquilo para o que promete graça para a realização. Aceita sinceridade piedosa, considerando-a perfeição do evangelho. Agora não mais cada transgressão elimina do concerto; tudo é colocado em uma mão boa e segura.

Que é estabelecido sobre promessas melhores, mais claras e expressas, mais espirituais, mais absolutas. As promessas de bênçãos espirituais e eternas nesse concerto são certas e absolutas.

As promessas de bênçãos temporais vêm com uma prescrição sábia e bondosa, na medida em que assim deve ser para a glória e o bem do seu povo.

Esse concerto contém em si promessas de assistência e aceitação, promessas de progresso e perseverança em graça e em santidade, de felicidade e glória no céu, que foram prefiguradas de forma mais obscura pelas promessas da terra de Canaã, um tipo do céu.

Um Novo Concerto

É um novo concerto, até mesmo aquele novo concerto que Deus há muito declarou que faria com a casa de Israel, isto é, com todo o Israel de Deus; isso foi prometido em Jeremias 31.31,32, e cumprido em Cristo.

Isso será sempre um novo concerto, no qual todos que realmente se apossarem dele serão para sempre preservados pelo poder de Deus.

E o concerto de Deus, sua misericórdia, amor e graça o produziram, sua sabedoria o designou. Seu Filho pagou por ele e seu Espírito leva almas a ele e as edifica nele.

Os artigos desse concerto são de fato extraordinários, e são selados entre Deus e o seu povo pelo batismo e pela Ceia do Senhor; por meio disso, eles se comprometem com sua parte, e Deus lhes garante que vai fazer a parte dele. E a parte principal é do Senhor, da qual o seu povo depende para receber graça e força para fazer a sua parte. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here