marca_final-01

Isaías 37 Estudo: A Oração de Ezequias

Diante da ameaça de Senaqueribe o rei Ezequias, ora e se humilha diante de Deus. O resultado dessa oração é surpreendente e deve nos inspirar sobre o que fazer diante de inimigos maiores que nós.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em Isaías 37, vemos um dos relatos mais belos de toda a história do povo de Deus. A afronta de Senaqueribe, poderoso rei da Assíria e a humilhação do rei Ezequias diante do Senhor, o Todo-poderoso.

Quando o rei Ezequias fica sabendo da afronta de Senaqueribe, ele veste panos de saco, e se cobre de humilhação. Além disso, ele envia mensageiros ao profeta Isaías, lhe comunicando o caso e pedindo que ore.

Contudo, ele mesmo, Ezequias, vai ao Templo de Deus. Humilhado, ele se prostra diante do Senhor e ora, expondo toda a zombaria de Senaqueribe e a fragilidade de Jerusalém.

Ezequias rasga o coração diante de Deus. Ele nos ensina como devemos nos comportar diante de situações, aparentemente maiores do que nós. Nossa força vem do Senhor e a nossa alma deve ser derramada diante dele.

O que fazer no desespero?

Após a oração de Ezequias, o Senhor envia a seguinte reposta, através do profeta Isaías: ““Ouvi a sua oração acerca de Senaqueribe, rei da Assíria”.

Ao orar, precisamos crer que estamos sendo ouvidos pelo Senhor Deus, e que Ele é poderoso para agir em nosso favor. Foi o que Ezequias fez, e deu certo.

Deus enviou uma mensagem de esperança e encorajamento. Procurando tranquilizar Ezequias, o Senhor disse: ““Ele não entrará nesta cidade e não atirará aqui uma flecha sequer”.

Foi o que aconteceu. Certa noite, enquanto todos dormiam, o Senhor enviou um anjo. Ele sozinho, matou 185 mil soldados de Senaqueribe. Isto causou um grande estrago no exército inimigo e decretou sua derrota.

Na manhã seguinte, quando todos acordaram, havia um grande exército de mortos ao redor de Jerusalém. Enquanto eles dormiam, Deus guerreou por eles e lhes deu vitória.

Assim acontece, na vida daqueles que confiam no Senhor. Eles não entram em desespero, não cometem suicídio, não se precipitam. Antes de qualquer coisa, eles oram.

Colocam diante do Senhor todas as suas necessidades, dores, fraquezas, expectativas e quando algo maior do que eles, lhe sobrevêm, sabem o que fazer. A atitude do rei Ezequias, deve ser a nossa, diariamente. Dessa forma, seremos dominados pela paz que excede todo o entendimento.

Isaías 37 e a oração de Ezequias

Depois que recebe a mensagem de Senaqueribe, Ezequias apresentou uma grande oração de fé a Deus no santuário (Isaías 37.14–20).

Ao colocar a questão nas mãos de Deus, ele chama a atenção do Senhor para isto.

O monarca começou sua oração com exaltação (Isaías 37.15–16). Referindo-se a Ele como o Deus de Israel, Ezequias lembrou a aliança espiritual e eterna que o Senhor tinha com Israel.

A declaração de que Deus está entronizado entre os querubins se refere à Sua figura no santuário de Jerusalém e, então, e aos Seus servos (1 Reis 8.10-13).

Além de ser o Deus de Israel, o Senhor igualmente está sobre todas as pessoas e reinos da terra, inclusive a Assíria!

Por isso o rei Ezequias pediu a Deus que interviesse para Sua glória, para que as outras nações soubessem que Ele, o Senhor de Israel, é o verdadeiro Deus (Isaías 37.17–20).

A resposta de Deus à Ezequias

Respondendo à oração de Ezequias, o Senhor enviou uma palavra a ele através de Isaías que a Assíria seria derrotada.

Essa palavra incluía três promessas.

Primeiro, os assírios seriam rechaçados (Isaías 37.21–29). O livramento viria a Jerusalém e a Assíria fugiria.

A situação seria invertida e Sião zombaria da Assíria. Isto aconteceria como resultado da oração de Ezequias e como correção sobre os assírios por sua blasfêmia e orgulho.

Senaqueribe afirmou ter derrubado os melhores cedros e pinheiros altos nas montanhas e colinas do Líbano. Isso pode ser uma referência à seu domínio do Líbano ou pode ser uma maneira figurativa de expressar que ele conquistou nações e líderes.

Ele inclusive afirmou ter atingido o Egito, ainda que seja duvidoso que isso tenha acontecido. Contudo, ele derrotou os egípcios na Filístia.

Estes sucessos vieram apenas em razão de o Senhor permitir. Porém agora, conhecendo a violência de Senaqueribe, faria com que ele voltasse para sua terra como se estivesse sendo transportado como um cavalo (Isaías 37.29), ou seja, em dor.

Isto é próprio visto que os assírios eram conhecidos por governar seus cativos com ganchos no nariz.

Vivos!

Deus garantiu a Ezequias que um restante permaneceria e que a vida continuaria normalmente.

Nos 2 anos seguintes, a vida seria complicada, uma vez que eles buscavam organizar suas safras, porém no terceiro ano (o tempo comum que leva para um vinhedo iniciar a realizar uvas) haveria uma ceifa farta.

O Senhor faria isto em razão de seu amor por Judá.

Terceiro, a palavra de novo se dirigiu ao monarca da Assíria (Isaías 37.33–35).

Deus disse que ele não colocaria nem um pé, sequer, dentro da capital Jerusalém, nem ao menos construiria uma rampa de bloqueio em oposição a seus muros.

Ele teria que voltar para casa, visto que o próprio Deus defenderia a povoação de Davi.

6 COMMENTS

  1. Bênção de Deus está palavra, que Deus continue te usando para glória do nome que está sobre todo nome…..Jesus Cristo, a Ele a Honra e a Gloria para todo sempre amém.

    • Gostaria de parabeniza-lo por todo o conteudo desse site, pois tem me ajudado muito a entender a palavra de Deus e me edificando.Deus continue te capacitando e abencoando

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.