Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Isaías 55 Estudo: Busquem ao Senhor

Em Isaías 55, vemos a continuação do projeto de Deus que começou no Cristo, a partir do capítulo 53. No capítulo 54, vemos a glória do povo de Deus e a expansão da Igreja. Aqui no capítulo 55, vemos a manifestação da graça de Deus.

Isto é a nova dispensação inaugurada pelo Filho de Deus. Aqui os sedentos podem beber abundantemente das águas do trono do Senhor.

Não há necessidade de investir grandes somas em sacrifícios, animais, oferendas. Não!

O Senhor diz: “Escutem, escutem-me, e comam o que é bom, e a alma de vocês se deliciará com a mais fina refeição”.

Agora é possível invoca-lo e achá-lo, pois através de Cristo e do Espírito Santo, Ele está perto. Não há mais mediadores humanos, o sangue de Jesus nos liga a Deus.

O Senhor revela que têm pensamentos grandiosos em relação a nós. Projetos maravilhosos. Tudo muito maior do que somos capazes de idealizar.

O capítulo encerra dizendo que a Palavra que sai da sua boca, surtirá o efeito designado. Nada se perderá!

A Palavra que sai da boca de Deus é viva e eficaz. É eficaz. Tudo quanto Ele diz a seu respeito é bênção e vida.

 

Esboço de Isaías 55:

Isaías 55.1 – 5: Venham as águas

Isaías 55.6 – 9: Busquem ao Senhor

Isaías 55.10 – 13: A Palavra de Deus

 

O Convite da Graça

“Por que gastar dinheiro naquilo que não é pão, e o seu trabalho árduo naquilo que não satisfaz?” (Isaías 55.2)

Somos todos convidados a vir e receber o benefício da provisão que a graça de Deus fez pelas pobres almas no novo concerto.

A herança dos servos do Senhor (Isaías. 54.17), e não somente a sua herança futura, mas o seu cálice agora.

“Vós todos”, são os convidados, não somente os judeus, aos quais a palavra da salvação foi enviada em primeiro lugar, mas os gentios, os pobres, e os aleijados, os mancos, e os cegos, são convidados a essa ceia de casamento. Todos os que puderem ser retirados dos caminhos e atalhos.

Isto indica que, em Cristo Jesus, há suficiente provisão para todos, e o suficiente para cada um, que os ministros devem fazer uma oferta geral de vida e salvação a todos.

Que nos tempos do Evangelho o convite deve ser feito de modo mais abrangente do que tinha sido, e deve ser transmitido aos gentios, e que o concerto do Evangelho não exclui a ninguém que não se exclua voluntariamente.

O convite é proclamado com energia: Ouçam todos. “Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça.”

Qual é a qualificação exigida daqueles que serão bem-vindos?

“Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto”. (Isaías 55.6)

Eles precisam ter sede. Nesses termos, somente serão bem-vindos à graça do Evangelho aqueles aos quais a graça do Evangelho for bem-vinda.

Aqueles que estão satisfeitos com o mundo e seus deleites, e não procuram a felicidade na benevolência de Deus.

Aqueles que confiam no mérito das suas próprias obras de justiça, e não veem a necessidade que têm de Cristo e da sua justiça – estes não têm sede.

Eles não percebem a sua necessidade, não sofrem dor nem desconforto em suas almas, e por isso não condescenderão em serem gratos a Cristo.

Mas aqueles que têm sede são convidados às águas, assim como aqueles que trabalham e estão sobrecarregados são convidados a virem a Cristo, para descansar.

Observe que onde Deus distribui a graça, Ele dá, antes disso, a sede de graça. E, onde Ele concedeu a sede de graça, Ele dará a graça (SaImos 81.10).

Vinde às águas…

“Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos”, declara o Senhor. (Isaías 55.8)

Venham para a margem, para os portos, e cais, e para os ancoradouros, nos rios navegáveis, aos quais são trazidos os bens; “vinde, comprai”, pois este é o mercado de bens estrangeiros.

E para nós eles teriam sido estrangeiros para sempre, se Cristo não tivesse trazido uma justiça eterna. Vinde a Cristo, pois Ele é a “fonte aberta”; Ele é a rocha ferida.

Vinde às santas ordenanças, àquelas correntes que alegram a cidade do nosso Deus; vinde a elas, e ainda que elas possam vos parecer coisas comuns e simples, como águas, ainda assim, àqueles que crêem em Cristo, essas coisas serão como o vinho e o leite, abundantemente revigorantes.

Vinde às águas curativas; vinde às águas vivas. “Quem quiser tome de graça da água da vida” (Apocalipse 22.17). Nosso Salvador se referiu a isso em João 7.37: “Se alguém tem sede, que venha a mim e beba.

Aquilo que eles são convidados a fazer. “… vinde e comprai”

Jamais algum negociante cortejou clientes que ele esperasse obter como Cristo nos corteja para aquilo com que só teremos a ganhar.

Vinde e comprai – e podemos garantir que todos farão um bom negócio, do qual jamais se arrependerão, e com o qual jamais perderão. Vinde e comprai.

Apropriai-vos através da aplicação da graça do Evangelho. Apropriai-vos nos termos de Cristo, ou melhor, sob quaisquer termos, independentemente de concordares com eles.

 “… vinde… e comei”. Apropriai-vos, assim como aquilo que comemos é mais nosso do que aquilo que nós somente compramos. (Henry, Matthew, Comentário dos Livros Proféticos)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.