Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Isaías 56 Estudo: Promessas Para Estrangeiros

Em Isaías 56, o Senhor Deus mostra a todos os estrangeiros que estão dispostos a servi-lo, como devem se comportar. Aqui ele dá um grande destaque ao cumprimento da aliança, citando a guarda do sábado.

Devemos ter em mente que a principal função da guarda do sábado: adoração e conhecimento de Deus. Nenhuma outra atividade deveria ser praticada.

Ou seja, o sábado representa a primazia, o “dia do Senhor”. Em nosso contexto atual, não é necessário guardamos exclusivamente o sábado, como se vê em Colossenses 2.16.

Contudo, o sentido da guarda do sábado deve ser mantido. Devemos separar tempo, para adorar e aprender do Senhor. A vida não é só dinheiro e pagamento de contas.

A promessa de Deus é que se buscarmos em primeiro lugar o Reino e justiça, tudo o que precisamos para sobreviver nos será acrescentado.

Se você deseja ter crescimento espiritual, real e frutífero é imprescindível que separe tempo, com qualidade para adorá-lo e aprender dele.

 

Esboço de Isaías 56:

Isaías 56.1 – 7: Promessas para estrangeiros

Isaías 56.8 – 12: Pastores sem entendimento

 

O Nosso Dever

Depois das promessas grandiosas e preciosas acerca da graça do Evangelho, tipificadas pelos livramentos temporais que tivemos no capítulo anterior, temos aqui uma exortação solene.

Ela é dada a todos nós, para nos tornarmos conscientes do nosso dever, quando esperarmos ter o benefício dessas promessas (Isaías 56.1,2).

Além disso, há grande estímulo dado aos estrangeiros que estavam dispostos a se colocar sob os vínculos da aliança, assegurando-os dos benefícios da aliança (Isaías 56.3-8).

Neste capítulo uma grande acusação é feita contra os atalaias de Israel, que eram descuidados e infiéis no cumprimento de suas obrigações (Isaías 56.9-12), o que parece ser o começo de um novo sermão, por meio de repreensões e ameaças, que continuam nos capítulos seguintes.

E a Palavra de Deus tinha como propósito o convencimento, bem como a consolação e a instrução em justiça.

Promessas Evangélicas (Isaías 56.1,2)

O alcance desses versículos é mostrar que quando Deus vem em nossa direção em um caminho de misericórdia, devemos sair para encontrá-lo no caminho do dever.

Deus aqui nos diz quais são as suas intenções de misericórdia para conosco (Isaías 56.1): “… a minha salvação está prestes a vir”.

A grande salvação operada por Jesus Cristo (porque essa era a salvação da qual os profetas inquiriram e trataram diligentemente, 1 Pedro 1.10), tipificada pela salvação dos judeus de Senaqueribe ou da Babilônia.

Observe que a salvação do Evangelho é a salvação do Senhor. Ela foi planejada e executada por Ele; Ele se gloria nela como sendo sua.

Nessa salvação a justiça de Deus é revelada. A beleza do Evangelho é tão enfatizada, que o apóstolo Paulo faz dela a base do seu louvor (Romanos 1.17), porque nela a justiça de Deus é revelada de fé em fé.

A lei revelou a justiça de Deus, pela qual todos os pecadores são condenados; mas o Evangelho revela a salvação pela qual todos os crentes são absolvidos.

A Aproximação da Salvação

Os santos do Antigo Testamento viram essa salvação chegando, e se aproximando deles, muito tempo antes dela chegar. E eles foram avisados pelos profetas de sua aproximação.

Assim como Daniel entendeu pelos escritos de Jeremias a aproximação da redenção da Babilônia, no fim de setenta anos, também outros entenderam, pelos escritos de Daniel, a aproximação da nossa redenção por Cristo no final de setenta semanas de anos.

Nele, isto é em Jesus, nos diz quais são as suas expectativas quanto às nossas obrigações, ao considerar esse assunto. Não diga: “Vemos a salvação se aproximar.

Portanto, podemos viver como queremos, porque não há agora o perigo de perdê-la ou de estarmos aquém de seus padrões”; isto é transformar a graça de Deus em licenciosidade.

Mas, ao contrário, quando a salvação estiver próxima, redobre a sua vigilância contra o pecado.

Observe que quanto mais plenas forem as garantias que Deus nos der do cumprimento de suas promessas, mais forte deve ser a nossa obrigação de obedecer. (Henry, Matthew, Comentário dos livros proféticos)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

3 Comentários

  1. JANUACELIA DO NASCIMENTO GUIMARES disse:

    muito boa sua iniciativa de fazer esse site.Tem ajudado muito

  2. Eliabe de Oliveira e Silva disse:

    Parabéns pela iniciativa.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.