Em Isaías 60, o Senhor Deus mostra ao profeta a grandeza e a glória da Jerusalém celestial e o triunfo da Igreja. A visão de Isaías é muito semelhante a visão que o apóstolo João tem, em Apocalipse 21 e 22, séculos depois. Isto confirma a veracidade e coerência da Palavra de Deus.

A manifestação celestial do Reino de Deus é a esperança de todos os crentes. Aguardamos ansiosamente essa manifestação do Senhor e a plenitude da nossa redenção.

Ali haverá paz para sempre. Toda dor, gemido e lágrimas serão consolados. Os terrores do passado não nos afligirão nunca mais, porque agora todo o domínio pertence ao Senhor.

 

Esboço de Isaías 60:

Isaías 60.1 – 11: O futuro glorioso de Jerusalém

Isaías 60.12 – 17: A glória da Jerusalém celestial

Isaías 60.18 – 22: Paz Para Sempre

 

O Futuro da Igreja

Aqui foi prevista uma situação feliz e gloriosa para a igreja e se refere, principal e definitivamente, à igreja cristã e à sua paz espiritual, porém, sob o modelo daquele pequeno vislumbre de paz exterior que os judeus às vezes gozaram depois do seu retorno do cativeiro.

Há uma comparação com o que havia acontecido antes, fazendo com que sua paz e honra sejam mais agradáveis, pois sua situação anterior havia sido muito diferente.

A igreja havia sido desprezada, mas agora ela seria honrada (Isaías 60.15,16). A cidade de Jerusalém havia sido desprezada e tratada com aborrecimento, havia sido abandonada pelos seus amigos e abominada pelos seus inimigos.

Nenhum homem caminhava por essa desolada cidade, mas a rebaixava como se fosse um espetáculo deplorável que provocava perplexidades e vaias.

Mas agora seria colocada sobre ela uma excelência perpétua, ela seria curada da idolatria, recuperando os sinais do favor de Deus e seria um gozo para os bons de geração em geração.

No entanto, ao considerar o quão breve foi a excelência de Jerusalém, e como foi pequeno o alcance dessa promessa, devemos procurar sua total realização nas perpétuas excelências da igreja do Evangelho.

O motivo é que de longe excedem à igreja do Antigo Testamento, assim como nos gloriosos privilégios e vantagens da religião cristã que representam, verdadeiramente, “um gozo de geração em geração”.

Duas coisas são mencionadas aqui sobre a excelência e gozo de Jerusalém, em oposição ao fato de ter sido desprezada e odiada

Ela Será Favorecida Pelos Seus Vizinhos.

Você beberá o leite das nações e será amamentada por mulheres nobres. Então você saberá que eu, o Senhor, sou o seu Salvador, o seu Redentor, o Poderoso de Jacó. (Isaías 60.16)

As nações e os seus reis, que foram levados a abraçar o cristianismo, se colocarão para o bem da igreja e cuidarão dos seus interesses com a ternura e o afeto que uma mãe demonstra para com o seu filho, nos seus peitos.

Ela será favorecida pelo seu Deus: “… saberás que eu sou o Senhor, o teu Salvador, e o teu Redentor”, e saberás isso por experiência.

Pois tal salvação e redenção serão lavradas para ti quando descobrires claramente que isto é obra do Senhor, a obra de um ser Poderoso, e a grande salvação do Possante de Jacó, porque assegura o bem-estar daqueles que são verdadeiramente israelitas.

Antes, eles sabiam que o Senhor era o seu Deus e agora ficaram sabendo que Ele é o seu Salvador e Redentor. Seu Santo agora se tornou o seu Possante.

Jerusalém Será Enriquecida

Em vez de bronze eu lhe trarei ouro, e em vez de ferro, prata. Em vez de madeira eu lhe trarei bronze, e em vez de pedras, ferro. Farei da paz o seu dominador, da justiça, o seu governador. (Isaías 60.17)

Jerusalém havia sido empobrecida, mas agora seria enriquecida, e tudo seria mudado para que se tomasse melhor.

A glória espiritual da igreja do Novo Testamento irá exceder em pompas externas e esplendor a organização dos judeus, que não foi glorificada por causa dessa excelente glória (2 Coríntios 3.10) quando aqueles que, levantados do pó, forem colocados entre os príncipes.

Ao invés de terem moedas de cobre em suas bolsas, terão coragem, e ao invés de vasos de ferro nas suas casas, terão vasos de prata e outras coisas agradáveis.

Quando tivermos o batismo na sala da circuncisão, a Ceia do Senhor na sala da Páscoa e um ministro do Evangelho na sala do sacerdócio levítico, teremos ouro ao invés de cobre.

O pecado transformou o ouro em cobre quando Roboão fabricou escudos de cobre para substituir os escudos de ouro que havia penhorado; mas o favor de Deus transformará novamente o cobre em ouro quando isso voltar a acontecer.

Correção das Injustiças

Ela havia sido oprimida pelos seus próprios príncipes, e disso ela tristemente se queixou, por ser não só o seu pecado, mas também a sua miséria (Isaías 59.14).

Mas agora, todas as injustiças dessa espécie serão corrigidas (Isaías 60.17): “… farei pacíficos os teus inspetores”; homens de paz serão feitos inspetores e serão realmente juízes, não protetores da injustiça, serão juízes de paz e não instrumentos de sofrimento e tormento.

“Eles serão pacíficos, isto é, procurarão sinceramente o bem-estar e, através dos seus meios, gozarás aquilo que é bom”. Eles serão pacíficos, pois serão justos. E, então, quando a justiça for como as ondas do mar, a paz será como um rio.

Até os exatores, cuja função é cobrar os tributos públicos, embora exatos, não devem ser severos, mas justos ao súdito, assim como ao príncipe e, de acordo com as instruções que João Batista deu aos publicanos, não devem ser mais exatos que aquilo para o que foram ordenados (Lucas 3.13): “Não peçais mais do que aquilo que vos está ordenado.”

Não Haverá Insultos

Não se ouvirá mais falar de violência em sua terra, nem de ruína e destruição dentro de suas fronteiras. Os seus muros você chamará salvação, e as suas portas, louvor. (Isaías 60.18)

Ela havia sido insultada pelos seus vizinhos, invadida, saqueada e pilhada. Mas agora isso não vai mais acontecer: “Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra”.

Nem das ameaças e triunfos daqueles que praticam a violência, nem os gritos e as queixas daqueles que sofrem a violência serão ouvidos novamente e cada homem irá pacificamente gozar do que é seu.

Não haverá mais desolação ou destruição, de pessoas nem de posses, em qualquer lugar dentro dos teus termos. E “aos teus muros chamarás salvação”.

Eles serão seguros e os meios de segurança para ti e tuas portas serão um louvor, um louvor para ti, todos te elogiarão pelas boas condições em que são mantidas, e um louvor ao Senhor teu Deus, que “fortaleceu os ferrolhos das tuas portas” (SaImos 147.13).

Quando a salvação de Deus se encontra nos muros, é próprio que os seus louvores se encontrem nas portas, que são os lugares de grande afluência. (Henry, Matthew, Comentário dos Livros Proféticos)

Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » QUERO SER UM INSCRITO!

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here