Em Jeremias 37, o Senhor Deus que o povo continua de coração endurecido. Isso se reflete na atitude deles com o profeta. Eles prenderam, Jeremias e o espancaram.

Quando nos rebelamos contra a Palavra de Deus não queremos ouvir seus servos. Dessa forma, nós os maltratamos e desprezamos. Que o Senhor tenha misericórdia e nos ajude a não cometer este erro. 

Esboço de Jeremias 37:

Jeremias 37.1 – 5: Ninguém ouve o Senhor

Jeremias 37.6 – 12: O castigo é irremediável

Jeremias 37.13 – 21: Jeremias é preso e interrogado

 

Jeremias 37.1 – 5: Ninguém ouve o Senhor

1 Zedequias, filho de Josias, rei de Judá, foi designado rei por Nabucodonosor, rei da Babilônia. Ele reinou em lugar de Joaquim, filho de Jeoaquim.

2 Nem ele, nem seus conselheiros, nem o povo da terra deram atenção às palavras que o Senhor tinha falado por meio do profeta Jeremias.

3 O rei Zedequias, porém, mandou Jucal, filho de Selemias, e o sacerdote Sofonias, filho de Maaséias, ao profeta Jeremias com esta mensagem: “Ore ao Senhor, ao nosso Deus, em nosso favor”.

4 Naquela época Jeremias estava livre para circular entre o povo, pois ainda não tinha sido preso.

5 Enquanto isso, o exército do faraó tinha saído do Egito. E quando os babilônios que cercavam Jerusalém ouviram isso, retiraram o cerco.

Jeremias 37.6 – 12: O castigo é irremediável

6 O Senhor dirigiu esta palavra ao profeta Jeremias:

7 Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Digam ao rei de Judá, que os mandou para consultar-me: O exército do faraó, que saiu do Egito para vir ajudá-los, retornará à sua própria terra, ao Egito.

8 Os babilônios voltarão e atacarão esta cidade; eles a conquistarão e a destruirão a fogo.

9 Assim diz o Senhor: Não se enganem a si mesmos, dizendo: “Os babilônios certamente vão embora”. Porque eles não vão.

10 Ainda que vocês derrotassem todo o exército babilônio que está atacando vocês, e só lhe restassem homens feridos em suas tendas, eles se levantariam e incendiariam esta cidade.

11 Depois que o exército babilônio se retirou de Jerusalém por causa do exército do faraó,

12 saiu da cidade para ir ao território de Benjamim a fim de tomar posse da propriedade que tinha entre o povo daquele lugar.

Jeremias 37.13 – 21: Jeremias é preso e interrogado

13 Mas, quando chegou à porta de Benjamim, o capitão da guarda, cujo nome era Jerias, filho de Selemias, filho de Hananias, o prendeu e disse: “Você está desertando para o lado dos babilônios!”

14 “Isso não é verdade!”, disse Jeremias. “Não estou passando para o lado dos babilônios.” Mas Jerias não quis ouvi-lo; e, prendendo Jeremias, o levou aos líderes.

15 Eles ficaram furiosos com Jeremias, espancaram-no e o prenderam na casa do secretário Jônatas, que tinham transformado numa prisão.

16 foi posto numa cela subterrânea da prisão, onde ficou por muito tempo.

17 Então o rei mandou buscá-lo, e Jeremias foi trazido ao palácio. E, secretamente, o rei lhe perguntou: “Há alguma palavra da parte do Senhor?” “Há”, respondeu Jeremias, “você será entregue nas mãos do rei da Babilônia.”

18 Então Jeremias disse ao rei Zedequias: Que crime cometi contra você ou contra os seus conselheiros ou contra este povo para que você me mandasse para a prisão?

19 Onde estão os seus profetas que lhes profetizaram: “O rei da Babilônia não atacará nem a vocês nem a esta terra”?

20 Mas, agora, ó rei, meu senhor, escute-me, por favor. Permita-me apresentar-lhe a minha súplica: Não me mande de volta à casa de Jônatas, o secretário, para que eu não morra ali.

21 Então o rei Zedequias deu ordens para que Jeremias fosse colocado no pátio da guarda e que diariamente recebesse pão da rua dos padeiros, enquanto houvesse pão na cidade. Assim, Jeremias permaneceu no pátio da guarda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here