Jó 13 Estudo: Quero Falar com Deus

Jó tinha visto e ouvido o que eles estavam dizendo sobre Deus; e ele não era inferior a eles. Mas eles não eram o que ele queria debater (Jó 13:1–4). Ele queria argumentar (yāḵaḥ, “contestar, debater no tribunal”) seu caso com Deus.

Por que perder tempo discutindo com essa terrível tríade que estava manchando os fatos com mentiras sobre ele ser um pecador e que eram médicos inúteis sem receita médica para aliviar sua dor?

Suas palavras, Jó reclamou, revelaram sua loucura; daí o silêncio deles mostraria sua sabedoria (Jó 13:5–12). Repetidamente, neste capítulo, ele implorou por sua escuta, ouvidos atentos, não suas palavras ignorantes (cf. vv. 6, 13, 17, 19).

Ele queria que eles ouvissem seu argumento (este substantivo hebraico está relacionado ao verbo argumentar no verso 3) e seu apelo a Deus. Não lhes faria bem serem enganosos ao acusá-lo de pecar, pois o Deus imparcial não se beneficiaria de sua parcialidade.

Certamente eles não poderiam ser advogados de defesa de Deus (argumentar o caso para traduzir rîḇ, um termo legal, “para trazer um litígio judicial”). De fato, se Deus examinasse suas vidas, eles não poderiam possivelmente enganá-Lo.

Ele iria repreendê-los (de yāḵaḥ, a palavra para “argumentar” no v. 3 e relacionada a “argumento” no v. 6) e aterrorizá-los (bā’aṯ; também em 7:14; 9:34; 13:21 ). Mais tarde, eles foram reprovados por Deus, quando Ele os condenou pelos erros de seus pontos de vista (42: 7-9).

Esses homens eram incompetentes para aconselhar, pois suas palavras eram provérbios de cinzas, uma descrição apropriada em vista da pilha de cinzas onde Jó estava sentado (2:8).

Seus argumentos, atrás dos quais eles se esconderam como fortalezas feitas de argila fraca, falharam em ajudar Jó. (1)

Esboço de Jó 13:

13.1 – 12: Quero falar com Deus

13.13 – 22: Mesmo morto esperarei em Deus

13.23 – 28: Qual o meu erro? 

 

Jó 13.1 – 12: Quero falar com Deus

1 Meus olhos viram tudo isso, meus ouvidos o ouviram e entenderam.

2 O que vocês sabem, eu também sei; não sou inferior a vocês.

3 Mas desejo falar ao Todo-poderoso e defender a minha causa diante de Deus.

4 Vocês, porém, me difamam com mentiras; todos vocês são médicos que de nada valem!

5 Se tão-somente ficassem calados, mostrariam sabedoria.

6 Escutem agora o meu argumento; prestem atenção à réplica de meus lábios.

7 Vocês vão falar com maldade em nome de Deus? Vão falar enganosamente a favor dele?

8 Vão revelar parcialidade por ele? Vão defender a causa a favor de Deus?

9 Tudo iria bem se ele os examinasse? Vocês conseguiriam enganá-lo como podem enganar os homens?

10 Com certeza ele os repreenderias e, no íntimo, vocês fossem parciais.

11 O esplendor dele não os aterrorizaria? O pavor dele não cairia sobre vocês?

12 As máximas que vocês citam são provérbios de cinza; suas defesas não passam de barro.

Jó 13.13 – 22: Mesmo morto esperarei em Deus

13 Aquietem-se e deixem-me falar, e aconteça comigo o que acontecer.

14 Por que me ponho em perigo e tomo a minha vida em minhas mãos?

15 Embora ele me mate, ainda assim esperarei nele; certo é que defenderei os meus caminhos diante dele.

16 Aliás, será essa a minha libertação, pois nenhum ímpio ousaria apresentar-se a ele!

17 Escutem atentamente as minhas palavras; que os seus ouvidos acolham o que eu digo.

18 Agora que preparei a minha defesa, sei que serei justificado.

19 Haverá quem me acuse? Se houver, ficarei calado e morrerei.

20 Concede-me só estas duas coisas, ó Deus, e não me esconderei de ti:

21 Afasta de mim a tua mão, e não mais me assustes com os teus terrores.

22 Chama-me, e eu responderei, ou deixa-me falar, e tu responderás.

Jó 13.23 – 28: Qual o meu erro?

23 Quantos erros e pecados cometi? Mostra-me a minha falta e o meu pecado.

24 Por que escondes o teu rosto e me consideras teu inimigo?

25 Atormentarás uma folha levada pelo vento? Perseguirás a palha?

26 Pois fazes constar contra mim coisas amarga se me fazes herdar os pecados da minha juventude.

27 Acorrentas os meus pés e vigias todos os meus caminhos, pondo limites aos meus passos.

28 Assim o homem se consome como coisa podre, como a roupa que a traça vai roendo.

 

Referências:

Zuck, R. B. (1985). Job. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 734). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here