Jó 16 Estudo: Dor Que Não Alivia

Mais uma vez Jó virou-se para lamentar seu tormento nas mãos de Deus. Se ele falou ou não, sua dor persistiu (Jó 16:6–8). Deus o havia desgastado e enfraquecido com toda a sua agonia; ele estava angustiado porque, por um lado, seus descendentes e servos (casa) foram mortos, e por outro ele estava fisicamente debilitado, como sua magreza mostrava claramente (cf. 17:7).

Como um animal selvagem, em sua hostilidade, Deus atacou e Jó sentiu, rasgou-o em raiva (cf. 14:13; 19:11), e rosnou e olhou para ele. Além disso, as pessoas zombavam dele (cf. 30:1, 9-10), atingiam-no e, em sua oposição, acumulavam-se contra ele como soldados.

Deus o havia deixado nas mãos dos homens maus e dos ímpios, uma contradição óbvia das sugestões de Elifaz de que Jó era iníquo (15: 12-35). Jó acusou Deus de despedaçá-lo (cf. 16:7) e, novamente como uma besta (cf. v. 9), agarrando-o pelo pescoço e esmagando-o (cf. 9:17).

Além de ser como uma besta feroz, Deus era como um arqueiro, usando Jó para a prática de alvos (cf. 6: 4; 7:20), ferindo-o e fazendo com que sua ousadia se derramasse.

Jó também comparou Deus a um guerreiro que o atacou. Em tudo isso, Jó estava novamente errado em atribuir hostilidade a Deus. No entanto, ele não conseguia ver outra explicação. (1)

Esboço de Jó 16:

16.1 – 5: A resposta de Jó a Elifaz

16.6 – 16: Dor que não alivia

16.17 – 22: Intercessor amigo 

 

Jó 16.1 – 5: A resposta de Jó a Elifaz

1 Então Jó respondeu:

2 Já ouvi muitas palavras como essas. Pobres consoladores são vocês todos!

3 Esses discursos inúteis nunca terminarão? E você, o que o leva a continuar discutindo?

4 Bem que eu poderia falar como vocês, se estivessem em meu lugar; eu poderia condená-los com belos discursos, e menear a cabeça contra vocês.

5 Mas a minha boca procuraria encorajá-los; a consolação dos meus lábios lhes daria alívio.

Jó 16.6 – 16: Dor que não alivia

6 Contudo, se falo, a minha dor não se alivia; se me calo, ela não desaparece.

7 Sem dúvida, ó Deus, tu me esgotaste as forças; deste fim a toda a minha família.

8 Tu me deixaste deprimido, o que é uma testemunha disso; a minha magreza se levanta e depõe contra mim.

9 Deus, em sua ira, ataca-me e faz-me em pedaços, e range os dentes contra mim; meus inimigos fitam-me com olhar ferino.

10 Os homens abrem sua boca contra mim, esmurram meu rosto com zombaria e se unem contra mim.

11 Deus fez-me cair nas mãos dos ímpios e atirou-me nas garras dos maus.

12 Eu estava tranquilo, mas ele me arrebentou; agarrou-me pelo pescoço e esmagou-me. Fez de mim o seu alvo;

13 seus flecheiros me cercam. Ele traspassou sem dó os meus rins e derramou na terra a minha bílis.

14 Lança-se sobre mim uma e outra vez; ataca-me como um guerreiro.

15 Costurei veste de lamento sobre a minha pele e enterrei a minha testa no pó.

16 Meu rosto está rubro de tanto eu chorar, e sombras densas circundam os meus olhos,

Jó 16.17 – 22: Intercessor amigo

17 apesar de não haver violência em minhas mãos e de ser pura a minha oração.

18 Ó terra, não cubra o meu sangue! Não haja lugar de repouso para o meu clamor!

19 Saibam que agora mesmo a minha testemunha está nos céus; nas alturas está o meu advogado.

20 O meu intercessor é meu amigo, quando diante de Deus correm lágrimas dos meus olhos;

21 ele defende a causa do homem perante Deus, como quem defende a causa de um amigo.

22 Pois mais alguns anos apenas, e farei a viagem sem retorno.

 

Referências:

Zuck, R. B. (1985). Job. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 738). Wheaton, IL: Victor Books.

2 COMENTÁRIOS

  1. Deus te abençoe amo os estudos que você dispõe para crescimento espiritual creio não só o meu mas um grande número de pessoas obrigada Deus continue te iluminando sempre

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here