Em Jó 17, Jó reflete sobre as ásperas censuras que seus amigos lhe tinham feito, e considerando-se um homem à beira da morte (v. 1), ele apela a Deus, e lhe implora que se manifeste em breve a ele, e lhe faça justiça. Porque eles tinham sido injustos com ele, e ele não sabia como se defender (v.v. 2-7).

Mas ele espera que, ainda que seja uma surpresa, não seja uma pedra de tropeço, para as pessoas boas, vê-lo assim maltratado (v.v.8, 9).

Ele reflete sobre as esperanças vãs com que seus amigos o tinham alimentado, de que ele ainda veria bons dias, mostrando que os seus dias estavam próximos ao fim, e com o seu corpo todas as suas esperanças seriam sepultadas na terra (v.v. 10-16).

Com os seus amigos se tornando estranhos para ele, o que o angustiava imensamente, Jó torna a morte e a sepultura familiares, o que lhe produziu alguma consolação. (Henry, Matthew, Comentário dos Livros Poéticos)

Esboço de Jó 17:

Jó 17.1 – 9: Ainda mais difícil

Jó 17.10 – 16: Meus planos fracassaram 

 

Jó 17.1 – 9: Ainda mais difícil

1 Meu espírito está quebrantado, os meus dias se encurtam, a sepultura me espera.

2 A verdade é que zombadores me rodeiam, e tenho que ficar olhando a sua hostilidade.

3 Dá-me, ó Deus, a garantia que exiges. Quem, senão tu, me dará segurança?

4 Fechaste as mentes deles para o entendimento, e com isso não os deixarás triunfar.

5 Se alguém denunciar os seus amigos por recompensa, os olhos dos filhos dele fraquejarão,

6 mas de mim Deus fez um provérbio para todos, um homem em cujo rosto os outros cospem.

7 Meus olhos se turvaram de tristeza; o meu corpo não passa de uma sombra.

8 Os íntegros ficam atônito sem face disso, e os inocentes se levantam contra os ímpios.

9 Mas os justos se manterão firme sem seus caminhos, e os homens de mãos puras se tornarão cada vez mais fortes.

Jó 17.10 – 16: Meus planos fracassaram

10 Venham, porém, vocês todos, e façam nova tentativa! Não acharei nenhum sábio entre vocês.

11 Foram-se os meus dias, os meus planos fracassaram, como também os desejos do meu coração.

12 Andam querendo tornar a noite em dia; ante a aproximação das trevas dizem: “Vem chegando a luz”.

13 Ora, se o único lar pelo qual espero é a sepultura, se estendo a minha cama nas trevas,

14 se digo à corrupção mortal: Você é o meu pai, e se aos vermes digo: Vocês são minha mãe e minha irmã,

15 onde está então minha esperança? Quem poderá ver alguma esperança para mim?

16 Descerá ela às portas do Sheol? Desceremos juntos ao pó?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here