Jó 19 Estudo: A Solidão de Jó Na Dificuldade

Em seu clamor (cf. 30:28) contra a violência de Deus, Jó foi mais frustrado pelo  Seu silêncio (ver 30:20) e aparente indiferença a justiça (Jó 19:7-12). Em oito ações hostis, Deus havia desdenhado Jó:

(1) Ele obstruiu o caminho de Jó (cf. 3.23);

(2) o escureceu (cf. 12.25);

(3) Ele removeu a coroa de Jó (isto é, seu lugar de estima na comunidade; cf. 29:7-11; 30: 1, 9-10);

(4) Ele demoliu Jó como um edifício;

(5) Ele desenraizou a esperança de Jó como uma árvore (cf. 14: 7);

(6) Deus estava zangado com Jó (cf. 14:13; 16: 9);

(7) considerava Jó Seu inimigo (cf. 13:24; 33:10; certamente Jó estava errado aqui por Satanás, Inimigo principal de Deus, também era inimigo de Jó); 

(8) Deus assaltou Jó como um exército construindo uma rampa de cerco contra uma muralha da cidade sitiada e acampando em volta de sua tenda.

Bildade havia enumerado muitos desastres encontrados pelos iníquos (18:5–21), mas Jó respondeu que tais catástrofes tinham chegado a ele, pelo próprio Deus. (1)

Esboço de Jó 19:

19.1 – 7: A resposta de Jó a Bildade

19.8 – 21: A solidão de Jó

19.22 – 29: O meu Redentor vive 

 

Jó 19.1 – 7: A resposta de Jó a Bildade

1 Então Jó respondeu:

2 Até quando vocês continuarão a atormentar-me, e a esmagar-me com palavras?

3 Vocês já me repreenderam dez vezes; não se envergonham de agredir-me!

4 Se é verdade que me desviei, meu erro só interessa a mim.

5 Se de fato vocês se exaltam acima de mime usam contra mima minha humilhação,

6 saibam que foi Deus que me tratou male me envolveu em sua rede.

7 Se grito: É injustiça! Não obtenho resposta; clamo por socorro, todavia não há justiça.

Jó 19.8 – 21: A solidão de Jó

8 Ele bloqueou o meu caminho, e não consigo passar; cobriu de trevas as minhas veredas.

9 Despiu-me da minha honra e tirou a coroa de minha cabeça.

10 Ele me arrasa por todos os lados enquanto eu não me vou; desarraiga a minha esperança como se arranca uma planta.

11 Sua ira acendeu-se contra mim; ele me vê como inimigo.

12 Suas tropas avançam poderosamente; cercam-me e acampam ao redor da minha tenda.

13 Ele afastou de mimos meus irmãos; até os meus conhecidos estão longe de mim.

14 Os meus parentes me abandonaram e os meus amigos esqueceram-se de mim.

15 Os meus hóspedes e as minhas servas consideram-me estrangeiro; veem-me como um estranho.

16 Chamo o meu servo, mas ele não me responde, ainda que eu lhe implore pessoalmente.

17 Minha mulher acha repugnante o meu hálito; meus próprios irmãos têm nojo de mim.

18 Até os meninos zombam de mime dão risada quando apareço.

19 Todos os meus amigos chegados me detestam; aqueles a quem amo voltaram-se contra mim.

20 Não passo de pele e ossos; escapei só com a pele dos meus dentes.

21 Misericórdia, meus amigos! Misericórdia! Pois a mão de Deus me feriu.

Jó 19.22 – 29: O meu Redentor vive

22 Por que vocês me perseguem como Deus o faz? Nunca irão saciar-se da minha carne?

23 Quem dera as minhas palavras fossem registradas! Quem dera fossem escritas num livro,

24 fossem talhadas a ferro no chumbo, ou gravadas para sempre na rocha!

25 Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra.

26 E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus.

27 Eu o verei com os meus próprios olhos; eu mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o coração!

28 Se vocês disserem: “Vejamos como vamos persegui-lo, pois a raiz do problema está nele”,

29 melhor será que temam a espada, porquanto por meio dela a ira lhes trará castigo, e então vocês saberão que há julgamento.

 

Referências:

Zuck, R. B. (1985). Job. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 740–741). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here