Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Jó 23 Estudo: Onde Deus Está Afinal?

Em Jó 23, vemos o início da resposta de Jó a Elifaz. Nesta resposta, Jó não toma conhecimento de seus amigos, talvez porque visse que era inútil.

Ou talvez porque tivesse gostado tanto do bom conselho que Elifaz lhe dera no final de seu discurso, que não responderia às reflexões impertinentes com que ele tinha começado.

Mas aqui Jó apela a Deus, implora para ter sua causa ouvida, e não duvida de que será bem-sucedido, tendo o testemunho da sua própria consciência a respeito da sua integridade.

Aqui parece haver uma luta entre carne e espírito, temor e fé ao longo de todo este capítulo. Ele se queixa da sua condição calamitosa, e especialmente do fato de que Deus se escondia dele, de modo que não conseguia que seu apelo fosse ouvido (v.v. 2-5), nem discernia o significado das atitudes de Deus com ele (v.v. 8).

Ele não tinha nenhuma esperança de alívio (v.v. 1344). Isto lhe provocou profundas impressões de aflição e terror (v.v. 15-17). Mas, em meio a estas queixas, ele se consola com a certeza da clemência de Deus (v.v.6,7).

E da sua própria integridade, da qual o próprio Deus era testemunha (v.v. 10-12). Esta era a luz do seu dia, como aquela descrita em Zacarias 14.6,7, “nem preciosa luz, nem espessa escuridão”, mas “no tempo da tarde, haverá luz”. (Henry, Matthew, Comentário dos Livros Poéticos)

Esboço de Jó 23:

Jó 23.1 – 7: Onde Deus está?

Jó 23.8 – 12: Não o enxergo

Jó 23.13 – 17: A Soberania de Deus 

 

Jó 23.1 – 7: Onde Deus está?

1 Então Jó respondeu:

2 Até agora me queixo com amargura; a mão dele é pesada, a despeito de meu gemido.

3 Se tão-somente eu soubesse onde encontrá-lo e como ir à sua habitação!

4 Eu lhe apresentaria a minha causa e encheria a minha boca de argumentos.

5 Estudaria o que ele me respondesse e analisaria o que me dissesse.

6 Será que ele se oporia a mim com grande poder? Não, ele não me faria acusações.

7 O homem íntegro poderia apresentar-lhe sua causa; eu seria liberto para sempre de quem me julga.

Jó 23.8 – 12: Não o enxergo

8 Mas, se vou para o oriente, lá ele não está; se vou para o ocidente, não o encontro.

9 Quando ele está em ação no norte, não o enxergo; quando vai para o sul, nem sombra dele eu vejo!

10 Mas ele conhece o caminho por onde ando; se me puser à prova, aparecerei como o ouro.

11 Meus pés seguiram de perto as suas pegadas; mantive-me no seu caminho sem desviar-me.

12 Não me afastei dos mandamentos dos seus lábios; dei mais valor às palavras de sua bocado que ao meu pão de cada dia.

Jó 23.13 – 17: A Soberania de Deus

13 Mas ele é ele! Quem poderá fazer-lhe oposição? Ele faz o que quer.

14 Executa o seu decreto contra mim, e tem muitos outros planos semelhantes.

15 Por isso fico apavorado diante dele; pensar nisso me enche de medo.

16 Deus fez desmaiar o meu coração; o Todo-poderoso causou-me pavor.

17 Contudo, não fui silenciado pelas trevas, pelas densas trevas que cobrem o meu rosto.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});