Em Jó 32, o palco está vazio, pois Jó e seus três amigos se sentaram, e nenhum deles tinha mais nada a dizer; é, portanto, muito oportuna a interposição de um moderador, e Eliú é o homem para isto.

Neste capítulo temos algumas explicações sobre ele, a sua origem, a sua presença nesta discussão, e os seus sentimentos a respeito dela (v.v. 1-5).

A justificativa que apresentou para o seu atrevimento de falar sobre uma questão que já tinha sido debatida, de maneira tão detalhada e tão educativa, pelos seus colegas, mais velhos do que ele.

Eliú alega que, embora não tivesse a experiência de um homem mais velho, ainda assim tinha o entendimento de um homem (v.v. 6-10). Que ele tinha ouvido pacientemente tudo o que eles tinham a dizer (v.v. 11-13).

Que ele tinha algo novo a oferecer (v.v. 14-17). Que a sua mente estava tomada por este tema, e seria um alívio para ele dar vazão às suas impressões (v.v. 18-20).

Que ele estava decidido a falar de maneira imparcial (v.v. 21,22). E ele falou tão bem sobre a questão, que Jó não lhe respondeu nada, e Deus não o censurou, quando ele repreendeu, tanto o próprio Jó como os seus três outros amigos. (Henry, Matthew, Comentário dos Livros Poéticos)

Esboço de Jó 32:

Jó 32.1 – 5: As palavras de Eliú

Jó 32.6 – 14: O espírito dentro do homem

Jó 32.15 – 22: “Preciso falar” 

 

Jó 32.1 – 5: As palavras de Eliú

1 Então esses três homens pararam de responder a Jó, pois este se julgava justo.

2 Mas Eliú, filho de Baraquel, de Buz, da família de Rão, indignou-se muito contra Jó, porque este se justificava a si mesmo diante de Deus.

3 Também se indignou contra os três amigos, pois não encontraram meios de refutar a Jó, e mesmo assim o tinham condenado.

4 Eliú tinha ficado esperando para falar a Jó porque eles eram mais velhos que ele.

5 Mas, quando viu que os três não tinham mais nada a dizer, indignou-se.

Jó 32.6 – 14: O espírito dentro do homem

6 Então Eliú, filho de Baraquel, de Buz, falou: Eu sou jovem, vocês têm idade. Por isso tive receio e não ousei dizer-lhes o que sei.

7 Os que têm idade é que devem falar, pensava eu, os anos avançados é que devem ensinar sabedoria.

8 Mas é o espírito dentro do homem que lhe dá entendimento; o sopro do Todo-poderoso.

9 Não são só os mais velhos, os sábios, não são só os de idade que entendem o que é certo.

10 Por isso digo: Escutem-me; também vou dizer o que sei.

11 Enquanto vocês estavam falando, esperei; fiquei ouvindo os seus arrazoados; enquanto vocês estavam procurando palavras,

12 dei-lhes total atenção. Mas nenhum de vocês demonstrou que Jó está errado. Nenhum de vocês respondeu aos seus argumentos.

13 Não digam: “Encontramos a sabedoria; que Deus o refute, não o homem”.

14 Só que não foi contra mim que Jó dirigiu as suas palavras, e não vou responder a ele com os argumentos de vocês.

Jó 32.15 – 22: “Preciso falar”

15 Vejam, eles estão consternados e não têm mais o que dizer; as palavras lhes fugiram.

16 Devo aguardar, agora que estão calados e sem resposta?

17 Também vou dar a minha opinião, também vou dizer o que sei,

18 pois não me faltam palavras, e dentro de mim o espírito me impulsiona.

19 Por dentro estou como vinho arrolhado, como odres novos prestes a romper.

20 Tenho que falar; isso me aliviará. Tenho que abrir os lábios e responder.

21 Não serei parcial com ninguém, e a ninguém bajularei,

22 porque não sou bom em bajular; se fosse, o meu Criador em breve me levaria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here