Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Jó 36 Estudo: Deus Não Despreza os Homens

Em Jó 36, tendo repreendido demoradamente Jó por algumas de suas palavras inadvertidas, em cuja defesa Jó nada teve a dizer, Eliú agora passa, de maneira mais geral, a organizar as suas noções sobre as atitudes de Deus com ele.

Os seus outros amigos tinham cessado de repreendê-lo; e quando o faziam era porque acreditavam que ele era um homem ímpio, e que por isto as suas aflições eram tão grandes e tão demoradas.

Mas Eliú somente sustentou que a aflição era enviada para sua prova, e que era alongada, porque Jó ainda não tinha se humilhado completamente por ela, nem tinha se ajustado devidamente a ela.

Eliú apresenta muitas razões, obtidas da sabedoria e da justiça de Deus, os seus cuidados com o seu povo, e, especialmente, a sua grandeza e o seu poder, com que, neste capítulo e no seguinte, persuade Jó a se submeter à mão de Deus.

Aqui, temos o seu prefácio (v.v. 2-4). O relato que Eliú apresenta dos métodos da providência de Deus, para com os filhos dos homens, de acordo com a maneira como eles se comportam (v.v. 5-15). O justo aviso e o bom conselho que Eliú dá a Jó sobre isto (v.v. 16- 21).

A sua demonstração da soberania e da onipotência de Deus, de que ele apresenta exemplos nas operações da providência comum, e que é uma razão pela qual todos devemos nos sujeitar a Ele nas suas atitudes para conosco (v.v. 22-33). (Henry, Matthew, Comentário dos Livros Poéticos)

Esboço de Jó 36:

Jó 36.1 – 4: Eliú pede paciência a Jó

Jó 36.5 – 14: Deus não despreza os homens

Jó 36.15 – 23: Deus livra do sofrimento

Jó 36.24 – 33: Deus é grande 

 

Jó 36.1 – 4: Eliú pede paciência a Jó

1 Disse mais Eliú:

2 Peço-lhe que seja um pouco mais paciente comigo, e lhe mostrarei que se pode dizer mais verdades em defesa de Deus.

3 Vem de longe o meu conhecimento; atribuirei justiça ao meu Criador.

4 Não tenha dúvida, as minhas palavras não são falsas; quem está com você é a perfeição no conhecimento.

Jó 36.5 – 14: Deus não despreza os homens

5 Deus é poderoso, mas não despreza os homens; é poderoso e firme em seu propósito.

6 Não poupa a vida dos ímpios, mas garante os direitos dos aflitos.

7 Não tira os seus olhos do justo; ele o coloca nos tronos com os reis e o exalta para sempre.

8 Mas, se os homens forem acorrentados, presos firmemente com as cordas da aflição,

9 ele lhes dirá o que fizeram, que pecaram com arrogância.

10 Ele os fará ouvir a correção e lhes ordenará que se arrependam do mal que praticaram.

11 Se lhe obedecerem e o servirem, serão prósperos até o fim dos seus dias e terão contentamento nos anos que lhes restam.

12 Mas, se não obedecerem, perecerão à espada e morrerão na ignorância.

13 Os que têm coração ímpio guardam ressentimento; mesmo quando ele os agrilhoa eles não clamam por socorro.

14 Morrem em plena juventude entre os prostitutos dos santuários.

Jó 36.15 – 23: Deus livra do sofrimento

15 Mas aos que sofrem ele os livra em meio ao sofrimento; em sua aflição ele lhes fala.

16 Ele o está atraindo para longe das mandíbulas da aflição, para um lugar amplo e livre, para o conforto da mesa farta e seleta que você terá.

17 Mas agora, farto sobre você é o julgamento que cabe aos ímpios; o julgamento e a justiça o pegaram.

18 Cuidado! Que ninguém o seduza com riquezas; não se deixe desviar por suborno, por maior que este seja.

19 Acaso a sua riqueza, ou mesmo todos os seus grandes esforços, dariam a você apoio e alívio da aflição?

20 Não anseie pela noite, quando o povo é tirado dos seus lares.

21 Cuidado! Não se volte para a iniquidade, que você parece preferir à aflição.

22 Deus é exaltado em seu poder. Quem é mestre como ele?

23 Quem lhe prescreveu os seus caminhos, ou lhe disse: “Agiste mal”?

Jó 36.24 – 33: Deus é grande

24 Lembre-se de exaltar as suas obras, às quais os homens dedicam cânticos de louvor.

25 Toda a humanidade as vê; de lugares distantes os homens as contemplam.

26 Como Deus é grande! Ultrapassa o nosso entendimento! Não há como calcular os anos da sua existência.

27 Ele atrai as gotas de água, que se dissolve me descem como chuva para os regatos;

28 as nuvens as despejam em aguaceiros sobre a humanidade.

29 Quem pode entender como ele estende as suas nuvens, como ele troveja desde o seu pavilhão?

30 Observe como ele espalha os seus relâmpagos ao redor, iluminando até as profundezas do mar.

31 É assim que ele governa as nações e lhes fornece grande fartura.

32 Ele enche as mãos de relâmpagos e lhes determina o alvo que deverão atingir.

33 Seu trovão anuncia a tempestade que está a caminho; até o gado a pressente.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.