Jó 9 Estudo: A Reposta de Jó a Bildade

Jó estava ciente do que Bildade dissera (“sei que isso é verdade”); ele sabia que os ímpios perecem (8:13). Mas isso só agravou o problema de Jó (Jó 9:1–13). Por que então ele estava sofrendo?

No sonho de Elifaz, a voz perguntara: “Pode um mortal (‘нnos,’ homem fraco e mortal ‘) ser mais justo do que (ou’ ser justo diante de Deus)?” que perguntando, com quase as mesmas palavras hebraicas, como pode um mortal (‘нnos,’ homem fraco e mortal ‘) ser justo diante de Deus?

Disputar com Deus (rîḇ “trazer um processo judicial contra Ele” – um dos muitos termos legais no livro), como Elifaz sugerira (5: 8), seria impossível.

Ironicamente, apesar de Jó ter tentado intimar Deus (cf. 10:2; 13:22; 14:15; 31:35-37), ele descobriu que quando Deus finalmente falou, Jó não pôde respondê-lo! (ver 40: 3-5)

A grandeza de Deus

A razão pela qual Jó sentiu sua inadequação para apresentar seu caso a Deus é que o SENHOR, ele disse, é impressionante em sabedoria e poder (cf. 12.13). Novamente, ironicamente, Deus exibiu esses mesmos dois atributos quando mais tarde Ele falou com Jó (38:1-40; 40:6–41). Seria muito arriscado resistir a Deus, Jó sabia.

Deus pode mover montanhas (9:5), causar terremotos (v.6) e nuvens sobre o sol e as estrelas (v.7). (Deus, não o Leviatã, eclipsa o sol; cf. 3:8). Ele estendeu os céus (9:8; cf. Is 40:22) como uma tenda sobre a terra, e pisa nas ondas. Seu poder é evidente em tempestades do mar.

Em seu poder criativo, Ele fez as constelações estreladas (Jó 9:9). Ele também faz obras milagrosas (v. 10, uma citação irônica das palavras de Elifaz em 5:9). Além disso, Jó se encolheu sob a natureza invisível de Deus (9:11; ver Colossenses 1:15; 1Tm 1:17; Hb 11:27), poder irreversível (Jó 9:12) e ira irresistível (v.13)).

A referência à passagem de Deus, (v. 11) pode ser a intriga de Jó do sonho de Elifaz de um espírito passando pela sua face (4:15). Até mesmo as cortes de Raabe (cf. 26:12; Isaías 51:9) se submetem a Deus.

Isso se refere ao mito da criação da Babilônia em que Marduk derrotou Tiamat (outro nome para Raabe e para Leviatã; cf. Jó 7:12) e então capturou seus ajudantes. Mais tarde, Raabe tornou-se um apelido para o Egito (Salmos 87: 4; 89:10; Isaías 30: 7).

Uma vez que Deus em Sua ira conquista todas as forças do mal, tanto reais quanto míticas, como poderia Jó poder lutar com Ele?

Jó sentiu que sua situação era impotente e sem esperança. (1)

Esboço de Jó 9:

9.1 – 13: A reposta de Jó a Bildade

9.14 – 21: Incapaz de responder

9.22 – 24: Olhos vendados?

9.25 – 35: Dias sem esperança 

 

Jó 9.1 – 13: A reposta de Jó a Bildade

1 Então Jó respondeu:

2 Bem sei que isso é verdade. Mas como pode o mortal ser justo diante de Deus?

3 Ainda que quisesse discutir com ele, não conseguiria argumentar nem uma vez em mil.

4 Sua sabedoria é profunda, seu poder é imenso. Quem tentou resistir-lhe e saiu ileso?

5 Ele transporta montanhas sem que elas o saibam, e em sua ira as põe de cabeça para baixo.

6 Sacode a terra e a tira do lugar, e faz suas colunas tremerem.

7 Fala com o sol, e ele não brilha; ele veda e esconde a luz das estrelas.

8 Só ele estende os céus e anda sobre as ondas do mar.

9 Ele é o Criador da Ursa e do Órion, das Plêiades e das constelações do sul.

10 Realiza maravilhas que não se pode perscrutar, milagres incontáveis.

11 Quando passa por mim, não posso vê-lo; se passa junto de mim, não o percebo.

12 Se ele apanha algo, quem pode pará-lo? Quem pode dizer-lhe: “O que fazes?”

13 Deus não refreia a sua ira; até o séquito de Raabe encolheu-se diante dos seus pés.

Jó 9.14 – 21: Incapaz de responder

14 Como então poderei eu discutir com ele? Como achar palavras para com ele argumentar?

15 Embora inocente, eu seria incapaz de responder-lhe; poderia apenas implorar misericórdia ao meu Juiz.

16 Mesmo que eu o chamasse e ele me respondesse, não creio que me daria ouvidos.

17 Ele me esmagaria com uma tempestade e sem motivo multiplicaria minhas feridas.

18 Não me permitiria recuperar o fôlego, mas me engolfaria em agruras.

19 Recorrer à força? Ele é mais poderoso! Ao tribunal? Quem o intimará?

20 Mesmo sendo eu inocente, minha boca me condenaria; se eu fosse íntegro, ela me declararia culpado.

21 Conquanto eu seja íntegro, já não me importo comigo; desprezo a minha própria vida.

Jó 9.22 – 24: Olhos vendados?

22 É tudo a mesma coisa; por isso digo: Ele destrói tanto o íntegro como o ímpio.

23 Quando um flagelo causa morte repentina, ele zomba do desespero dos inocentes.

24 Quando um país cai nas mãos dos ímpios, ele venda os olhos de seus juízes. Se não é ele, quem é então?

Jó 9.25 – 35: Dias sem esperança

25 Meus dias correm mais velozes que um atleta; eles voam sem um vislumbre de alegria.

26 Passam como barcos de papiro, como águias que mergulham sobre as presas.

27 Se eu disser: Vou esquecer a minha queixa, vou mudar o meu semblante e sorrir,

28 ainda assim me apavoro com todos os meus sofrimentos, pois sei que não me considerarás inocente.

29 Uma vez que já fui considerado culpado, por que deveria eu lutar em vão?

30 Mesmo que eu me lavasse com sabão e limpasse as minhas mãos com soda de lavadeira,

31 tu me atirarias num poço de lodo, para que até as minhas roupas me detestassem.

32 Ele não é homem como eu, para que eu lhe responda e nos enfrentemos em juízo.

33 Se tão-somente houvesse alguém para servir de árbitro entre nós, para impor as mãos sobre nós dois,

34 alguém que afastasse de mima vara de Deus, para que o seu terror não mais me assustasse!

35 Então eu falaria sem medo; mas não é esse o caso.

 

Referências:

Zuck, R. B. (1985). Job. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 731). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here