No capítulo de João 17 encontramos as últimas palavras de Jesus antes de ser preso, interrogado, julgado, condenado e crucificado na cruz do Calvário. São as palavras de Jesus dirigidas ao Pai, numa profunda, pedagógica e ambiciosa oração por todos os seus discípulos, tanto os que o seguiam naqueles dias pelas poeirentas estradas da Palestina como por todos os que o receberam como Mestre e Senhor, que o seguem desde aqueles dias, pelos mais diversos lugares desse mundo, que ele mesmo criou (conf. 1.3).

Sua oração foi dirigida a Deus em favor daqueles que formariam a “nova criação”, a nova criação que ele iniciou a partir do seu sacrifício, da sua ressurreição e do envio do Espírito Santo (conf. 2Co 5.17).

O conteúdo desse capítulo é bem conhecido e certamente você já o estudou ou ouviu alguma mensagem sobre todo ele ou pelo menos de alguns versos desse conteúdo.

Diversos estudiosos dão a essa oração os mais diversos títulos: Para Erdman (1965, p. 125) é: Oração intercessória de Jesus. Para Barclay (1974, p. 236) é: A oração de Jesus por seus discípulos; Boor (2002, p. 131), o intitula: A intercessão de Jesus por seus discípulos. Dodd (2003, p. 550) o denomina: A oração de Cristo; Carson (2007, p. 551) o apresenta como: A oração de Jesus. Bock (2006, p. 491) propõe o título mais extenso: A oração de Jesus para que os discípulos sejam santificados e sejam um, como o Pai é um com o Filho. Bruce (2006, p. 279) considera: A oração de consagração. Para MacDonald (2008, p. 313) o título escolhido foi: Jesus ora por seus discípulos. Lopes (2010, p. 1) apresenta-nos o sugestivo título: A oração do Deus Filho ao Deus Pai. Vamos estudar este texto identificando nele sete aspectos dessa oração intercessória de Jesus. (1)

Esboço de João 17:

João 17.1 – 5: Jesus orou por sua glorificação

João 17.6 – 8: Jesus orou apresentando os discípulos

João 17.9 – 18: Jesus orou em favor dos discípulos

João 17.19: Jesus orou dedicando-se em santificação aos discípulos

João 17.20 – 23: Jesus orou por seus discípulos futuros

João 17.24: Jesus orou para que todos seus discípulos contemplem sua glória

João 17.25 – 26: Jesus finaliza sua oração resumindo seus pedidos

 

João 17.1 – 5: Jesus orou por sua glorificação

1 Depois de dizer isso, Jesus olhou para o céu e orou: Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique.

2 Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste.

3 Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

4 Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer.

5 E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.

João 17.6 – 8: Jesus orou apresentando os discípulos

6 Eu revelei teu nome àqueles que do mundo me deste. Eles eram teus; tu os deste a mim, e eles têm obedecido à tua palavra.

7 Agora eles sabem que tudo o que me deste vem de ti.

8 Pois eu lhes transmiti as palavras que me deste, e eles as aceitaram. Eles reconheceram de fato que vim de ti e creram que me enviaste.

João 17.9 – 18: Jesus orou em favor dos discípulos

9 Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus.

10 Tudo o que tenho é teu, e tudo o que tens é meu. E eu tenho sido glorificado por meio deles.

11 Não ficarei mais no mundo, mas eles ainda estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, protege-os em teu nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como somos um.

12 Enquanto estava com eles, eu os protegi e os guardei no nome que me deste. Nenhum deles se perdeu, a não ser aquele que estava destinado à perdição, para que se cumprisse a Escritura.

13 Agora vou para ti, mas digo estas coisas enquanto ainda estou no mundo, para que eles tenham a plenitude da minha alegria.

14 Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou.

15 Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno.

16 Eles não são do mundo, como eu também não sou.

17 Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.

18 Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo.

João 17.19: Jesus orou dedicando-se em santificação aos discípulos

19 Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade.

João 17.20 – 23: Jesus orou por seus discípulos futuros

20 Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles,

21 para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.

22 Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um:

23 eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.

João 17.24: Jesus orou por todos seus discípulos

24 Pai, quero que os que me deste estejam comigo onde eu estou e vejam a minha glória, a glória que me deste porque me amaste antes da criação do mundo.

João 17.25 – 26: Jesus finaliza sua oração resumindo seus pedidos

25 Pai justo, embora o mundo não te conheça, eu te conheço, e estes sabem que me enviaste.

26 Eu os fiz conhecer o teu nome, e continuarei a fazê-lo, a fim de que o amor que tens por mim esteja neles, e eu neles esteja.

Referências

  1. Neves, I., & McGee, J. V. (2012). Comentário Bíblico de João. (I. Mazzacorati, Org.) (Segunda edição, p. 303). São Paulo, SP: Rádio Trans Mundial.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here