Chegamos a João 20, o último capítulo do evangelho escrito por João. Este evangelho foi escrito com o propósito de provocar a crença em Jesus, como o Cristo, o Filho de Deus, nos seus leitores.

Mesmo que alguns estudiosos entendam que os últimos versos do capítulo vinte são os versos finais do evangelho, sem dúvida, é possível percebermos que, o conteúdo deste capítulo vinte e um nos mostra uma continuidade natural, principalmente se ligarmos o verso 19 do capítulo vinte ao verso 1 deste capítulo 21 (JENSEN, 1980, p. 107).

Conforme Carson demonstra entre vários argumentos, podemos destacar algumas contribuições que temos quando consideramos este capítulo vinte um como parte integral do evangelho:

  1. Pedro é reconciliado com Jesus e recebe uma comissão, dá-se, assim, um fecho para esse aspecto importante do enredo. b. Pedro e o discípulo amado reaparecem em vinhetas que desenvolvem o caráter dos mesmos inteiramente em harmonia com o que é conhecido deles de acordo com o restante do livro… c. A morte de Pedro, que certamente já havia ocorrido na época em que o quarto evangelho foi escrito, é tão ligada à profecia de Jesus e ao tema do discipulado (v. 19) que se torna um paradigma de como outros cristãos devem enfrentar o sofrimento por causa da fé… d. Como nos dias antes da sua crucificação, Jesus está ainda à frente dos discípulos, atendendo às suas necessidades e servindo-os – uma lição que a igreja deve aprender repetidamente… e) O Espírito Santo ainda não é mencionado… O tom deste capítulo se encaixa inteiramente no contexto: Jesus está triunfante e olhando para o futuro, mas os discípulos ainda não foram revestidos do Espírito prometido (CARSON, 2007, p. 667).

Verificamos, assim que, nesse capítulo, João continua relatando outras evidências de Jesus ressurreto, chegando, então, ao final da sua narrativa. E embora tenha enfatizado a divindade de Jesus, este evangelho termina mostrando características humanas do Salvador, demonstrando a possibilidade que temos de nos relacionarmos verdadeiramente com alguém que nos conhece intimamente.

Ao observarmos atentamente este texto, podemos dividi-lo em sete partes, destacando sete características desse maravilhoso salvador, o Senhor Jesus, o Cristo, o Filho de Deus. (1)

Esboço de João 21:

João 21.1 – 3: Jesus é atencioso com os discípulos

João 21.4 – 8: Jesus se manifesta aos seus discípulos

João 21.9 – 14: Jesus provê o necessário aos seus discípulos

João 21.15 – 17: Jesus trata Pedro, o discípulo caído

João 21.18,19: Jesus convoca Pedro, o discípulo restaurado

João 21.20 – 23: Jesus ensina Pedro a se concentrar na sua missão

João 21.24,25: O testemunho verdadeiro de que Jesus é o Messias

 

João 21.1 – 3: Jesus é atencioso com os discípulos

1 Depois disso Jesus apareceu novamente aos seus discípulos, à margem do mar de Tiberíades. Foi assim:

2 Estavam juntos Simão Pedro; Tomé, chamado Dídimo; Natanael, de Caná da Galiléia; os filhos de Zebedeu; e dois outros discípulos.

3 “Vou pescar”, disse-lhes Simão Pedro. E eles disseram: “Nós vamos com você”. Eles foram e entraram no barco, mas naquela noite não pegaram nada.

João 21.4 – 8: Jesus se manifesta aos seus discípulos

4 Ao amanhecer, Jesus estava na praia, mas os discípulos não o reconheceram.

5 Ele lhes perguntou: “Filhos, vocês têm algo para comer?” Eles responderam que não.

6 Ele disse: “Lancem a rede do lado direito do barco e vocês encontrarão”. Eles a lançaram, e não conseguiam recolher a rede, tal era a quantidade de peixes.

7 O discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo-o dizer isso, vestiu a capa, pois a havia tirado, e lançou-se ao mar.

8 Os outros discípulos vieram no barco, arrastando a rede cheia de peixes, pois estavam apenas a cerca de noventa metros da praia.

João 21.9 – 14: Jesus provê o necessário aos seus discípulos

9 Quando desembarcaram, viram ali uma fogueira, peixe sobre brasas, e um pouco de pão.

10 Disse-lhes Jesus: “Tragam alguns dos peixes que acabaram de pescar”.

11 Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a praia. Ela estava cheia: tinha cento e cinquenta e três grandes peixes. Embora houvesse tantos peixes, a rede não se rompeu.

12 Jesus lhes disse: “Venham comer”. Nenhum dos discípulos tinha coragem de lhe perguntar: “Quem és tu?” Sabiam que era o Senhor.

13 Jesus aproximou-se, tomou o pão e o deu a eles, fazendo o mesmo com o peixe.

14 Esta foi a terceira vez que Jesus apareceu aos seus discípulos, depois que ressuscitou dos mortos.

João 21.15 – 17: Jesus trata Pedro, o discípulo caído

15 Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, você me ama mais do que estes?” Disse ele: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Disse Jesus: “Cuide dos meus cordeiros”.

16 Novamente Jesus disse: “Simão, filho de João, você me ama?” Ele respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Disse Jesus: “Pastoreie as minhas ovelhas”.

17 Pela terceira vez, ele lhe disse: “Simão, filho de João, você me ama?” Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez “Você me ama?” e lhe disse: “Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo”. Disse-lhe Jesus: “Cuide das minhas ovelhas.

João 21.18,19: Jesus convoca Pedro, o discípulo restaurado

18 Digo-lhe a verdade: Quando você era mais jovem, vestia-se e ia para onde queria; mas quando for velho, estenderá as mãos e outra pessoa o vestirá e o levará para onde você não deseja ir.

19 Jesus disse isso para indicar o tipo de morte com a qual Pedro iria glorificar a Deus. E então lhe disse: “Siga-me!”

João 21.20 – 23: Jesus ensina Pedro a se concentrar na sua missão

20 Pedro voltou-se e viu que o discípulo a quem Jesus amava os seguia. (Este era o que estivera ao lado de Jesus durante a ceia e perguntara: “Senhor, quem te irá trair?” )

21 Quando Pedro o viu, perguntou: “Senhor, e quanto a ele?”

22 Respondeu Jesus: “Se eu quiser que ele permaneça vivo até que eu volte, o que lhe importa? Quanto a você, siga-me!”.

23 Foi por isso que se espalhou entre os irmãos o rumor de que aquele discípulo não iria morrer. Mas Jesus não disse que ele não iria morrer; apenas disse: “Se eu quiser que ele permaneça vivo até que eu volte, o que lhe importa?”

João 21.24,25: O testemunho verdadeiro de que Jesus é o Messias

24 Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as registrou. Sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.

25 Jesus fez também muitas outras coisas. Se cada uma delas fosse escrita, penso que nem mesmo no mundo inteiro haveria espaço suficiente para os livros que seriam escritos.

Referências

  1. Neves, I., & McGee, J. V. (2012). Comentário Bíblico de João. (I. Mazzacorati, Org.) (Segunda edição, p. 365–366). São Paulo, SP: Rádio Trans Mundial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here